O que é Selic Over?

Selic Over é a taxa de juros diária cobrada nas transações interbancárias que são realizadas sob o lastro de títulos públicos.

A taxa Selic Over é calculada a partir da média ponderada das operações realizadas no sistema Selic.

Diferentemente da Selic meta, a Selic Over é considerada a real taxa Selic, aquela que efetivamente é cobrada para a remuneração dos títulos públicos. 

Por ser calculada diariamente, a Selic Over possui certa volatilidade, ainda que não seja expressiva.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona a Selic Over?

Diariamente, os bancos comerciais precisam fechar o caixa no azul. 

Porém, nem sempre isso acontece. Quando o saldo de algumas instituições financeiras fica negativo, é necessário fazer uma espécie de empréstimo com os outros bancos.

Dessa forma, as companhias que estão com mais dinheiro em caixa emprestam valores para aquelas que estejam precisando. 

A troca deve acontecer com o prazo máximo de um dia, em um procedimento conhecido como overnight e em um mercado chamado interbancário.

Portanto, o tomador do empréstimo deve pagar o valor emprestado já no dia seguinte.

Para conceder esse recurso, os bancos fazem a operação com a cobrança de juros, e exigem uma garantia para que a transação seja efetuada.

Nesse caso, as instituições que cedem o valor pegam títulos públicos como garantia do crédito dos bancos que tomam o empréstimo.

A taxa Selic Over é, então, o valor médio dessas operações que acontecem de um dia para o outro.

Diferença entre Selic Meta e Selic Over

Selic Over, ou seja, a taxa Selic efetiva, não é a mesma que a taxa Selic anunciada pelo Banco Central. Esta é chamada de Selic meta

Selic meta, ou meta Selic, é a meta estabelecida pelo Banco Central (BC) para a taxa de juros básica (taxa Selic) da economia brasileira em um determinado período de tempo.

A Selic meta é um dos instrumentos de política monetária mais importantes.

É um indicativo do valor da taxa de juros que o BC utiliza para nortear suas ações no mercado monetário.

A meta indica apenas qual será o valor que o BC tem como referência para levar a taxa Selic, através de operações no mercado aberto de títulos públicos.

Entretanto, como o BC apresenta o monopólio no mercado monetário, dificilmente a meta para a taxa Selic não é cumprida.

Na prática, a Selic Meta é executada por, pelo menos, 45 dias – o prazo entre as reuniões do Copom. Já a Selic Over é uma taxa diária, que pode mudar todos os dias.

Ou seja, enquanto a Selic Meta é definida por membros do Copom, a Over é calculada com base nas operações interbancárias. 

Assim, a Selic Over é uma taxa encontrada através da média realizada entre os empréstimos bancários que são lastreados com títulos públicos.

O que é Selic

SELIC é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia

É um sistema para registro e custódia de transações com títulos públicos federais (títulos do Tesouro e do Banco Central) e depósitos interfinanceiros.

O SELIC foi criado em 14 de novembro de 1979, em uma parceria do Banco Central do Brasil com a Associação Nacional das Instituições do Mercado Aberto – ANDIMA.

Vale lembrar que o Selic não é a mesma coisa que a Taxa Selic, embora muitos se refiram ao primeiro como sendo a própria taxa de juros.

A Taxa Selic é a taxa de juros que baliza as operações que existem dentro do sistema Selic.

Resumindo, Selic é uma infraestrutura do mercado financeiro administrada pelo BC. 

Nele são transacionados títulos públicos federais, de modo que a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados nesse sistema corresponde à taxa Selic.​

O que é Taxa Selic?

A taxa de juros Selic é a taxa que baliza a troca de reservas entre as instituições financeiras. 

​A taxa Selic é a taxa básica de juros da economia

É o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação. 

Ela influencia todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, dos financiamentos e das aplicações financeiras.

Mais especificamente, a Circular 2.900, de 24 de junho de 1999, define a taxa Selic como a “taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC) para títulos federais''. 

Com isso, ficam incluídas todas as operações de troca de reservas por um dia entre instituições financeiras e entre essas e o Banco Central no cálculo desta taxa de juros. 

Como resultado, a taxa Selic refere-se à taxa de juros apurada nas operações de empréstimos de um dia entre as instituições financeiras que utilizam títulos públicos federais como garantia. 

Esta circular estabelece também que, a partir desta data, a política monetária passa a ser regida pela fixação de metas para a taxa Selic e seu eventual viés – elevação ou redução potenciais da meta da Selic.

Para isso, o BC opera no mercado de títulos públicos para que a taxa Selic efetiva esteja em linha com a meta da Selic definida na reunião do Comitê de Política Monetária do BC (Copom).

Essas operações são feitas através de leilões no mercado aberto, e podem participar todas as instituições cadastradas no sistema Selic.

O objetivo da administração da taxa Selic é o cumprimento da meta de inflação, conforme estabelecido pelo Decreto no 3.088, de 21 de junho de 1999.