O que é Taxas de Longo Prazo – TLP?

As Taxas de Longo Prazo, conhecidas como TLP, representam um novo modelo de taxa básica de juros estabelecido pelo Governo aos empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Ela foi criada para substituir a antiga taxa chamada de Taxa de Juros de Longo Prazo. Desse modo, está em vigor desde o dia 1° de janeiro de 2018.

De forma resumida, a TLP é um dos componentes da taxa de juros que é aplicada aos empréstimos concedidos por esse banco. Junto a ela, são somados ainda:

  • Spreads - as remunerações do BNDES e dos bancos que repassam o valor;
  • Taxa de risco existente em cada operação.

No caso do último valor, são considerados: perfil do cliente que solicita o empréstimo, volume do capital emprestado e tipo de operação.

O público-alvo desses empréstimos são os empreendedores, que visam estimular a expansão e a criação de negócios. 

Desse modo, sendo também quem são mais afetados pela Taxa de Longo Prazo (TLP). Seja o empreendedor um PJ (pessoa jurídica) ou até mesmo atuando como PF (pessoa física).

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Quais as diferenças entre a TLP e a TJLP?

Para que você consiga entender a diferença entre ambas as taxas, preste atenção: a taxa de juros antiga, a TJLP era definida a partir das metas inflacionárias.

Muitas vezes, inclusive, sua cobrança ficava abaixo da média praticada no mercado, gerando um déficit. Em relação aos bancos comerciais e à própria taxa básica de juros da economia, a Selic.

No seu cálculo, considerava-se o valor acumulado por tais metas nos últimos 12 meses. A taxa era atualizada trimestralmente, sempre no último dia antes do fim do período em vigência. 

Apesar de ser divulgada pelo Banco Central, era o Conselho Monetário Nacional o responsável por determinar seu valor. Outro ponto importante, é que a TJLP era determinada por um órgão governamental.

Com isso, ficava sujeita a influências políticas que beneficiavam os interesses desse órgão. Ou daquelas empresas que tinham acesso a linhas de crédito muito mais acessíveis.

Os empreendedores não tinham esse acesso facilitado, logo, para o BNDES os valores acabam sendo maiores. 

Portanto, uma das maiores diferenças para as Taxas de Longo Prazo, TLP, está na desassociação política na definição dos juros. Além da capacidade de nivelamento em relação ao mercado.

Como Calcular as Taxas de Longo Prazo – TLP?

As Taxas de Longo Prazo, TLP, são compostas por duas parcelas, sendo cada uma delas orientada por:

  1. Juros reais pré-fixados: por meio da moeda contratual chamada TLP-Pré, não sofrendo nenhuma variação no decorrer do contrato;
  2. Metas da inflação: por meio do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), sendo variada.

A fórmula utilizada para calcular essa taxa de juros é: 

TLP = Juros Reais Pré-fixados (TLP-Pré) x Inflação (IPCA).

Todo mês o Banco Central divulga os valores do TLP-Pré e do IPCA. Contudo, o IPCA acaba valendo apenas depois do 15° dia de cada mês. 

A fim de chegar ao valor final da taxa, são considerados ainda outros aspectos importantes, como já mencionamos antes. São eles:

  • Perfil do cliente tomador do empréstimo e o grau de risco de inadimplência que ele representa;
  • Spread bancário no período.

Quais as Vantagens das Taxas de Longo Prazo – TLP?

A substituição da TJLP pelas Taxas de Longo Prazo (TLP) é justificada pelas suas vantagens que a tornam bem mais atrativa dentro do mercado financeiro, sendo elas:

  • Alinhamento com o mercado: o TLP é uma taxa que se nivela e ajusta a média do mercado financeiro, tornando-se sustentável para o BNDES e facilitando sua capacidade de estimular o desenvolvimento empresarial no país;
  • Redução de custos públicos: ao contrário da TJLP, a TLP promove um nivelamento que reduz a necessidade de uso do dinheiro público para cobrir os déficits antes causados nos cofres do BNDES;
  • Competitividade: promovida pelo alinhamento com o mercado, de modo que o custo de crédito para pequenas e médias empresas pode ser melhor nivelado, abrindo espaço para competição com empresas maiores; 
  • Previsibilidade: essa nova taxa de juros se torna mais previsível devido ao uso da inflação em seu cálculo, juntamente aos demais fatores considerados.

Uma maior eficiência no uso do dinheiro público é um dos pontos alcançados, o que em consequência gera outras vantagens. Por exemplo, a aplicação de capital em outros programas de incentivo.

Isso fortalece a capacidade de competir das pequenas e médias empresas em relação aos principais clientes do BNDES que são grandes empresas, em especial, da região sudeste do país.