O que é Risco de Liquidez?

Risco de liquidez é o risco associado à capacidade de liquidar determinado ativo no mercado, encontrando poucos, ou nenhum, compradores que estejam dispostos a pagar pelo seu preço justo.

Liquidez é um termo usado para se referir à facilidade com que um ativo ou título pode ser comprado ou vendido no mercado. 

Esse conceito descreve a rapidez com que algo pode ser convertido em dinheiro

Basicamente, existem dois tipos diferentes de risco de liquidez. 

O primeiro é o risco de liquidez de financiamento ou de fluxo de caixa, que se refere a capacidade de uma empresa de conseguir dinheiro (liquidez) para quitar suas obrigações.

Já o segundo é o risco de liquidez de mercado, também conhecido como risco do ativo, que se refere às possibilidades de negociação dos ativos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Risco de liquidez de financiamento

O risco de liquidez de financiamento, ou fluxo de caixa ou financiamento, é a principal preocupação de um gestor de empresas.

Esse risco é importante pois ele mensura a capacidade da empresa de financiar seus passivos ao longo do tempo. 

O risco de liquidez de financiamento é afetado pelas condições de crédito da empresa e a sua capacidade de gerar fluxo de caixa para pagar suas obrigações, como dívidas, salários e fornecedores.

Um indicador clássico de risco de liquidez de financiamento pode ser medido através do índice de liquidez corrente, que é dada pela seguinte fórmula:

Índice de Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

Esse índice avalia a capacidade de pagamento das obrigações de curto prazo através dos bens e créditos circulantes.

Se esse índice for menor do que 1, é sinal que a empresa está com dificuldades de pagar seus custos de curto prazo.

Já se for maior que 1, então a situação está controlada, ao menos no curto prazo.

Muitos analistas consideram o índice de liquidez corrente como um dos mais importantes, pois se refere à capacidade da empresa de realizar pagamentos a curto prazo.

Se a empresa tem dificuldade em fazer seus pagamentos no curto prazo, então provavelmente ela terá problemas financeiros em algum momento.

É importante mencionar que há outras formas comuns de mensurar o coeficiente de liquidez, como:

Risco de liquidez de mercado

O risco de liquidez de mercado, também chamado de risco de liquidez de ativos, mede a capacidade de sair de uma posição. 

Esse termo serve tanto para quem está investindo em ativos no mercado financeiro, como ações e títulos, como para quem está aplicando em ativos reais, como imóveis e sociedades de empresas de capital fechado. 

Por exemplo, o risco de liquidez de um imóvel é associado à dificuldade de vendê-lo em determinado momento ao preço justo de mercado.

Se as condições de mercado forem ruins, a liquidez será baixa, ou seja, o imóvel demora mais para ser vendido, ou os preços oferecidos pelos compradores são mais baixos do que o valor de mercado.

Já no caso de ações, o risco de liquidez está associado às possibilidades de venda do ativo no mercado de capitais.

Uma ação pouco líquida é aquela em que aparecem poucos compradores e vendedores diários. A maioria dessas são chamadas de small caps.

Neste caso, ter um posicionamento grande neste ativo gera um risco elevado de saída quando necessário.

Quando investidores com grandes participações nesses tipos de ações querem se desfazer dos ativos é preciso agir de duas formas distintas.

Ou vender as ações aos poucos compradores diários que aparecem, ou encontrar um outro investidor que queira comprar diretamente os ativos para receber uma posição relevante no negócio.

Nesta situação, os investidores menores têm menos risco de liquidez do que investidores grandes e institucionais. 

Isso porque a probabilidade de liquidar poucas ações é sempre maior do que vender uma grande quantidade.

Atualmente, podemos mencionar as seguintes ações com baixo risco de liquidez de mercado na bolsa brasileira, pois apresentam muitas movimentações diárias na bolsa de valores: