O que é Taxa de Câmbio?

A taxa de câmbio representa o preço de uma moeda estrangeira referente à moeda nacional (Real), sendo possível comparar a taxa de câmbio do real com qualquer outra moeda em circulação.

Para melhor compreensão, tomemos o dólar (moeda norte-americana) como exemplo, e compararemos com o Real (moeda nacional).

A partir daí devemos fazer a seguinte pergunta: são necessários quantos reais para a compra de um Dólar?

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Neste caso, o valor em moeda nacional (Real) necessário para comprar um dólar será a taxa de câmbio da moeda naquele instante.

Como já dissemos, a taxa de câmbio representa o valor de qualquer moeda estrangeira em termos da moeda nacional, contudo, devemos dizer que a moeda utilizada como referência mundial é o dólar.

Existem diversos fatores que são responsáveis por alterar a taxa de câmbio, como por exemplo, a oferta e demanda de moeda, além de outros fatores políticos e econômicos.

Portanto, as taxas de câmbio são determinadas através desses fatores e por meio do chamado regime cambial.

Na sequência iremos examinar os tipos de regimes cambiais, tomando como referência os três tipos seguintes: câmbio flutuante, câmbio fixo e câmbio atrelado.

Regime de Câmbio Flutuante

Neste tipo de regime cambial não há intervenção do Governo para determinar ou alterar a taxa de câmbio, ou seja, é determinada pelo mercado.

Portanto, a taxa de câmbio do país fica a par do acordo com a oferta e demanda do mercado.

Devemos dizer que mesmo o controle do preço da moeda estando nas mãos do mercado, pode haver intervenção do Banco Central, se houver a chamada “Flutuação suja”, para impedir descontroladas variações nas taxas.

Portanto, no regime de flutuação suja, há um limite para o nível de valorização ou desvalorização da taxa de câmbio.

Sendo assim, quando esse limite é extrapolado, a instituição monetária do país deve intervir para controlar o preço das moedas.

Regime de Câmbio Fixo

Neste regime é determinado, pela autoridade monetária do país, um valor fixo da moeda estrangeira em detrimento da moeda nacional. A conversão do preço é garantida pelo Banco Central.

O objetivo nesse regime de câmbio é obter uma maior estabilidade do valor da moeda, eliminando o risco cambial e usufruindo de um maior controle sobre a inflação.

Regime de Câmbio Atrelado

Podemos dizer que esse regime refere-se a uma união dos outros dois apresentados acima, ou seja, uma união do câmbio flutuante com o câmbio fixo.

Neste caso, a taxa de câmbio de uma moeda estrangeira oscila diariamente dentro de um limite estipulado pelo Governo.

O Banco Central atua, tendo como objetivo, manter o preço da moeda dentro do limite estipulado.

Como a Taxa de Câmbio pode afetar a economia?

A taxa de câmbio pode influenciar de várias formas a economia de um país. Dedicaremos-nos, neste ponto, a analisar sua influência sobre a balança comercial e a inflação.

Tomemos o Brasil como exemplo e comecemos nossa análise sobre a balança comercial.

Se em dado instante o câmbio do Brasil se encontrar sobrevalorizado, significa que os bens produzidos internamente se tornaram mais caros frente ao comércio internacional.

Por outro lado, os bens produzidos fora do Brasil se tornam mais baratos, tendo em conta a sobrevalorização do câmbio.

De maneira lógica, o resultado pode ser um aumento do nível das importações, frente a uma queda do nível das exportações, tornando a balança comercial deficitária.

Por outro lado, um câmbio desvalorizado pode ocasionar uma pressão inflacionária representada pela inflação de custo.

Para melhor compreensão, imaginemos o seguinte exemplo: Para o Brasil produzir o bem A, deve-se importar meios de produção – máquinas e equipamentos, por exemplo – contudo, com o câmbio desvalorizado, os bens importados se tornam mais caros.

Dessa forma a produção interna fica mais cara e os preços referentes aos seus custos (de produção) são passados ao consumidor.