Tesouro Prefixado com Juros Semestrais: O Guia Completo
|

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais: O Guia Completo

O título do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais possui rentabilidade prefixada com o pagamento de juros ao investidor a cada seis meses.

Por
Atualizado em 09/11/2019
Avalie esse texto

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é o investimento perfeito para quem busca a segurança da Renda Fixa, uma rentabilidade prefixada e o recebimento de uma renda extra mensal.

É considerada um dos melhores títulos públicos do Tesouro Direto, pela facilidade de conhecer a rentabilidade final no dia da aplicação e pelo pagamento dos juros semestrais.

Além de garantir o pagamento dos juros da aplicação a cada seis meses, ele paga na data do vencimento o total investido somado à rentabilidade e ao último cupom semestral.

Para aproveitar o máximo do investimento no Tesouro prefixado com juros semestrais, no entanto, recomenda-se manter a aplicação até a data de vencimento contratada.

Os pagamentos semestrais através de cupons também são características atraentes, já que possibilitam maior liquidez para o investidor que busca uma renda mensal.

O Tesouro prefixado com juros semestrais é para você que busca a independência financeira a longo prazo e acha que já perdeu tempo demais por não diversificar seus investimentos.

Que tal saber mais sobre como recuperar o tempo perdido ao longo dos anos? 

Você vai descobrir tudo o que precisa para investir no tesouro prefixado com juros semestrais ainda hoje:

  • O que é Tesouro prefixado com juros semestrais;
  • Como Funciona o Tesouro prefixado com juros semestrais;
  • Por que investir em Tesouro prefixado com juros semestrais;
  • Como investir em Tesouro prefixado com juros semestrais;
  • Vantagens e Desvantagens.

Leia até o final e comece a receber uma renda extra mensal.

O Que Você Verá Neste Artigo:

O que é Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é um dos títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional, destinado à pessoas físicas, para arrecadar fundos e realizar melhorias no país.

É uma aplicação onde se conhece a rentabilidade final na data de seu vencimento. Isso acontece por estar atrelada a uma taxa prefixada.

Além disso, parte da rentabilidade do investimento é paga semestralmente por meio de cupons.

As taxas são de 10% ao ano, equivalente a 4,88% a cada seis meses.

Essas taxas têm como referência o Valor Nominal do título: ele é fixo e foi estabelecido pelo próprio Tesouro Nacional em R$ 1 mil. 

Até 2015, seu nome era NTN-F (Nota do Tesouro Nacional, série F). A mudança aconteceu para facilitar a compreensão sobre o que o título representa: prefixado, com juros semestrais.

Essas alterações também foram aplicadas a outros títulos e possibilitaram recompras diárias em lugar das semanais, que eram o sistema vigente até então.

Banner will be placed here

Como Funciona o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Comprar um título do Tesouro Direto equivale a emprestar dinheiro para o governo a troco de juros. 

Apesar da remuneração final ser prefixada, o título sofre fortes oscilações negativas ou positivas, dependendo da taxa SELIC.

A rentabilidade depende de quanto foi pago pelo título e não tem relação com o valor fixo que orienta o pagamento dos cupons semestrais.

Como funciona o investimento em Tesouro Direto
Como funciona o investimento em Tesouro Direto

Horários para Negociar o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

O site do Tesouro Direto oferece a compra e a venda dos títulos de segunda à sexta, das 9h30 às 18h. 

Não é possível fazer operações financeiras durante os fins de semana, feriados e nos horários das 18h às 5h dos dias úteis, mas você pode agendá-las. 

No entanto, tenha em conta que os preços são definidos no primeiro dia útil subsequente, após às 9h30. 

O sistema fecha para manutenção diariamente das 5h às 9h30, mas você pode consultar seu extrato a qualquer momento, independente do dia e da hora.

Tabela de Horário de Funcionamento do Mercado

Confira o horário de funcionamento do mercado:

HorárioSegundaTerçaQuartaQuintaSextaSábadoDomingo
05:00 às 09:30ManutençãoManutençãoManutençãoManutençãoManutençãoAgendamentoAgendamento
09:30 às 18:00AbertoAbertoAbertoAbertoAbertoAgendamentoAgendamento
18:00 às 05:00AgendamentoAgendamentoAgendamentoAgendamentoAgendamentoAgendamentoAgendamento

Tesouro Direto com Mercado Suspenso

Sempre que o mercado ou os preços dos títulos apresentam oscilações mais instáveis do que o normal, o Tesouro suspende as negociações por tempo indeterminado.

Durante as reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária), por exemplo: para proteger o investidor das oscilações, as negociações ficam suspensas das 17h até as 9h.

As reuniões do Copom acontecem a cada 40 dias e é sempre às quartas-feiras.

Apesar do Mercado aberto a compra e a venda de títulos que pagam cupom de juros são suspensas nas seguintes situações:

  • A compra é suspensa 3 dias antes da data do pagamento do cupom;
  • A venda é suspensa 2 dias antes da data do pagamento do cupom.

Pagamento de Juros Tesouro Direto

O pagamento de juros do tesouro direto é feito semestralmente e o dinheiro aparece direto na sua conta corrente na corretora de valores, onde realizou a compra do título público.

Quanto paga de juros o tesouro direto

A rentabilidade desses pagamentos é de 4,88% por semestre, o equivalente a 10% ao ano sobre o valor de face do título. Os percentuais variam conforme a taxa prefixada na contratação.

Esses 4,88% têm como referência o Valor Nominal do título, que é fixado em R$ 1 mil. Assim, o pagamento semestral é de R$ 48,81.

A conta é simples: R$ 1 mil x 4,88% = R$ 48,81. Ele representa o fluxo de pagamentos semestrais, mas não corresponde à rentabilidade da aplicação em si.

Data pagamento juros tesouro direto

Os juros do Tesouro prefixado são pagos semestralmente: sempre em 1° de janeiro e 1° de junho.

Tipos de Títulos do Tesouro Prefixado com Juros

A quantidade de títulos prefixados disponíveis para você investir são definidos pelo governo, atualmente existe apenas um e não existe uma regra para esse limite.

O Tesouro Nacional não vende títulos com menos de dois anos de vencimento, garantindo assim que os investidores comprem apenas títulos que tenham o benefício da redução de IR.

O título disponível atualmente é o prefixado com vencimento em 2029.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2029

Com vencimento em 1° de janeiro de 2029, o valor unitário desse título é de R$ 1.194,50 e sua taxa de rendimento é de 7,21% ao ano. 

Atualmente é o mais caro e, consequentemente, o mais rentável dos títulos do Tesouro prefixado com juros semestrais disponíveis no Tesouro Direto.

Tipos de Títulos do Tesouro Direto

O Tesouro Direto oferece diferentes possibilidades de investimento em distintos títulos da dívida pública. Cada um deles tem suas próprias características, a saber.

Tesouro Prefixado

Título público com objetivo de garantir uma rentabilidade final, deixando o resgate dos juros apenas na data de vencimento, para aumentar a rentabilidade da carteira do investidor.

  • Rentabilidade prefixada, ou seja, definida no momento da compra; 
  • O fluxo de pagamento é simples: será feito apenas na data de vencimento;
  • Cada unidade de título vai pagar R$ 1 mil na data do vencimento;
  • A previsibilidade dos rendimentos é uma vantagem para quem fizer o resgate apenas no vencimento.

Tesouro IPCA+

Título público com objetivo de proteger o seu dinheiro contra a inflação, pelo fato da sua rentabilidade estar indexada ao IPCA:

  • Fluxo de pagamento simples: pagamento apenas na data do vencimento;
  • Indicado para quem tem o objetivo de constituir uma poupança de médio a longo prazo;
  • Oferece rentabilidade real (rendimentos acima da inflação);
  • Apresenta um sistema de precificação e cálculos simples de entender.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais

Título público com objetivo de proteger o seu dinheiro contra a inflação, pelo fato da sua rentabilidade estar indexada ao IPCA, mas com pagamentos semestrais:

  • Fluxo de pagamento semestral por meio de cupons;
  • Os pagamentos a cada seis meses conferem liquidez à aplicação;
  • Rentabilidade real;

Tesouro Selic

Título Público com maior liquidez e com menos volatilidade, sendo utilizado como aplicação de reserva de emergência.

Sua rentabilidade está atrelada à taxa básica de juros da economia (SELIC):

  • Fluxo de pagamento simples;
  • Baixa volatilidade: em caso de venda antecipada do título as perdas são evitadas, mas as rentabilidades também costumam ser mais baixas;
  • Indicado para quem quer ter a liberdade de fazer o resgate antes do vencimento;
  • É o título mais conservador entre todos os oferecidos pelo Tesouro Direto.

Por que investir no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais?

