O que é Teoria de Dow?

Criada por Charles Dow, a Teoria de Dow relaciona-se às variações nas tendências que movem o mercado de ações. Ou seja, ela serve para detectar e apontar tais mudanças, favorecendo:

  • Aplicações de capital;
  • Negociações.

Desenvolvida a mais de 100 anos e até hoje muito importante, essa é uma ferramenta de análise gráfica usada na avaliação de preços das ações.

A teoria baseia-se na ideia de que preço no mercado de ações representa todas as informações disponíveis no momento. Logo, o movimento do mercado é composto por 3 principais tendências: 

  1. Tendência primária: considerado o principal movimento deste mercado, que pode ter duração de meses a anos. É uma tendência de longo prazo formada por um gráfico com um maior zigue-zague;
  2. Tendência secundária: é o movimento médio do mercado, variando entre 10 dias até 3 meses. Uma tendência de médio prazo e o padrão do seu zigue-zague é considerado mediano;
  3. Tendência terciária: são todos os movimentos menores presentes neste mercado, representado por aqueles com duração entre horas a 1 mês. Tendência de curto prazo sugerida pela amplitude reduzida no gráfico em zigue-zague.

Como dito antes, essa teoria é traduzida por meio de gráficos. Portanto, o zigue-zague representa a formação de momentos de alta (ascendente) e de baixa (descendente).

O criador da teoria, o jornalista e empresário norte-americano Charles Dow, é conhecido também por ser um dos fundadores da Dow Jones & Company e do famoso Índice Dow Jones.

Ambos desenvolvidos ao lado de Edward Jones, jornalista e estatístico estadunidense. O índice é até hoje um dos mais relevantes dentro do mercado financeiro, sendo usado em todo o mundo.

No entanto, nos dias atuais, a Teoria de Dow passou por atualizações realizadas por Nelson, Schaefer, Hamilton e Rhea. Assim, mantendo-a funcional ao considerar as novas características do mercado de ações.

Quais são os Princípios da Teoria de Dow?

A Teoria de Dow, uma ferramenta de análise gráfica de ações, possui seis princípios. Também conhecidos como princípios de Dow que abordaremos mais a fundo a seguir.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Os índices refletem as novidades

Se o mercado de ações tem seus preços refletidos pelas novidades do mercado, isso significa que os índices já descontam tudo. O mercado é eficiente pois incorpora todas as novidades em seus preços.

O mercado possui 3 tendências

As tendências primárias, secundárias e terciárias. Sendo a primeira mais forte e movimentada, enquanto a segunda tem variações de acordo com o mercado. 

Já a terceira é aquela que possui menores impactos. Essas tendências são comumente usadas para guiar investidores em sua tomada de decisões.

Tendências primárias possuem 3 fases

As tendências primárias foram aquelas as quais Dow mais deu atenção em sua teoria, sendo elas compostas da seguinte forma: 

  1. Fase de acumulação: é aquela com melhor oportunidade de compra, pois todas as novidades negativas foram assimiladas pelo mercado indicando uma possível reversão e seu movimento de alta;
  2. Fase de participação pública: para investidores que atuam seguindo tendências do mercado, esse período marca o momento da compra de ações que geram movimentos relevantes de alta;
  3. Fase de distribuição: na qual, o volume de operações no mercado eleva consideravelmente, o que é ocasionado por notícias que envolvem a Bolsa de Valores. Esse é o momento onde investidores lucram.

Índices e médias do mercado devem se confirmar

Todos os índices e médias relacionados devem seguir um mesmo caminho. Isso porque eles são fundamentos, ou seja, se baseiam em aspectos semelhantes

As tendências se confirmam pelo volume

Um fator secundário na Teoria de Dow, mas não menos importante, o volume é usado para identificar tendências e variações nos preços das ações. Isso quer dizer que: 

  • Quando há uma tendência de alta é esperado que o volume no mercado aumente com o tempo;
  • Quando há uma tendência de baixa, então, o esperado é uma queda no volume.

As tendências existem quando há a sinais de reversão

Uma tendência permanece quando o mercado não aponta sinais de reversão em seus movimentos. Algo que é analisado, em geral, com auxílio de outros indicadores de análise técnica

Para que Serve a Teoria de Dow? 

A teoria de Dow serve para que investidores obtenham uma análise mais fundamentada do mercado. De modo que consigam tomar decisões melhores e mais assertivas ao investir em ações.

O motivo por trás disso é que a teoria indica que assim que uma informação se torna conhecida no mercado, isso reflete no preço das ações

Em outras palavras, a precificação desses ativos espelham todas as notícias e novidades fundamentais. 

Ainda segundo essa teoria, os mercados financeiros tem que se ajustar em uma mesma direção sempre que o mercado de ações encontra-se em uma tendência de: 

  • Baixa (ou); 
  • Alta.

Na prática, os índices devem possuir uma média apontada para uma única direção. Por exemplo, se uma economia cai, os lucros desse segmento devem reduzir em resultado da baixa demanda.