A Via Varejo (VVAR3) anunciou que mudou sua marca e agora passará a se chamar somente Via, com o intuito de ir além do varejo, o que se traduziu em mudanças no logo, cores e num novo posicionamento "que reforça a estratégia da empresa se ser conhecida como a melhor Via de compras", disse a empresa em comunicado.

"Já estamos olhando para o futuro. A Via de hoje não é a mesma de ontem e também não será a Via de amanhã. Vamos buscar inovação o tempo todo. Esses movimentos pelos quais estamos passando na companhia reforçam todo esse comprometimento e trabalho", disse o CEO da Via, Roberto Fulcherberguer.

A empresa ressalta que os resultados apresentados em março já mostram que a companhia não é mais uma empresa de varejo, mas uma empresa que tem "unificado barreiras físicas e digitais das lojas, sites e apps, se associando a startups que deram mais velocidade ao sistema logístico e tecnológico", acelerando a entrada de novos vendedores diariamente. 

Plataforma de Pagamentos 

A Via Varejo - agora Via - também informou que sua controlada Lake Niassa Empreendimentos e Participações adquiriu 100% das cotas de emissão da Celer Processamento Comércio e Serviço, plataforma proprietária de soluções de pagamentos.

O valor da aquisição não foi informado. A fintech oferece um pacote de "Bank-as-aService"(BaaS), permitindo que outras fintechs disponibilizem a seus clientes uma conta digital integrada a serviços de pagamentos, compreendendo alternativas de cash-in e cash-out, emissão e processamento de cartões, gestão de cobrança e transferências, incluindo ao tradicional portfólio o PIX.

Atualmente, a Celer conta com aproximadamente 200 fintechs integradas, que oferecem aos seus clientes, além de soluções próprias, soluções de adquirência e conta digital para mais de 24 mil estabelecimentos comerciais cadastrados.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

Segundo comunicado da Via, a conclusão da operação e integração com a Celer permitirá a companhia ampliar os serviços financeiros disponibilizados aos vendedores do seu marketplace.

Tais como adquirência e gateway para vendas físicas e online, ampliação conta digital banQi completa e integrada ao PIX, plataforma de antecipação dos recebíveis e também uma gestão completa da agenda financeira.

Também viabilizará a jornada omnicanal da companhia, facilitando a interação financeira entre o vendedor do marketplace e as lojas físicas da companhia, e parcerias com players relevantes do mercado para a concepção de mais inovações no setor.

A consumação da operação está sujeita ao cumprimento de condições previstas nos documentos definitivos, bem como a aprovação prévia do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Resultado da Via Varejo no Quarto Trimestre de 2020

O resultado da Via Varejo (VVAR3) no quarto trimestre de 2020 (4t20), divulgado no dia 02 de março, apresentou um lucro líquido de R$ 336 milhões, contra um prejuízo de -R$ 875 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior.

O Ebitda da Via Varejo atingiu R$ 316 milhões no 4t20, versus um prejuízo de R$ 806 milhões na comparação com o 4t19.

A Margem Ebitda da Via Varejo totalizou 3,3% no 4t20, apresentando crescimento de 13,9 pontos percentuais na comparação com o 4t19. 

A Margem líquida da Via Varejo atingiu 3,5% no 4t20, apresentando crescimento de 15,0 pontos percentuais na comparação com o 4t19.

As ações da Via Varejo (VVAR3) acumulam alta de 2,90% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 78,81% nos últimos 12 meses.

Informe o DDD + 9 dígitos

Fonte: Estadão Conteúdo.