Não faltam boas razões para investir no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais. Ele é recomendado especialmente para quem busca: 

  • Baixo Risco: a rentabilidade é garantida pelo Tesouro Nacional;
  • Investimento com pouco dinheiro: é possível fazer uma aplicação com apenas R$ 30.
  • Previsibilidade: antes mesmo de contratar, você já sabe quanto vai receber na data de vencimento do título;
  • Liquidez: os pagamentos semestrais garantem a entrada de recursos até a data de vencimento;
  • Diversificação: é uma boa opção para expandir sua carteira de investimentos aos títulos públicos;
  • Comodidade: por ser um título de renda fixa, não há surpresas. Você recebe exatamente o valor que foi contratado.
  • Rentabilidade: a rentabilidade desse título geralmente é um pouco maior que a taxa de juros atual.
  • Renda Extra: recebe parte da rentabilidade a cada seis meses, opção interessante para quem precisa de uma renda regular.
  • Potencial de ganhos: a rentabilidade no curto prazo poderá ser maior que a rentabilidade do título, se a taxa de juros (Selic) cair.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é indicado para quem?

Por suas características e liquidez semestral, o Tesouro prefixado com juros semestrais atende pessoas com objetivos diferentes.

Iniciantes nos Investimentos

Se você ainda não conhece muito sobre o mercado financeiro, é uma boa aplicação para começar.

Trata-se de um título seguro, cujos pagamentos são garantidos pelo Tesouro Nacional. 

Os ganhos são previsíveis: 

basta esperar até a data do vencimento para resgatá-lo, já que a venda ou resgate antecipado não garantem a rentabilidade contratada.

Até lá, você recebe parte da rentabilidade em cupons semestrais, pagos sempre em 1° de janeiro e 1° de junho.

Renda Extra

Além da boa rentabilidade na data de vencimento, este título garante uma renda extra através dos cupons pagos semestralmente.

É ideal tanto para quem busca uma poupança no médio e longo prazo, quanto para quem pensa na aposentadoria, na compra de um imóvel ou de um carro, por exemplo.

Investidor conservador

Investir em títulos públicos é reconhecidamente uma das aplicações mais seguras disponíveis atualmente: o Tesouro Nacional garante os pagamentos.

A previsibilidade dos rendimentos contribui para que seja uma aplicação livre das oscilações do mercado, já que o valor é prefixado no início do contrato.

Se resgatar o título apenas na data de vencimento, você recebe exatamente o valor que contratou. Sem alarmes, sem surpresas.

Onde Investir no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Para investir, é necessário abrir conta em uma instituição financeira, intermediária entre você e o Tesouro Direto, que pode ser: 

  • Um banco ou;
  • Uma corretora de valores.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais através de Banco ou Corretora?

Não duvide: as corretoras são a melhor opção para aplicar no Tesouro prefixado com juros semestrais. Elas oferecem os produtos financeiros mais rentáveis do mercado.

Assim como os bancos, as corretoras também são numerosas. Por isso, você deve pensar com muita calma para escolher bem. Afinal, estamos falando do seu patrimônio.

Como Escolher uma Corretora

Mesmo que elas sejam mais atrativas que os bancos, é preciso checar alguns detalhes. Para isso, aqui vão 5 itens essenciais que você precisa avaliar antes de escolher:

Dica 1: taxas administrativas

Há corretoras que não cobram taxa de administração. Mas mesmo assim, é prudente pesquisar como é feita a cobrança, caso você escolha uma que cobre a taxa.

Em muitas delas, a taxa incide diretamente sobre o valor total investido e ocorre uma vez por ano. Isso significa que a cada ano, a taxa de administração será cobrada.

Os valores praticados para taxas administrativas variam de 0 a 2%.

Dica 2: diversidade de produtos

As corretoras oferecem diversas opções de investimentos a todo tipo de clientes. Nos bancos, a oferta depende de fatores como ser um cliente de alta renda, por exemplo.

Você deve avaliar aquelas que apresentam os produtos financeiros que melhor se adequem aos seus objetivos. 

Se você quer constituir um patrimônio para a aposentadoria ou comprar um imóvel, procure por aplicações que ajudem você a chegar lá no longo prazo.

Dica 3: conteúdo para o investidor

Verifique a informação disponibilizada pela corretora a respeito de seus serviços e produtos. As melhores corretoras contam com farto conteúdo sobre finanças e investimentos.

Esses conteúdos devem apresentar informações suficientes para que você possa sanar dúvidas a qualquer momento, sem precisar recorrer a uma central de ajuda.

Dica 4: atendimento ágil com excelência

Teste seus serviços de atendimento antes de escolher. Se você tiver algum problema que precise atendimento personalizado, poderá ficar desamparado.

Busque todos os canais de atendimento das suas corretoras preferidas e entre em contato para tirar uma dúvida ou pedir informações mais detalhadas.

Fizemos um guia completo com as Melhores Corretoras do Brasil, onde você vai poder escolher a corretora com os melhores investimentos para você.

Perfil do Investidor

O seu perfil de investidor define o seu desejo por rentabilidade e o seu apetite por riscos, identificando se deve fazer um investimento conservador ou arrojado.

