O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, disse nesta terça-feira, 21, que é um engano pensar que a gestão da Petrobras (PETR4) a ser conduzida pelo futuro presidente, Caio Paes de Andrade, será "mais do mesmo".

Andrade será o quarto presidente da empresa durante o governo de Jair Bolsonaro e substituirá José Mauro Coelho, que renunciou ao cargo ontem.

"Quando cheguei no Ministério trouxe uma nova filosofia, de competição. A Petrobras precisa competir e é por isso que troquei o presidente e está sendo trocado o Conselho de Administração, pois a empresa precisa se preparar para um novo tempo, de competição", disse.

"Quem acha que estamos mudando para mais do mesmo, acho que está enganado."

Ao longo da audiência pública na Câmara, o ministro foi questionado sobre a responsabilidade da União pelas indicações para a presidência e Conselho de Administração da estatal.

Onde Investir no Cenário Político Atual? Baixe Grátis o Relatório “Os Melhores Investimentos com a Política Atual".

Sachsida sinalizou que concorda com a avaliação. "E, quando nomeia errado, troca."

"Quem indicou o Conselho de Administração foi o governo. De maneira alguma quero criticar o conselho atual, de maneira alguma quero criticar o presidente José Mauro, são pessoas competentes e, certamente, estão fazendo o que acreditam ser melhor para o Brasil e as agradeço por isso", disse em resposta aos deputados.

Resultado da Petrobras no Primeiro Trimestre de 2022  

Os resultados da Petrobras (PETR4) referente a suas operações do 1T22, foram divulgados no dia 8 de Maio, apresentou um lucro líquido de R$ 44,8 bilhões no 1T22, alta de 3.409,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

Ebitda ajustado da Petrobras atingiu R$ 77,7 bilhões no 1T22, apresentando crescimento de 58,8% na comparação com o 1T21.

margem líquida da Petrobras atingiu 31,6% no 1T22, apresentando crescimento de 30,1 pontos percentuais na comparação com o 1T21.

A ações da Petrobras (PETR4) acumulam queda de 7,52% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 37,41% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.