O que é a Standard & Poor's (S&P)?

Standard & Poor's (S&P) é uma das empresas mais tradicionais do mercado financeiro, estando situada nos EUA. 

Ela é uma das empresas mais conhecidas no mundo como criadora de índices de mercado financeiro, como o S&P 500, além de ser uma importante fonte de dados.

Um dos seus principais trabalhos é a emissão de classificação de riscos de crédito, dando notas (rating) para vários ativos de dívidas, como títulos de dívida pública e debêntures.

A empresa é antiga, uma vez que suas raízes remontam à década de 1860. Atualmente apresenta escritórios em 26 países e desde 2016 passou a se chamar S&P Global.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

História da Standard & Poor's (S&P)

A Standard & Poor's cresceu a partir de duas empresas: Poor's Publishing e o Standard Statistics Bureau.

A primeira era uma editora de guias do setor ferroviário que foi oficialmente fundada em 1868.

Já a Standard Statistics Bureau foi fundada em 1906, e publicava dados financeiros sobre as empresas. 

Em 1923, divulgou seu primeiro indicador do mercado de ações, que contava com 233 empresas. Enquanto isso, a Poor's Publishing emitiu sua primeira classificação em 1916.

As duas empresas se fundiram em 1941, para criar a Standard & Poor's.

A McGraw-Hill Cos. comprou a S&P em 1966. 

Em 2012, a Standard & Poor's combinou suas operações de índice com os índices Dow Jones (de propriedade da McGraw-Hill) para se tornar a líder em índices do mercado de ações.

Em 2016, a McGraw Hill Financial se rebatizou como S&P Global

As divisões da S&P Global incluem S&P Global Ratings, S&P Global Market Intelligence, S&P Dow Jones Indices e S&P Global Platts. 

A empresa tem mais de 1.400 analistas de crédito. No geral, mais de 1,2 milhão de classificações de crédito foram emitidas para governos, empresas, setor financeiro e títulos.

Com isso, a S&P se coloca como uma das principais pesquisadoras de risco de crédito do sistema financeiro mundial.

O seu trabalho cobre vários setores, benchmarks, classes de ativos e regiões geográficas. 

Os principais concorrentes da S&P para classificações de crédito incluem a Moody's Investors Service e Fitch Ratings, e para índices financeiros existe o Bloomberg Business Services.

Como funciona o rating da Standard & Poor's (S&P)?

O rating é uma nota emitida por agências de classificação de risco, que classificam os ativos conforme o risco de pagamento para os investidores.

Notas de rating mais altas são associadas a ativos com baixo risco e, consequentemente, menores rendimentos.

Já as notas de rating mais baixas são aplicadas a ativos problemáticos, com probabilidade de inadimplência considerável.

Para um título de renda fixa, uma agência de classificação avaliará a segurança relativa do título com base no quadro financeiro da entidade emissora.

Neste caso, é examinado a capacidade do emissor de reembolsar o principal e fazer os pagamentos de juros até o prazo de vencimento do papel.

Abaixo temos as notas de classificação de risco dadas pela Standard & Poor’s, dispostas da mais alta para a mais baixa:

  1. Rating com grau de investimento
  • AAA
  • AA +
  • AA
  • AA-
  • A +
  • A
  • A-
  • BBB +
  • BBB
  • BBB-
  1. Rating com grau especulativo
  • BB+
  • BB
  • BB-
  • B+
  • B
  • B-
  1. Rating de ativos vulneráveis e de não pagamento
  • CCC
  • CC
  • C
  • D

Os ativos classificados com rating dentro do grau de investimento indicam ativos seguros, de baixo risco, enquanto que o sinal (+ ou -) indica uma tendência futura de melhora ou piora.

Os ativos classificados com rating de grau especulativo são ativos mais arriscados e que, portanto, pagam um maior rendimento.

Já aqueles classificados com nota de não pagamento significa que são ativos de instituições ou organizações que estão em atraso no pagamento da dívida ou decretaram falência.

O que é o S&P 500?

S&P 500 é um índice de ações que mede a capitalização de mercado das 500 maiores empresas de capital aberto dos EUA.

O índice é considerado como o melhor indicador de ações dos EUA

O S&P 500 rastreia a capitalização de mercado das empresas em seu índice. 

A capitalização de mercado é o valor total de todas as ações emitidas por uma empresa, que é calculado multiplicando-se o número de ações emitidas pelo preço da ação. 

Por exemplo, uma empresa com valor de mercado de US$100 bilhões recebe 10 vezes a representação de uma empresa com valor de mercado de US$10 bilhões. 

Um comitê seleciona cada uma das 500 empresas do índice com base em sua liquidez, tamanho e setor. Ele reequilibra o índice trimestralmente, em março, junho, setembro e dezembro.

Para se qualificar para o índice, uma empresa deve estar nos Estados Unidos e ter uma capitalização de mercado não ajustada de pelo menos US$8,2 bilhões. 

Outro requisito é que a empresa deve ter, no mínimo, 50% das ações disponíveis ao público, ou seja, 50% de free float

O preço das ações deve ser de pelo menos US$1,00 por ação, deve apresentar pelo menos 50% de seus ativos fixos e receitas nos Estados Unidos e ter ao menos quatro trimestres consecutivos de ganhos positivos.

Por fim, as ações devem estar listadas na Bolsa de Valores de Nova York, Investors Exchange, Nasdaq ou na  BATS Global Markets.

Por conta desses critérios, o S&P 500 acaba não captando exatamente as 500 maiores empresas dos EUA, embora seja um indicador aproximado disso.