A Tim (TIMS3) estima uma criação de valor entre R$ 16 bilhões e R$ 19 bilhões vindo de sinergias comerciais e de infraestrutura com ativos da Oi Móvel.

O número faz parte da apresentação elaborada pela companhia para a teleconferência programada para 10h desta segunda-feira, dia 25.

A Tim destaca também a expectativa de que a operação traga um crescimento de R$ 1,8 bilhão em receita e R$ 1,1 bilhão de Ebitda em oito meses de 2022.

"A aquisição de ativos móveis da Oi é divisor de águas para a empresa", diz a apresentação.

Com a compra, a companhia receberá 16,4 milhões de clientes móveis da Oi, sendo 44% no formato pós-pago e 56% no pré.

Esses consumidores migrados devem trazer crescimento de dois dígitos para a Tim, ainda de acordo com a apresentação da companhia.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Enquanto isso, a participação da Tim no mercado brasileiro deve saltar de cerca de 20% para aproximadamente 27%.

"Uma nova Tim está saindo da transação melhor posicionada para ser um player nacional robusto", complementa a empresa.

A companhia afirma ainda que o espectro e rede adquiridos reduzirão necessidade de futura de capex e fluxo de caixa. A Tim desembolsou R$ 6,98 bilhões pela aquisição.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Resultado da Tim no Quarto Trimestre de 2021

resultado da Tim (TIMS3) no quarto trimestre de 2021 (4t21), divulgado no dia 25 de fevereiro, apresentou um lucro líquido de R$ 768 milhões no 4t21, uma queda de -26% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Ebitda da TIM atingiu R$ 2,4 bilhões no 4t21, apresentando crescimento de 2,9% na comparação com o 4t20.

margem Ebitda da TIM totalizou 51,0% no 4t21, apresentando aumento de 0,1 ponto percentual na comparação com o 4t20. 

margem líquida da Tim atingiu -21,2% no 4T21, apresentando retração de 0,8 pontos percentuais na comparação com o 4T20. 

As ações da Tim (TIMS3) acumulam queda de 0,07% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 18,94% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.