As vendas no Varejo em dezembro cresceram 3,0%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2020.

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista, o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) registrou alta de 14,6%. Efeitos de calendário contribuíram para a alta.

Em dezembro de 2021 houve uma sexta-feira a mais, dia de movimento mais forte, e uma terça-feira a menos, dia em que a movimentação é menor.

Além disso, o mix de dias que antecedeu o Natal em dezembro de 2021 resultou em um dia útil a mais que no Natal celebrado em 2020.

“Dezembro registrou o segundo mês de alta consecutiva nas vendas. Esse cenário pode ser atribuído ao desempenho do Natal de 2021, que apresentou vendas mais fortes que as verificadas em 2020 e de um comércio mais ativo que o verificado em 2020”, afirma Pedro Lippi, Head de Inteligência da Cielo.

“Avaliando o comportamento do Varejo em 2021, houve um crescimento de 0,8%, embora ainda estejamos em um patamar de vendas 13,3% abaixo do observado em 2019”.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

Inflação

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo IBGE, apontou alta de 10,06% no acumulado dos últimos 12 meses, com alta de 0,73% em dezembro.

O setor de Transportes foi o grande destaque, impactado pela alta dos combustíveis.

Ao ponderar o IPCA pelos setores e pesos do ICVA, a inflação no varejo ampliado foi de 11,3%, desacelerando em relação ao índice registrado no mês anterior.