O que é Utilidade?

A palavra utilidade, no setor de economia, significa o grau de retorno ou satisfação que temos com o uso de objetos ou qualquer outra coisa, pode ser considerada uma medida de satisfação do consumidor.

A análise da oscilação da utilidade permite demonstrar o desenvolvimento que resulta nas variações de caminhos tomadas por cada agente para aumentar a sua satisfação.

A utilidade é geralmente utilizada para avaliar as decisões de consumo quando se coloca em variação tipos de bens e serviços, a posse da riqueza ou o usufruto de tempo de lazer.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Uma situação normal é o desenvolvimento de como um indivíduo decide dividir o seu tempo disponível entre trabalho e lazer.

A utilidade é normalmente utilizada pelos especialistas em gráficos como a curva de indiferença, que apresenta, para um determinado nível de satisfação, a quantidade de bens que uma ou civilização aceitaria ter.

A utilidade individual e utilidade social são interpretados como variáveis dependentes de uma função de utilidade e como um método de lazer, respetivamente.

A utilidade está na capacidade que objetos ou serviços possuem em satisfazer uma ou mais necessidades de uma pessoa ou sociedade.

Podemos exemplificar o caso de um consumidor que queira abrir uma garrafa, o saca-rolhas será um instrumento de utilidade para atingir esse objetivo.

Um indivíduo que queira pintar uma parede, terá a tinta e o pincel como elementos de utilidade para a sua tarefa.

O que é Valor Utilidade?

A teoria do valor utilidade se baseia no valor das mercadorias e na dependência delas para os consumidores.

O valor utilidade se utiliza do preço de um produto ao uso que ele apresenta para o consumo, resolvendo um problema ou solucionando uma necessidade do cliente. 

Geralmente quando um produto é consumido em larga escala por só um consumidor ele possibilita um aumento de utilidade cada vez menor.

Entre esses produtos, podemos citar como exemplo uma folha. Ela é um bem de utilidade alta para o aprendizado em escolas, documentos, provas, entre outros.

Porém, há uma grande necessidade de consumo que leva os indivíduos, empresas e companhias a comprar papel para suas operações.

Normalmente as folhas são vendidas em blocos com 100 folhas, e vamos supor que uma empresa tenha a necessidade de 3 blocos de folhas por mês.

Sendo assim, a compra de um quarto bloco de folhas, só irá gerar mais utilidade e quanto maior o consumo, menor será o valor utilitário desse produto.

O mais interessante da teoria é que se um produto é consumido apenas por necessidade, ele terá um preço menor, porque sua utilidade acaba sendo baixa.

Existe uma quantidade mensal ou anual em que o indivíduo precisa consumir aquele produto e se exceder essa quantidade, o valor utilitário dele é mínimo. É o caso dos blocos de folhas.

Já no outro lado da moeda, se o valor utilitário do produto for algo fútil, ele terá um preço maior, pois o valor utilitário é alto.

Valor Utilidade e a oferta

O valor utilidade está ligado diretamente com a relação de oferta e demanda pois, o valor de utilidade é distorcido pela disponibilidade do produto no mercado.

Sendo assim, se o item tem grande disponibilidade no mercado, o seu valor utilitário é baixo, caso contrário, se o item possui pouca oferta no mercado, o seu valor utilitário é alto.

A distorção da teoria do valor utilidade é descrita pela Lei da oferta e demanda, na qual especifica que quanto maior a oferta de um produto, menor a utilidade, quanto menor a oferta de um produto, maior a utilidade. 

Como exemplo podemos utilizar produtos que são necessários e essenciais para a vivência de um ser humano, como itens de necessidade básica, água, energia, comida, entre outros, são produtos de grande oferta no mercado.

Já produtos considerados hobbies ou que não haja grande necessidade humana e que geralmente são feitos para saciar desejos pessoais possuem baixa oferta no mercado, gerando um valor utilitário maior.

Com isso, os valores dos produtos se refletem no mercado, gerando a lei de oferta e demanda e definindo altos e baixos valores monetários a determinados produtos.