O que é a Teoria do Prospecto?

A Teoria do Prospecto é um conceito da psicologia cognitivo comportamental que aborda os motivos de tomadas de decisões relacionadas aos seguintes aspectos da vida de uma pessoa:

  • Econômicos;
  • Financeiros.

Logo, sendo usada para analisar escolhas dentro desses contextos, o que faz com que seja conhecida ainda como teoria da perspectiva.

Segundo esse conceito, em sua maioria as pessoas tomam decisões considerando mais as possíveis perdas do que ganhos. Ou seja, quanto temos a perder ao invés de ganhar.

Basicamente, ela retrata e analisa a aversão a riscos por trás de cada escolha. Algo que a mente humana tende a nutrir muito mais, reduzindo sua capacidade de se arriscar para ir além.

No entanto, a Teoria do Prospecto vai um pouco mais além. Acontece que ela mostra como um indivíduo reage em duas situações, sendo elas de:

  • Perdas: quando uma pessoa está perdendo dinheiro, em geral, ela corre mais riscos se isso significar chances de recuperar seu dinheiro;
  • Ganhos: ao estar ganhando, a tendência da maioria é reduzir seus riscos para assegurar seu capital. Por exemplo, ao vender ativos quando estes estão tendo uma alta.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como Funciona a Teoria do Prospecto?

A Teoria do Prospecto funciona como uma ferramenta de análise da psicologia comportamental. Basicamente, ela demonstra como investidores avaliam situações de perdas e ganhos de maneira diferente.

De acordo com a teoria, os indivíduos tendem a colocar mais peso nos ganhos percebidos do que em suas perdas. O que faz com que ele considere mais os ganhos potenciais. 

Por exemplo, ao perder ele arrisca mais se enxergar oportunidades de ganhos. Enquanto ao ganhar, ele arrisca menos para manter seus lucros obtidos.

Chamada também, de teoria da aversão à perda, esse conceito foi iniciado em 1979. Mas, apenas em 1992 que foi desenvolvida então por Daniel Kahneman e Amos Tversky.

Assim, fazendo parte de outro conceito chamado de economia comportamental. Essa teoria descreve como escolhas financeiras e econômicas são feitas, entre:

  • Alternativas probabilísticas com riscos envolvidos e conhecidos;
  • Desconhecimento da probabilidade de resultados diferentes.

O comportamento dos indivíduos é explicado através do conceito de que toda escolha é única e independente. Por isso, a probabilidade de perda ou ganho tomada é de 50/50.

Em essência, a probabilidade de ganho é sempre considerada mais alta. Apesar de não haver diferença nos ganhos ou perdas, os investidores irão escolher aquela que possui mais ganhos percebidos.

Isso acontece porque, segundo a Teoria do Prospecto, uma situação de perda sempre causa um impacto emocional maior. Ou seja, se compararmos com as situações de ganho.

Portanto, quando se tem duas escolhas e ambas oferecem o mesmo resultado, a opção que tiver mais ganhos percebidos prevalecerá. 

Como a Teoria do Prospecto é Composta?

Durante a fase de pesquisa e teorização, os dois desenvolvedores da Teoria do Prospecto criaram um questionário. Durante sua aplicação, eles identificaram os 3 efeitos que a compõem.

Efeito certeza

O efeito certeza discorre sobre a tendência de tomar decisões a favor de eventos esperados ou certos. Em detrimento daqueles que são considerados prováveis porém incertos. 

Por exemplo, escolha um rendimento de 10% ao invés de um incerto que pode chegar até 15% do valor investido e com riscos de perdas maiores. 

Efeito reflexão

O efeito reflexão é aquele que se relaciona com o comportamento cognitivo no qual as perdas causam mais impactos do que ganhos. 

Mesmo em situações nas quaisno valor é igual. Basicamente, o efeito demonstra como os indivíduos em geral tem aversão às perdas tanto quanto aos riscos.

Efeito isolamento

O efeito isolamento é aquele que demonstra como em situações de escolha que possuem mais de uma fase, focamos apenas nas que mais nos agradam. Ou seja, as isolamos das demais de modo a fazer parecer que a decisão foi simples. Ao invés de olhar para todas as partes de um problema o analisando como um todo.