Quando se trata de investimentos, no entanto, risco e rentabilidade traçam caminhos opostos.

 Infelizmente, essa é uma dinâmica que está fora do controle até mesmo dos mais experientes investidores.

O raciocínio é simples: maiores riscos tendem a gerar maiores rentabilidades; menores riscos tendem a oferecer menores rentabilidades.

Há formulários online que podem ajudar a identificar o tipo de player que você é no mercado financeiro. Antes de aplicar, faça o teste e invista da maneira correta. 

Calculadora do Tesouro Direto

O próprio site do Tesouro Direto oferece uma calculadora de rentabilidade. Ela é autoexplicativa e você pode preenchê-la com as informações disponibilizadas no próprio site. 

Calculadora do Tesouro prefixado com juros semestrais

Confira a imagem e preencha de acordo com ela:

  1. Título: selecione a opção “Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTNF)”;
  2. Data da compra: insira a data em que você deseja adquirir o título;
  3. Data do vencimento: confira a data da tabela apresentada;
  4. Valor investido: insira o valor que deseja projetar;
  5. Taxa do papel na compra (%a.a.): consulte o item “taxa de rendimento” na tabela de preços;
  6. Taxa de administração: depende da sua corretora — há corretoras que cobram, como há corretoras que não cobram;
  7. Taxa SELIC para o período (%a.a.): atualmente, 6% ao ano.

Veja o exemplo abaixo, considerando a data de compra em 03/08/2019, o vencimento em 01/01/2029 e o investimento no valor de R$ 10 mil:

Calculadora do Tesouro Direto
Calculadora do Tesouro Direto

Juros Semestrais Tesouro Direto

Por meio dos valores utilizados como exemplo, pode-se interpretar o seguinte, de acordo com a tabela (da esquerda para a direita):

  • Data: dia, mês e ano de referência;
  • Dias úteis: quantidade de dias úteis até aquela data;
  • Dias corridos: quantidade de dias corridos até aquela data;
  • R$ Bruto: rentabilidade bruta, sem deduzir os impostos;
  • Aliq. IR: corresponde à incidência da alíquota do Imposto de Renda;
  • R$ IR: corresponde ao desconto do Imposto de Renda em reais;
  • R$ Custódia: taxa cobrada pela B3 para manter seu dinheiro investido;
  • R$ Adminis.: taxa de administração da instituição financeira;
  • R$ Líquido: corresponde ao valor que você efetivamente ganha, já descontados os impostos.
Resultado da simulação
Resultado da simulação

Simulação Tesouro Prefixado com Juros

A tabela é autoexplicativa. Mas é importante observar que o valor líquido, já descontados os impostos, é exibido no campo “Somatório dos valores líquidos dos cupons e do resgate”.

Retorno do investimento
Retorno do investimento

Rendimento do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Os rendimentos do Tesouro prefixado com juros semestrais estão indexados à taxa SELIC. No entanto, é possível obter uma rentabilidade maior por meio de um ágio. 

A consulta é feita no próprio site do Tesouro Direto

Títulos do Tesouro disponíveis
Títulos do Tesouro disponíveis

Vantagens do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Os títulos públicos oferecem uma série de vantagens como:

  • Renda Extra;
  • Maior Rentabilidade;
  • Ganhos de Curto Prazo;
  • Baixo Risco;
  • Baixo Custo;
  • Previsibilidade;
  • Liquidez;
  • Diversificação;
  • Acessibilidade;
  • Comodidade.

Renda Extra

Você recebe parte da rentabilidade de forma antecipada, a cada seis meses, opção interessante para quem precisa de uma renda regular.

Maior Rentabilidade

A rentabilidade é geralmente um pouco maior que a taxa de juros atual, pelo fato do risco dessa taxa subir e com isso você receber menos que um título pós-fixado.

Ganhos de Curto Prazo

O rendimento desta aplicação no curto prazo pode ser maior que a rentabilidade final do título, caso a taxa de juros venha a cair e você vender antes do vencimento.

Baixo Risco

Os títulos públicos são reconhecidos no mercado financeiro como aplicações seguras. Os pagamentos são garantidos pelo próprio Tesouro Nacional.

Baixo Custo

São necessários apenas R$ 30 para começar a aplicar, mas pode haver cobrança de taxas dependendo da instituição financeira contratada.

Previsibilidade

A rentabilidade total até a data de vencimento é conhecida antes mesmo da contratação. Mantendo o contrato até o vencimento, você resgata exatamente o que havia contratado.

Liquidez

Os pagamentos semestrais garantem a liquidez do investimento. Mesmo com a data de vencimento ainda distante, você recebe parte da rentabilidade a cada seis meses.

