O nosso otimismo cauteloso segue prevalecendo.

As perspectivas são predominantemente boas, mas jamais esquecemos dos riscos.

Pezinho no chão nunca fez mal a ninguém.

Semana passada vimos o IPCA vindo acima do esperado.

Lembro de em meados de fevereiro avisar aqui que em julho teríamos IPCA de 12 meses rodando acima de 7% ao ano.

Pois bem, em junho já temos um IPCA acumulado de 8%.

Os preços administrados aumentaram. A conta de luz está mais cara e os alimentos também.

Segundo o Banco Central, os choques são temporários e devem ser de fato, mas será inevitável subir juros.

Poderemos ter uma Taxa Selic chegando na casa dos 6% ao ano até o final de 2021.

No entanto, a retomada econômica já começou e um juro um pouco mais alto não irá frear o ímpeto reprimido.

A atividade econômica já dá sinais de aquecimento e, se não tivermos uma terceira onda generalizada, essa retomada não deve ser interrompida.

Pelo contrário, se não tivermos parada, ela deve se intensificar bastante no segundo semestre.

Julho já pode ser uma pequena amostra do que está por vir.

O setor de serviços deve sentir isso na veia. 

Pensa aí: educação, shoppings, varejo físico, turismo, companhias aéreas… Tudo isso aí deve passar por alguma euforia mais para frente.

Não estou nem falando das ações desses setores, mas dos setores em si, da economia real.

→Como Investir no Cenário Econômco Atual? Veja as 3 Ações com Maior Potencial de Valorização no Brasil.

Enquanto isso, apesar do quadro pandêmico ainda ser muito grave, a vacinação avança o país começa a vacinar adultos sem comorbidades.

Esperamos ver o efeito disso daqui a cerca de 2 meses.

Ainda temos um inverno pela frente.

Parte da primeira onda de ganhos, com as blue chips puxando o Ibovespa, já foi, ainda que tenhamos mais espaço para o índice subir como um todo.

O que ainda não teve início, é a segunda onda de lucros, com as small caps se destacando frente às ações de maior porte.

Por uma questão de tamanho, aqui deve vir uma pancada seca, capaz de fazer o ano dos investidores que se anteciparem.

Aqui está a grande aposta para o segundo semestre.