A Vale (VALE3) afirmou em comunicado ao mercado que cumpre integralmente o Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) relativo ao rompimento da barragem de Fundão e que este termo não prevê responsabilidade direta da empresa perante o Consórcio Candonga, a Aliança Geração ou a Cemig (CMIG4) por impactos sofridos pela paralisação da Usina Hidrelétrica (UHE) Risoleta Neves, após rompimento da barragem de Fundão.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

O comunicado foi em esclarecimento à reportagem publicada no jornal Valor Econômico na quinta-feira, a qual informa que a Cemig acusa a Vale de deixar de pagar R$ 781 milhões como ressarcimento aos danos causados à usina, conforme tinha se comprometido em setembro do ano passado.

A Cemig e a Vale são sócias na empresa Aliança Geração. Essa por sua vez forma, também junto com a Vale, o Consórcio Candonga, controlador da usina.

A Vale argumenta que o compromisso proposto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) visava a neutralização dos repasses financeiros em razão da perda de geração da UHE Risoleta Neves.

No entanto, durante o processo da análise pela Aneel, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu suspender a sentença judicial favorável ao Consórcio Candonga, que mantinha a UHE Risoleta Neves no Mecanismo de Realocação de Energia (MRE).

A empresa diz também que o consórcio Candonga quitou integralmente os valores, após cobrança da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que confirmou o pagamento.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

"O compromisso proposto pela Vale não interferiria na discussão judicial entre o Consórcio e a Aneel sobre o MRE e, tampouco, conferiria direitos de ressarcimento ao Consórcio, à Aliança ou à Cemig", diz a companhia no comunicado.

Segundo a reportagem do Valor, apesar da decisão do STJ, o processo continua tramitando no Tribunal Regional Federal da 1ª. Região (TRF-1) e a Cemig trava uma briga na Justiça com a sócia por entender que a transferência de pagamentos relativos aos prejuízos causados para sociedades de que fazem parte não se afigura correta e por isso atua para que sejam ressarcidos.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Vale no Primeiro Trimestre de 2022 

resultado da Vale (VALE3) no primeiro trimestre de 2022 (1t22), divulgado no dia 28 de abril, apresentou um lucro líquido de R$ 23,0 bilhões no 1T22, apresentando queda de -27,4%  em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Ebitda da Vale atingiu R$ 32,6 bilhões no 1T22, apresentando baixa de -29,9% na comparação com o 1T21.

margem líquida da Vale atingiu 40,8% no 1T22, apresentando retração de -2,8 pontos percentuais na comparação com o 1T21.

As ações da Vale (VALE3) acumulam queda de 2,69% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 26,28% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.