Acessibilidade

Trata-se de um investimento de fácil compreensão, aberto a todo tipo de clientes. Você não precisa de experiência prévia no mercado financeiro para aplicar.

Comodidade

Todas as operações são feitas online, sem burocracias ou intermediações além da que a sua instituição financeira faz com o próprio Tesouro Nacional. 

Por meio de plataformas e aplicativos recomendados pela própria instituição financeira, você acessa todos os dados, projeções e aplicações através da internet.

Desvantagens do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

No mundo dos investimentos, é natural que todas as aplicações também apresentem características que nem sempre são interessantes, veja as principais do Tesouro prefixado com juros semestrais:

  • Rentabilidade Menor;
  • Possibilidade de Perdas;
  • Demora no resgate;
  • Volatilidade;
  • Custo de Transferência.

Rentabilidade Menor

A rentabilidade desse título tende a ser menor que o prefixado sem juros, já que você recebeu antecipadamente parte da rentabilidade, através dos juros semestrais.

Possibilidade de Perdas

Você perderá dinheiro se vender antes do vencimento e taxa de juros subir. Nesse caso é indicado esperar a data do vencimento para garantir a rentabilidade prefixada.

Demora no resgate

Caso decida resgatar sua aplicação antes da data do vencimento, saiba que não vai ser simplesmente um procedimento a ser concluído na boca do caixa.

O resgate para esse tipo de aplicação leva 1 dia útil para acontecer. Então, planeje-se com antecedência, caso precise realizar o resgate a qualquer momento.

Volatilidade

A volatilidade é o risco de mercado de determinado título. É basicamente o quanto um título está sujeito às oscilações do mercado. Um título volátil, sofre variações diárias na rentabilidade.

Também há situações em que a rentabilidade chega a ser negativa — um reflexo do quão volátil é o Tesouro prefixado com juros semestrais.

Por isso, é recomendável que se resgate o investimento apenas na data de vencimento, para evitar perdas caso a antecipação do resgate seja necessária.

Custo com transferência

Caso decida vender seu título ou trocar de corretora, saiba que vai precisar arcar com todos os custos que a operação exige, como a taxa de transferência da operação.

Além disso, a rentabilidade do dia no momento da transferência também pode fazer com que a operação não seja financeiramente interessante.

Riscos do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

O Tesouro prefixado com juros semestrais e o investimento mais seguros do país. Mas nem por isso ele está livre de alguns riscos, sejam eles de mercado, crédito, juros ou inflação:

Risco de Crédito

O risco de crédito está associado a eventuais problemas do tomador do crédito (no caso, o Tesouro Nacional) em arcar com os pagamentos que lhe correspondem.

No entanto, por se tratar do próprio Tesouro Nacional, esse é um risco remoto demais, já que se trata de um órgão público, seguro e reconhecidamente confiável no mercado financeiro.

Risco de Mercado

Refere-se a perdas que podem decorrer da oscilação de indexadores como a inflação e a taxa SELIC, por exemplo.

Por isso, é recomendado por especialistas apenas em casos de queda da SELIC ou então para o caso de você conseguir aguardar até o vencimento para resgatar o título.

Risco de liquidez

O risco de liquidez acontece quando as reservas de uma instituição chegam ao ponto de serem insuficientes para arcar com seus compromissos financeiros nos períodos correspondentes.

Risco de oportunidade

Esse é o tipo de risco onde se deixa de ganhar uma rentabilidade maior com outro título.

No caso do Tesouro prefixado com juros semestrais, suponha o seguinte cenário: você compra um título com vencimento para daqui a 4 anos e, no terceiro ano, a SELIC sobe.

Isso vai fazer com que a rentabilidade do último ano da aplicação seja menor do que a de outros títulos disponíveis no mercado.

Taxas do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

As taxas do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais representam os custos que incidem tanto sobre a aplicação quanto para sua própria manutenção.

 Existem basicamente 3 taxas:

  • Taxa da B3 (Bolsa de Valores);
  • Taxa do Agente de Custódia;
  • Transferência Bancária (TED).

Taxa da B3 (Bolsa de Valores)

Trata-se da cobrança de 0,25% referente à própria custódia do título. Ao adquirir um título, ele não fica em posse nem do investidor nem da instituição financeira.

Ele é gerido pela B3, que fica responsável por sua manutenção e aplicação junto ao Tesouro Direto.

Ela difere das taxas administrativas e de custódia porque sua cobrança não é automática, ou seja: você precisa desembolsar o valor correspondente, pois ele não será descontado da aplicação.

