"O ouro é um bom investimento em um momento em que o mundo está preocupado com a inflação", disse o bilionário egípcio Naguib Sawiris à CNBC.

O metal precioso é frequentemente apresentado como uma proteção contra a alta dos preços e um porto seguro para proteger sua carteira em tempos de crise.

Por isso, especialistas geralmente recomendam que ele deve representar cerca de 5% a 10% da carteira de um investidor.

Mas o investidor de ouro de longa data, Naguib Sawiris, recomenda alocar muito mais.

“Eu digo 20% a 30%. Eu costumava estar com 50%”, disse o presidente e CEO da Orascom Investment Holding ao “Capital Connection” da CNBC.

Ele diz que o ativo “É algo fundamental. Sempre esteve lá.”

No mês passado, Sawiris criou o La Mancha, um fundo de US$ 1,4 bilhão para manter seus investimentos em mineração de ouro e buscar novas oportunidades no setor.

Ele disse que a mudança foi “motivada pessoalmente” porque uma parte substancial de seu patrimônio líquido está em ouro.

Ouro como uma salvaguarda

O ouro pode atuar como um amortecedor para riscos no mercado, sugeriu Sawiris.

“Digamos que a inflação chegue e haja um crash no mercado de ações por qualquer motivo ou outro, então você ficará muito feliz que tem uma posição em ouro”, disse ele.

Questionado sobre se espera que o mercado de ações caia, ele disse que os preços estão altos há “muito tempo” e cairão “inevitavelmente” em algum momento.

Além disso, existem muitas incertezas, como instabilidades políticas e a “saga sem fim” da pandemia de Covid, disse Sawiris.

“Quero dormir à noite sem ser afetado por uma queda na bolsa de valores ou uma pandemia”, disse ele.

No entanto, o ouro não está imune a todos os eventos do mercado. O metal precioso tem um histórico misto de retornos durante os períodos inflacionários.

Sawiris reconheceu que as taxas de juros mais altas, que podem surgir à medida que as economias se recuperam da crise de Covid, vão “engolir” os ganhos do ouro. Ainda assim, ele disse que é um investidor de longo prazo no metal.