O que é Seed Money?

Seed Money (Capital Semente) é um modelo de financiamento dirigido a projetos empresariais em estágio inicial, mais especificamente em fase de projeto e desenvolvimento, ou ainda, antes da instalação do negócio.

Neste tipo de financiamento, grupos interessados investem os recursos necessários para a abertura do negócio. 

Esse processo ocorre até que a empresa tenha fundos suficientes para se sustentar até atingir um estado onde consiga se manter financeiramente sozinha ou receba novos aportes financeiros.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona o Seed Money?

O Seed Money é um tipo de financiamento de longo prazo concebido por fundos de investimento

O objetivo é cobrir despesas iniciais, como:

  • desenvolvimento do produto ou serviço;
  • realização de pesquisas de mercado;
  • captação de recursos humanos;
  • finalização do plano de negócio. 

O Seed Money também pode ser aplicado em empreendimentos que já possuem uma oferta definida e têm uma pequena cartela de clientes. 

Nesse caso, o investimento é feito para expandir a estrutura, a produção e as vendas.

No geral, os recursos devem ser usados para garantir a estabilidade da empresa até que ela se torne sustentável.

Neste caso, a expectativa de quem investe é de que as startups possam se estabelecerem no mercado e atraírem o interesse de fundos com maior poder de investimento.

Para balancear os riscos, os investidores de Seed Money geralmente formam fundos que captam recursos de outros investidores e distribuem esses recursos em várias startups iniciantes.

Normalmente, esses fundos recebem uma participação da empresa em troca do aporte financeiro realizado. 

Com o tempo, conforme a empresa se valoriza, especialmente após realizar o IPO, o fundo de investimento obtém ganhos de capital, que pode ser realizado com a venda futura desta participação. 

Geralmente, a venda ocorre quando há o IPO da empresa. Porém, isso pode levar vários anos.

Oportunidades e riscos do Seed Money

É de conhecimento geral entre as pessoas que investem que, quanto maior o risco de um investimento, maior o retorno que ele pode proporcionar.

Ao Seed Money se aplica a mesma regra. 

Os investidores e gestores dos fundos fazem aportes nas startups porque existe a perspectiva de que elas se valorizem rapidamente e consigam ter uma avaliação muito alta no mercado. 

Ou seja, existe a perspectiva de que o retorno obtido será suficiente para compensar o risco.

As oportunidades de lucro geralmente se devem pelo costume das startups serem empresas inovadoras e disruptivas.

A grande maioria delas tem como objetivo criar um mercado novo, oferecendo um bem ou serviço inédito. 

Muitas vezes o esforço é de criar necessidades que nem mesmo os consumidores sabem que existem.

Este esforço pode ser muito lucrativo no longo prazo, como também pode ser um fiasco.

A maioria das empresas de internet, como o Google (GOOG) e Facebook (FB) , nasceram pequenas, com muitas incertezas sobre seus serviços, mas que ao longo do tempo se mostraram um sucesso.

O Google, por exemplo, valorizou-se mais de 3.500% em 16 anos de bolsa.

Entretanto, apesar do lucro ser um dos fatores importantes para que uma startup traga o retorno para os investidores que colocaram Seed Money nela, isso não é uma regra. 

Existem startups que não geram lucro (pelo contrário, têm um histórico de elevado prejuízo) e, mesmo assim, seu valor de mercado é elevado e os investidores têm um ganho de capital considerável.

É o caso da Netflix (NFLX) e Uber (UBER).

Nesses, embora as empresas tenham tido prejuízos ao longo do tempo, o fato é que estes modelos de negócios tiveram sucesso no que se refere à aceitação no mercado.

Ou seja, embora a situação do presente não seja das melhores, há ainda a esperança de que o futuro seja de sucesso.

Por fim, o risco principal do Seed Money é o das empresas investidas não vingarem no mercado.

Isso é muito comum, visto que várias empresas surgem todos os dias com propostas disruptivas e inovadoras demais para o padrão dos consumidores atuais.

Além disso outros riscos são:

  • possibilidade da startup ser mal gerida e não conseguir se desenvolver escalar;
  • possibilidade de que o seu produto ou serviço acabe se provando impossível de desenvolver, ineficaz para o uso ou simplesmente não conquiste os consumidores;
  • possibilidade de que o modelo de negócios não gere lucros e a empresa não ganhe a confiança do mercado financeiro, de forma que seu valor de mercado não decola.

Frente a tudo isso, cabe ao gestor do fundo de Seed Money avaliar profundamente as startups antes de aprovar o investimento. 

Para isso, deve ser levado em conta tanto o plano de negócios quanto o perfil das pessoas que estarão à frente do projeto.