A cobrança da taxa acontece nos chamados eventos de custódia, que são os seguintes:

  1. Pagamento de juros: nos casos de investimentos com pagamentos semestrais;
  2. Pagamentos semestrais: sempre nos dias 1° de janeiro e 1° de junho de cada ano em que o investimento ainda estiver aplicado;
  3. Venda antecipada dos títulos: onde o investidor paga um valor proporcional ao tempo em que ficou com o título;
  4. Vencimento do título: quando o título é resgatado ao fim do contrato.

Taxa do agente de custódia

Funciona como a taxa da B3 e pelas mesmas razões:

  • Paga a cada evento de custódia;
  • Pode variar dependendo da instituição financeira;
  • É uma cobrança extra, ou seja, não é descontada automaticamente da rentabilidade, como as taxas administrativas são.

Custo de transferência bancária

Nos casos de venda ou resgate do título, os valores das operações bancárias vão ser cobrados normalmente pelas instituições envolvidas.

Ainda que a instituição financeira seja o banco do qual você já é cliente, a taxa de transferência bancária vai incidir de qualquer jeito.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais Tributação

O Tesouro prefixado com juros semestrais sofre a incidência obrigatória do Imposto de Renda. Mas também pode sofrer incidência de IOF (Imposto sobre Operação Financeira) e taxas administrativas:

Imposto de Renda (IR)

O Imposto de Renda é aplicado de maneira regressiva. Quanto mais tempo o investimento se mantém aplicado, menor é o imposto incidente sobre ele, conforme a tabela abaixo:

Tabela Imposto de Renda – Tesouro Prefixado com Juros Semestrais
Tempo de permanência no fundoIR
até 180 dias22,5%
de 181 a 360 dias20%
de 360 a 720 dias17,5%
acima de 720 dias15%

No caso dos cupons semestrais, o Imposto Renda vai incidir sobre eles normalmente. 

Só é possível descontar a menor alíquota a partir do quinto cupom, que será pago mais de 720 dias da contratação.

Quanto maior o tempo do investimento, menor será o Imposto de Renda pago. Não venda seu título antes do prazo de 2 anos.

A recomendação faz todo o sentido se você pensar que somente a partir de dois anos é que o seu investimento sofrerá a menor incidência possível do Imposto de Renda.

IOF

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) só vai incidir se você resgatar a aplicação antes de 30 dias, conforme a tabela.

DiasIOF (%)DiasIOF (%)DiasIOF (%)
19611632130
29312602226
39013562323
48614532420
58315502516
68016462613
77617432710
8731840286
9701936293
10662033300

Suponha que você invista $ 1.000. Se resgatar o valor em 15 dias, vai pagar 50% de IOF. Se decidir esperar ao menos 29 dias para resgatar, será isento do IOF.

Para ganhar isenção da taxa de IOF, você precisa manter o investimento por pelo menos 30 dias.

Come Cotas

O come cotas é uma lamentável realidade com a qual os investidores têm que lidar inevitavelmente. Trata-se da antecipação da incidência do Imposto de Renda.

Se você reparar alguma dedução inesperada, não duvide: o come cotas passou pela sua rentabilidade. A incidência acontece sem qualquer tipo de aviso prévio por parte da Receita Federal.

Dicas para investir no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Para aproveitar ao máximo a rentabilidade do seu investimento no Tesouro Prefixado com Juros semestrais, observe as seguintes dicas:

Dica 1: Reserva de emergência

Antes de embarcar em um investimento de longo prazo, procure criar uma reserva de emergência. Ela será usada em situações imprevistas e você não vai precisar resgatar o investimento.

Dica 2: Rentabilidade

A rentabilidade aqui é menor do que outros investimentos de renda fixa, mas tem uma vantagem: ela é garantida. Você vai receber na data de vencimento exatamente o que contratou.

Dica 3: Prazo

Analise cuidadosamente o prazo do título e saiba se você vai mesmo poder esperar seu vencimento. Procure adquirir títulos para os quais você pode esperar a data de vencimento.

Dica 4: Queda dos Juros

Saiba que a queda da taxa SELIC pode provocar uma rentabilidade negativa na sua carteira. Nesse caso, proteja-se dessas oscilações e faça o resgate apenas na data de vencimento.

Dica 5: Renda Extra

Essa aplicação proporciona uma renda extra semestral. O cupom semestral representa 10% ao ano sobre o valor do título, proporcionando uma renda de 4,88% a cada seis meses.

Lembre-se que o valor dos cupons jamais se altera e essa renda é parte da rentabilidade total da aplicação, não representa seu valor integral.

