O que é status quo?

A expressão status quo, que também pode ser chamada de statu quo, vem do latim e significa estado das coisas.

Este conceito foi amplamente utilizado no contexto das guerras por volta do século 18 como uma forma de se referir ao estado de coisas antes do conflito (situação pré-guerra).

Porém, hoje em dia, a expressão também representa o estado atual de algo ou a situação em que algo está localizado. Esse conceito é frequentemente usado em frases como "manter o status quo", "defender o status quo" ou "mudar o status quo".

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Essa expressão é frequentemente utilizada em discursos politizados, defendendo a permanência de uma determinada cena ou desencadeando mudanças nos modelos mentais ou nas condições sociais.

Como funciona o status quo no dia a dia?

Embora esse conceito seja usado para expressar as ideias de revolução social, ele também pode ser usado de forma mais simples na prática diária.

Por exemplo, quando o despertador toca de manhã e você não quer se levantar, você está indo a ideologia status quo, afinal, você quer ficar naquela situação.

Embora apareça no contexto da guerra, o termo "status quo" pode ser usado em muitas situações. Por exemplo, se você trabalha em uma empresa onde o tempo está estagnado, você pode inspirar as pessoas a "mudar o status quo" e a inovar.

Em outras palavras, você pode usar essa expressão em qualquer situação que envolva manter, desafiar, defender ou considerar o estado atual de algo - seja uma empresa, um mercado ou uma ideia.

É o viés do status quo que faz você sempre escolher o sabor de hambúrguer que mais gosta. Ou continuar trabalhando como de costume. Além do mais, e sempre querer se mudar para outro canto do mundo, mas nunca mover uma palha para realizar seu sonho.

Todas essas coisas acontecem porque, embora a conjectura atual não seja a mais favorável, é a mais conhecida. Já sabemos o quão gostoso é o hambúrguer, desenvolvemos técnicas para evitar ao máximo os chefes chatos e nos integramos à comunidade local.

A mudança traz medo e emoções desconfortáveis ​​de insegurança. Vários fatores, como o custo financeiro e psicológico de mudar e o medo do arrependimento, podem ser responsáveis por essa resistência à mudança.

O hambúrguer para uma salada, o novo emprego pode ser mais assustador do que o trabalho atual, e a cidade dos sonhos pode ser solitária e perigosa.

Obviamente, se olharmos de forma crítica, perceberemos que esses desastres são improváveis ​​de acontecer e que se acontecer podemos superá-los.

Qual a conclusão em relação ao status quo?

O comportamento de manter o status quo é comum em muitos campos. Por exemplo, o comportamento aplicado ao setor financeiro pode ser desastroso, pois as opções pré-selecionadas permitem que as pessoas consumam produtos e serviços de que não precisam, simplesmente pela forma como são prestados.

Normalmente, ao assinar um contrato de produto ou serviço, as pessoas são orientadas a comprar coisas de que não precisam juntas, sob o argumento de que só cobrarão quando consumirem ou encontrarão uma opção de renovação automática que foi selecionada.

Esse tipo de estratégia de vendas recorre ao viés do status quo e se baseia na suposição de que muitas pessoas ignoram que há opções ou permanecem inertes, não agem e silenciosamente escolhem adquirir.

Quando uma pessoa decide conscientemente permanecer no estado atual, por sentir que isso satisfaz razoavelmente suas necessidades, e não possui elementos suficientes para avaliar os benefícios e riscos da mudança final, isso não é necessariamente um preconceito.