O que é seguradora?

Seguradora é uma empresa que negocia riscos com pessoas e empresas em troca de um “prêmio”.

Em outras palavras, a seguradora é aquela que assume determinado risco por alguém que contrata seus serviços em troca de um pagamento feito previamente ou periodicamente (prêmio de risco).

Quando alguém negocia um risco com uma seguradora se diz que essa pessoa ou empresa fez um seguro contra os riscos de perda de um ativo.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona uma seguradora?

Uma seguradora trabalha com diversos tipos de clientes, cobrindo o risco de bens como automóveis, imóveis, ativos financeiros, seguro de vida entre outras coisas mais.

Para isso, as seguradoras recebem um prêmio (seguro) para arcar com o risco de prejuízo que seus clientes podem ter em relação aos seus bens.

O custo da apólice de seguro é determinado com base no valor do bem e no risco de prejuízo.

Assim, quanto mais caro for um bem e quanto mais arriscado for um possível sinistro, mais caro é o valor do seguro.

No Brasil, as seguradoras são fiscalizadas pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), uma autarquia federal que também controla os mercados de capitalização, resseguro e previdência complementar aberta.

O trabalho da seguradora funciona da seguinte forma:

  • Suponhamos que tenha ocorrido uma situação adversa com um bem assegurado por uma corretora, como um furto ou acidente.
  • A pessoa que contratou a seguradora tem a possibilidade de pagar uma taxa de franquia, para que a empresa contratada arque com os gastos integrais do seu bem. 
  • Esta condição, no entanto, precisa estar descrita na apólice de seguro.

Para facilitar o seu entendimento, veja alguns termos em sua definição simplificada: 

  • Apólice de seguro: é o documento que formaliza o contrato entre a seguradora e o segurado (pessoa física ou empresa);
  • Franquia: taxa obrigatória para que o segurado utilizar o que está assegurado e protegido de acordo com sua apólice;
  • Prêmio: é o valor que deve ser pago à seguradora pela pessoa ou empresa que contratou uma apólice.  

O que é um seguro?

Um seguro é um contrato feito entre uma pessoa ou empresa e uma seguradora, que consiste em um instrumento que protege de um eventual prejuízo (sinistro) causado por várias coisas possíveis.

Esse contrato estabelece que alguma pessoa, bem material, patrimônio ou outro objeto – chamado de segurado – possuem cobertura contra determinados riscos.

Os riscos possíveis que são cobertos pelo seguro devem estar especificados na apólice do seguro.

Em outras palavras, o seguro é um mecanismo em que o contratante paga para que uma empresa (seguradora) assuma o risco de uma situação negativa acontecer.

O mais comum é o seguro de carro. Ao contratar um seguro, o proprietário deverá pagar uma taxa mensal. 

Em troca terá assegurado o seu veículo contra casos de roubo ou acidente.

Caso algo ruim aconteça com o carro, caberá à seguradora arcar com o prejuízo, pagando o conserto ou a compra de um carro novo ao segurado.

Neste caso, o pagamento recebido pela seguradora é referente ao valor estimado do risco de haver um prejuízo. 

Quanto maior a probabilidade do risco se concretizar, maior será o valor do seguro.

Para que a seguradora consiga lucrar, é necessário que o valor cobrado pelo seguro seja aquele em que o retorno esperado da operação seja elevado o suficiente para valer a pena assumir o risco.

Esse valor é chamado de prêmio do seguro

Ou seja, se nenhum risco jamais se concretizar, a seguradora ganhará todo o valor pago pelo segurado. 

Já no caso de algum risco se concretizar, a seguradora poderá perder mais do que ganha com o contrato do seguro.

Quais os tipos de seguro as seguradoras oferecem?

Os seguros podem ser contratados tanto por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas. 

Ao todo, existe uma infinidade de seguros que as seguradoras oferecem aos seus clientes.

Entretanto, alguns estão disponíveis apenas para clientes específicos, como certas empresas ou pessoas com patrimônio elevado.

Já para a maioria das pessoas e empresas, existem tipos de seguros que são mais comuns.

Para pessoa física, podemos listar alguns dos tipos de seguros mais comuns:

  1. Seguro de vida: ele protege o segurado e seus beneficiários contra morte ou invalidez; é possível incluir outras coberturas adicionais no contrato do seguro de vida e que estendam a proteção para a família;
  2. Seguro de automóvel: ele garante a cobertura do veículo em questão em diversas situações – furto, roubo, danos materiais, acidentes, entre outras situações;
  3. Seguro de bens pessoais: smartphone, bolsa, jóias e outros bens pessoais também podem ser protegidos por um seguro em casos de perda, roubo e furto, por exemplo;
  4. Seguro viagem: garante que o segurado, em outros países, contará com assistência de saúde, reembolso para cancelamento de voos, bagagem extraviada, roubo e outras coberturas específicas;
  5. Seguro saúde: esse seguro garante que o segurado terá assistência de saúde se precisar; os planos de saúde privados são, de certa forma, um seguro saúde.