Dica 6: Rendimento

Embora apresente rentabilidades inferiores a outros títulos de renda fixa — já que os juros são antecipados, o cupom semestral vale mais do que os pagos pelo Tesouro IPCA.

Dica 7: Tributação

O Imposto de Renda vai incidir de acordo com o tempo em que o investimento se mantiver aplicado. Além disso, ele também incide sobre os valores pagos pelos cupons semestrais.

Como Investir no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Basicamente, você só precisa do CPF válido, conta em uma corretora e acesso à internet. Mas preparamos um passo a passo para deixar as coisas ainda mais fáceis para você:

Passo 1. Tenha um CPF válido e uma conta num banco

Seu CPF precisar estar válido junto à Receita Federal e você deve ter uma conta em um banco;

Passo 2. Abra conta em uma corretora de valores

Escolha uma corretora de valores e abra uma conta. É ela quem vai intermediar seus investimentos no Tesouro Direto. Em outras palavras, ela será sua Agente de Custódia.

Passo 3. Faça seu cadastro no Tesouro Direto

O próprio site do Tesouro Direto oferece a possibilidade de se fazer o cadastro. Ele é simples e intuitivo. 

Basta ter em mãos o número do seu CPF e os dados das suas instituições financeiras (banco e corretora).

Passo 4. Verifique o e-mail com a senha provisória

Você vai receber um e-mail com uma senha gerada pelo próprio sistema. É altamente recomendável que você a altere. 

Passo 5. Troque a senha do site do tesouro

Faça a alteração de senha e escolha uma que seja fácil de memorizar e à qual apenas você tenha acesso.

Passo 6. Compre o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

  • Escolha o investimento com a sua corretora e transfira a ela o valor a ser investido;
  • Se desejar, você pode definir o valor de reinvestimento;
  • Caso precise fazer um resgate, tudo pode ser resolvido online, se você preferir não entrar em contato com sua corretora para isso.
Passos para investir no tesouro
Passos para investir no tesouro

Como Declarar o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Para declarar o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais no Imposto de Renda, será necessário incluir no software da declaração do IR os seguintes itens:

  • patrimônio investido na seção “Bens e direitos”;
  • lucros obtidos na seção “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”.

Bens e Direitos

Inclua todos os títulos no item “Bens e Direitos”, código 45 (Aplicações de renda fixa – CDB, RDB e outros).

Tela bens e direitos
Tela Bens e direitos

Nesta área, para cada título que comprar, vender ou manter naquele ano, deverá abrir uma ficha diferente

Descreva o nome do título, quantidade, d ata de compra e nome da instituição financeira que mediou a operação. 

Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva

Informe apenas os rendimentos de aplicações. Selecione o tipo de rendimento 06, informe o CNPJ e nome da instituição financeira e o valor.

Tela Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva
Tela Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva

Para saber mais detalhes a declaração dos seus investimentos, consulte o artigo Como Declarar Imposto de Renda Sobre Investimentos Sem Erro.

Quando Investir no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é melhor

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais ou Dividendos

O investimento em dividendos ocorre quando se adquire ações de uma determinada empresa. O pagamento é feito a todos os acionistas da empresa, seja em dinheiro ou em outras ações.

Trata-se de uma modalidade que oscila bastante com os indicadores do mercado. Então, é bom evitar se o objetivo é algo de longo prazo, como a compra de um imóvel.

Nesse caso, o Tesouro prefixado com juros semestrais é mais indicado, pois não vai sofrer as oscilações dos dividendos e você tem a segurança de já conhecer a rentabilidade antecipadamente.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais ou Fundos Imobiliários

Os fundos imobiliários são fechados e não é possível fazer resgates nessa modalidade: em vez disso, você vende suas cotas no momento em que achar mais oportuno.

Se você busca resgatar os valores aplicados, evite os fundos imobiliários, já que eles não oferecem a possibilidade de resgate.

No entanto, eles se apresentam como a melhor opção para o caso de aplicações em ativos imobiliários, como imóveis residenciais, sedes de empresas, hospitais, galpões, entre outros.

Dúvidas sobre Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Agora que você já conhece os detalhes da aplicação, que tal passar por algumas das dúvidas mais frequentes sobre Tesouro prefixado com juros semestrais?

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é garantido pelo FGC?

Sim. As aplicações são garantidas até o valor de R$ 250 mil por CPF e por banco.

Como investir mensalmente no Tesouro Prefixado com Juros Semestrais?

Basta informar ao seu banco o valor mensal a ser repassado para a corretora com o objetivo de aplicar mensalmente no Tesouro Direto.

Posso investir no mesmo Tesouro Prefixado com Juros Semestrais?

