O que é a Tabela Regressiva de Imposto de Renda?

Não há como evitar o imposto de renda (IR). Todos aqueles que têm investimentos financeiros ou ganham mais, devem reportar suas contas ao leão (Imposto de Renda) todos os anos.

No entanto, compreender o significado da tabela de declaração de imposto de renda pode ajudá-lo a economizar dinheiro.

De um modo geral, os investimentos brasileiros em renda fixa seguem uma regra prática: quanto mais longo o investimento dos fundos, menor é o alívio do imposto de renda (IR).

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Os investimentos de renda fixa sofrem incidência de dois impostos: o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e o IR (Imposto de Renda).

Ambos os impostos usam como base de cálculo apenas os rendimentos, ou seja, só o montante pago de juros pela aplicação.

Por isso, mesmo se forem cobradas as mais altas porcentagens previstas, você tem de volta o valor investido inicialmente.

Tanto o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) como o IR (Imposto de Renda) seguem suas próprias tabelas regressivas do imposto de renda. Isso quer dizer que quanto maior o intervalo de tempo pelo qual o dinheiro ficar aplicado, menor a parcela retida.

Esta dedução é sempre feita no momento do resgate ou transferência e tem como base apenas o lucro gerado pelo investimento.

A tabela regressiva do imposto de renda é um método descoberto pelo governo federal para incentivar os investidores brasileiros a continuar investindo pelo maior tempo possível e promover o crédito de longo prazo

Como funciona a Tabela Regressiva de Imposto de Renda?

Os investimentos de Renda Fixa que não são isentos de tributação (como a Poupança) possuem uma tabela regressiva do Imposto de Renda como referência, com alíquotas de abatimento que vão reduzindo com o passar do tempo. Para calcular, basta aplicar a alíquota correspondente ao tempo decorrido do investimento.

TEMPO DE INVESTIMENTO / ALÍQUOTA

  • Entre 0 e 180 dias / 22,5%;
  • Entre 181 e 360 dias / 20%;
  • Entre 361 e 720 dias / 17,5%;
  • Acima de 721 dias / 15%.

Como você pode ver, são necessários dois anos para atingir a alíquota mínima do Imposto de Renda (IR). No entanto, é necessário levar em conta quais são seus objetivos ao fazer o investimento.

Se você está pensando em deixar o dinheiro aplicado até fazer uma viagem no ano que vem, ou separando uma quantia para o pagamento das contas que chegam todo começo de ano, o resgate com uma alíquota maior se justifica. Afinal, você vai precisar daqueles recursos financeiros.

Se o seu objetivo é poupar para a aposentadoria, entretanto, é melhor aplicar em títulos com vencimento mais longo, para usufruir das vantagens de pagar menos impostos e tributações.

Para quem é indicado a Tabela Regressiva?

Antes de escolher entre a tabela regressiva ou progressiva, é importante avaliar se o plano é benéfico para seus objetivos.

Em suma, esse sistema tributário é adequado para quem planeja investir há muito tempo e não tem planos de resgate nos próximos anos.

Afinal, considerando que as taxas de impostos vão cair com o tempo, essa tabela é perfeita para quem pretende aproveitar o dinheiro e pagar menos impostos ou tributações no futuro.

É o caso das pessoas que utilizam a previdência privada para garantir a aposentadoria, e que desejam possuir rendimentos vitalícios.

No entanto, para que a tabela regressiva valha a pena, é importante que você se certifique de que não precisará dos fundos de investimentos nos próximos dois anos para atingir a menor taxa possível (15%).

Se você precisa fazer um resgate menor ou deseja obter recursos em um prazo menor, o melhor é escolher uma tabela progressiva