Sim, mas você deve se atentar ao nome dos títulos. Por exemplo: você compra um Tesouro prefixado com vencimento em 2025 e outro com vencimento em 2029. Trata-se de dois títulos diferentes.

Para ter mais de uma aplicação no mesmo título, digamos, é preciso aplicar em um Tesouro prefixado com o mesmo nome e data de vencimentos. 

O que acontece se vender o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais antes do vencimento?

Você perde a garantia da rentabilidade contratada. O título pode até render mais, mas as taxas e impostos que você vai pagar para isso vão afetar a rentabilidade líquida da aplicação.

O que acontece quanto o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais vencer?

Ele possibilita o resgate da aplicação em seu valor de face (montante investido somado aos juros).

Quando posso resgatar o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais?

O ideal é que o resgate seja feito apenas na data do vencimento, para assegurar a rentabilidade contratada.

No entanto, também é possível resgatar a qualquer momento, mas correndo o risco de perder dinheiro, já que os impostos que incidem podem ser diferentes do que foi planejado originalmente.

Como ganhar dinheiro com Tesouro Prefixado com Juros Semestrais?

É preciso ter paciência e perseverança para aguardar a data do vencimento para resgatar o título. Essa ainda é a melhor forma de se ganhar dinheiro aplicando no Tesouro prefixado com juros semestrais.

Qual a diferença entre Tesouro Prefixado com Juros Semestrais e IPCA?

O Tesouro prefixado com juros semestrais difere do Tesouro IPCA pois este último está indexado ao próprio IPCA.

O Tesouro IPCA vai sofrer variações diárias que vão afetar a rentabilidade final, o que não acontece com o Tesouro prefixado, cuja rentabilidade já é conhecida antes mesmo da contratação.

Porque o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais varia?

Porque ele está sujeito às oscilações naturais do mercado financeiro e de índices indexadores como a SELIC e o IPCA.

Esses fatores são particularmente relevantes d=se você decidir resgatar o título antes do vencimento ou revendê-lo a outros investidores.

Outros Investimentos da Renda Fixa

Além do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais, existem outros investimentos que preparamos para você entender melhor sobre o mundo da Renda Fixa:

Ferramentas e Sites Úteis

Existem algumas ferramentas e sites que serão bem úteis para a sua vida de investidor:

  • Calculadora do cidadão;
  • App Tesouro Direto;
  • Portal Como Investir;
  • Portal do Investidor;
  • Penso Logo Invisto.

Calculadora do Cidadão

A Calculadora do Cidadão é um aplicativo do Banco Central com várias calculadoras de Correção de Índices, Inflação, etc. Excelente para acompanhar os principais índices do mercado. 

App Tesouro Direto

Este é o aplicativo oficial do Tesouro Nacional para consultar seus investimentos em títulos públicos. Através dele você faz simulações, tira extrato e faz a compra e venda dos títulos. 

Portal Como Investir

Portal sobre educação financeira da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Muito conteúdo de qualidade para aprofundar seus conhecimentos em investimentos. 

Portal do Investidor

Portal sobre educação financeira criado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), com muito conteúdo sobre investimentos. 

Portal Penso Logo Invisto

E este é o Portal criado pela CVM com artigos sobre finanças comportamentais, investimentos e educação financeira. 

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais Vale a Pena?

Sim, vale. Seu dinheiro vai começar a trabalhar por você de um jeito simples e sem complicações. É o pontapé inicial para a compra daquele ou imóvel ou da tranquilidade na aposentadoria. 

Os valores resgatados na data de vencimento garantem a rentabilidade contratada e ainda podem ser reinvestidos em outros títulos, mantendo o investimento e gerando mais dividendos para você.

As principais vantagens são:


1. Ele é uma excelente alternativa para médio prazo (de 3 a 6 anos), já que possui o risco da alta de juros embutido;

2. Você saberá exatamente a rentabilidade no dia da compra do título;

3. A rentabilidade no curto prazo poderá ser maior que a rentabilidade do título, se a taxa de juros cair e você vender antes do vencimento;

4. A rentabilidade desse título geralmente é um pouco maior que a taxa de juros atual, pelo fato de você estar correndo um risco dessa taxa subir mais e com isso você acaba recebendo menos que um título pós-fixado;

5. Por fim, é uma interessante opção para quem precisa de uma renda regular para despesas pessoais, já que receberá a cada seis meses parte da rentabilidade.

Você já investe em algum título público? Sabe onde investir melhor na renda fixa?

Deixe a resposta nos comentários, quem sabe eu possa lhe dar algumas dicas para ajudar você a investir melhor o seu dinheiro.

Se ainda não investe me diga o que falta para começar…

Infográfico – O que é Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Infográfico: O que é Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais