O que é Reserva de Emergência e Como Fazer a Melhor Carteira
|

O que é Reserva de Emergência e Como Fazer a Melhor Carteira

Com uma reserva de emergência você mantém sua segurança financeira frente às situações inesperadas.

Por
Atualizado em 04/10/2019
Avalie esse texto

A Reserva de Emergência é essencial para superar situações emergenciais com tranquilidade e sem prejuízo para seu bolso. Além disso, é a primeira atitude para conquistar a liberdade financeira. 

Perder o emprego, sofrer um acidente ou até uma reforma inesperada são situações que afetam negativamente as Finanças Pessoais quando não se está preparado. 

É essa a função desempenhada pela Reserva de Emergência: manter sua segurança ante imprevistos. 

Essencial para seus planos de futuro, esse capital é sua certeza de que conseguirá se recuperar de um contratempo sem prejudicar o padrão de vida familiar. 

Os jornais O Estado de São Paulo e Folha fizeram eco dos resultados do Banco Central em 2017: menos da metade das pessoas possui recursos financeiros para enfrentar emergências. 

A pesquisa trabalhou com um valor modesto: os entrevistados eram capazes de reunir R$ 1.520 no prazo de um mês.

Esse montante não é suficiente para uma situação de desemprego, ou um acidente. 

A Reserva de Emergência garante a solução para eventos inesperados e custosos. Constitui o primeiro pilar da independência financeira. 

Se você se preocupa com a segurança e deseja ter liberdade financeira para fazer o que realmente gosta, precisa começar sua reserva ainda hoje! 

Pronto para fazer sua Reserva de Emergência e estar preparado para qualquer situação da vida? 

Você vai descobrir tudo o que precisa para fazer sua Reserva de Emergência ainda hoje:

  • O que é Reserva de Emergência;
  • Por que fazer uma Reserva de Emergência;
  • Qual o tamanho de uma Reserva de Emergência;
  • Passo-a-passo para fazer a Reserva de Emergência;
  • Qual é o melhor investimento para a Reserva de Emergência;
  • Quando utilizar os recursos da Reserva de Emergência;
  • Onde investir depois de ter uma Reserva de Emergência.

Leia até o final para aprender tudo sobre a Reserva de Emergência e dar o primeiro passo rumo à liberdade financeira!

O que é Reserva de Emergência?

A Reserva de Emergência é um valor calculado sobre seu custo de vida, que deve ser reunido e investido como proteção contra imprevistos financeiros. 

É o primeiro passo para enriquecer de verdade e atingir qualquer objetivo financeiro. 

A reserva funciona como um ‘seguro’ contra imprevistos. Garante um período suficiente para redirecionar as finanças pessoais quando há dificuldades. 

Adversidades não são passíveis de planejamento. Assim, é preciso que o montante da Reserva de Emergência seja alocado em aplicações que permitam resgate a qualquer momento. 

Além disso, esse valor deve ser mantido em títulos de baixo risco, para garantir sua segurança. A reserva financeira não é um dinheiro que deva ser arriscado. 

Todo planejamento financeiro pessoal que foque em conquista de objetivos começa pela construção desse fundo emergencial, para garantir a tranquilidade ante problemas. 

Utilizar a Reserva de Emergência somente em situações de urgência é a regra a ser seguida. Quando for preciso recorrer a ela, reponha os valores o mais rápido possível. 

É o primeiro degrau para a conquista da independência financeira e fazer a sua abrirá as portas para maiores lucros. 

Banner will be placed here

Por que Fazer uma Reserva de Emergência

Porque sem uma Reserva de Emergência você está totalmente desprotegido contra qualquer desvio do orçamento. 

Sem uma Reserva de Emergência, fazer frente a gastos inesperados sem danificar a vida financeira se torna impossível. 

Você certamente conhece histórias de pessoas que foram surpreendidas por um acidente, um problema de saúde ou uma demissão súbita e precisaram de ajuda de familiares ou amigos. 

Pior ainda: há quem encontre no limite do cheque especial e seus juros exorbitantes a única saída. 

Segundo o Banco Central, os juros do cheque especial no Banco Santander em agosto de 2019 são de 424,69% ao ano. No Banco Itaú, a taxa anual é de 310,49%. 

A Reserva de Emergência evita que se perca dinheiro e gera tranquilidade.

Existe ainda um segundo motivo para fazer a sua: a reserva é o primeiro passo para a independência financeira, para a liberdade de fazer o que deseja. 

Reúna sua Reserva de Emergência antes de comprar uma casa ou um carro. O sucesso financeiro começa com esse fundo destinado a solucionar contratempos. 

Qual o Tamanho de uma Reserva de Emergência

O tamanho da reserva financeira deve ser o suficiente para cobrir os gastos mensais durante um período de ao menos 6 meses. 

Se seus gastos mensais são de R$ 5 mil, o valor da Reserva de Emergência é de ao menos R$ 30 mil. 

É possível que se aumente o valor a partir daí, mas não é necessário quando se tem um planejamento financeiro pessoal eficiente. 

Uma vez construída a Reserva de Emergência, é o momento de diversificar a carteira, buscando maior rentabilidade.

Como Fazer uma Reserva de Emergência

Para aprender a fazer uma Reserva de Emergência, siga o passo-a-passo: 

Passo 1: Defina um valor a poupar

O primeiro passo para uma Reserva de Emergência é definir sua capacidade de poupar. 

Para isso, é preciso fazer seu Planejamento Financeiro Pessoal. 

Comece investindo 5% ou 10% de sua receita e estabeleça metas de aumento. Quanto mais for capaz de investir, mais rápido terá sua Reserva de Emergência. 

Passo 2: Abra sua conta em uma corretora de valores

Escolher entre uma das melhores corretoras de valores é essencial para fazer a Reserva de Emergência porque somente através delas se tem acesso aos investimentos mais rentáveis. 

Um banco tradicional oferece a poupança para a criação da Reserva de Emergência. No entanto, a poupança cobre apenas a inflação e não fará seu dinheiro crescer

Assim, procure uma corretora que ofereça boa diversidade de títulos. Pondere sobre as taxas cobradas e o acesso à informação financeira. 

Nisso se inclui o serviço de assessoria. Uma corretora comprometida com seus resultados oferece esse serviço gratuitamente, franqueando o acesso ao conhecimento sobre o mercado financeiro. 

Passo 3: Conheça os melhores investimentos 

A construção da Reserva de Emergência deve ser feita em ativos de renda fixa, com liquidez diária. 

Ambos requisitos se conectam às características da reserva. É preciso que esse valor corra o mínimo risco, some lucros e esteja à disposição a todo momento. 

Não se sabe quando se precisará dele, mas em algum momento pode ser necessário. 

Invista em títulos que cumpram essas condições e registrem ganhos reais superiores à inflação. Assim, se mantém o poder de compra e aumenta o montante. 

Existem várias opções que atendem essas necessidades. Conto sobre o melhor investimento para a Reserva de Emergência mais adiante. 

Passo 4: Invista mensalmente

Para criar a Reserva de Emergência e atingir a liberdade financeira, é preciso tratar a si mesmo como a conta mais importante do mês. 

Pague-a pontualmente, assim que receber seu salário. Os juros compostos trabalharão para gerar rendimentos, mas não existe mágica. 

Faça aportes mensais até alcançar o valor ideal para a Reserva de Emergência. 

Enquanto isso, aprenda mais sobre alocação de ativos e mantenha-se alerta a investimentos cada vez mais rentáveis

Melhor Investimento para a Reserva de Emergência

A Reserva de Emergência requer a segurança oferecida pelos investimentos em renda fixa, boa rentabilidade e liquidez diária. 

Ainda que cumpra essas condições, a poupança não é uma opção. 

Embora seja uma aplicação do grupo de renda fixa e ofereça a liquidez necessária, a poupança deixa a desejar quanto à rentabilidade. 

Quando se analisa a rentabilidade real – o lucro verdadeiro, acima da inflação -, a poupança historicamente desaponta. 

Em 2002, quem investiu na poupança perdeu 2,9%. Em 2015, a perda foi de 2,28%. Três anos depois, em 2018, houve ganhos: parco 0,84% de rentabilidade real. 

Investir em imóveis tampouco é viável. Transformar um imóvel em dinheiro é um processo que pode levar anos. 

Há opções de investimentos indicadas para montar uma reserva, como:

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário);
  • LCI (Letra de Crédito Imobiliário);
  • LCA (Letra de Crédito do Agronegócio);
  • NuConta;
  • Tesouro Direto Selic;
  • Fundo de Renda Fixa

CDB

Certificado de Depósito Bancário (CDB) é uma aplicação de renda fixa, baixo risco e boa rentabilidade, garantida pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até R$ 250 mil. 

Essa característica o torna tão seguro como a poupança, enquanto registra lucro real mesmo com a tributação. 

Os ganhos com CDB sofrem cobrança de impostos. O Imposto de Renda segue a tabela regressiva, com alíquota entre 22,5% e 15%, de acordo com o prazo.

Em corretoras de valores, há CDBs mais rentáveis do que em um banco. Através delas se tem acesso a títulos emitidos por bancos menores, que oferecem melhor remuneração. 

Ainda assim, é preciso entender suas características e comparar com outros. Recomendo a leitura do artigo CDB para aprender como ganhar mais com ele. 

LCI

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um título em que se empresta dinheiro a bancos, que os aplicarão no ramo imobiliário. 

O Governo Federal incentiva o desenvolvimento da área, essencial para o país. Por isso, ganhos com LCI não pagam Imposto de Renda. 

As vantagens da LCI incluem: 

  • Boa rentabilidade;
  • Isenção de impostos;
  • Ausência de taxas;
  • Segurança do FGC até R$ 250 mil.

A questão da liquidez deve ser observada com lupa. Lembre-se de que é preciso manter um possível resgate em perspectiva. 

Conheça O que é LCI e como ter os melhores rendimentos isentos de impostos e compare com outras opções. 

LCA

As Letras de Crédito do Agronegócio são similares às LCI. A diferença é o destino dos recursos, que é esse ramo. 

As vantagens da LCA são as mesmas de uma Letra de Crédito Imobiliário: a LCA é isenta de impostos, tem boa rentabilidade e oferece segurança. 

Considere os mesmos pontos de atenção quanto ao uso de LCI ou LCA para a Reserva de Emergência: atenção à liquidez e rentabilidade. 

Não há muita diferença entre investir em uma ou outra. Considere a maior remuneração. 

Para conhecer mais sobre esse investimento, leia o artigo LCA. 

NuConta

A NuConta é uma conta digital, que oferece rendimento de 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), a taxa de juros que indexa uma variedade de investimentos, como CDB e LCI. 

O capital é investido em Recibos de Depósito Bancário (RBD), que são títulos de empréstimo à entidade financeira emissora, como um CDB ou Tesouro Selic, segundo opção. 

O RDB contempla prazos em que não é possível movimentar o capital e é descartado para a Reserva de Emergência. O Tesouro Selic garante a liquidez diária. 

Ainda assim, não se trata de uma boa opção. A Nubank está entre os melhores bancos digitais, porém descarte a NuConta para ampliar o patrimônio. 

O acesso aos melhores investimentos é restrito aos clientes de corretoras. Há possibilidade de remuneração superior através delas. 

Tesouro Direto Selic

O Tesouro Selic é um título emitido pelo Governo Federal através do programa Tesouro Direto. 

Assim como os demais títulos, o Tesouro Selic funciona como um empréstimo. Ao investir, você se torna credor do Governo. 

A remuneração do Tesouro Direto Selic é atrelada à taxa mínima de juros, que lhe dá nome. 

É uma aplicação de baixo risco e liquidez diária, que supre bem as condições para fazer a Reserva de Emergência crescer devagar e sempre. 

O Tesouro Selic é concorrente direto da poupança, ganhando em rentabilidade. 

Para aprender a conseguir ganhos superiores à poupança com este título, leia o artigo Tesouro Selic. 

Fundos DI

Fundo de Renda Fixa Referenciada DI é o nome que recebe o fundos onde se reúne capital para aplicar em títulos de baixo risco.

Na verdade, um Fundo DI faz ao menos 95% da alocação de ativos em títulos que acompanhem a taxa Selic, como o Tesouro Selic. 

A rentabilidade do fundo DI costuma ficar entre 95% e 100% do CDI, registrando ganho inferior a outras opções. 

Além disso, há o pagamento de taxa de administração, imposto de renda e come-cotas, que diminuem os lucros. 

Entenda melhor como funciona o Fundo DI e compare com outras opções. 

Fundo de Renda Fixa

Um fundo de Renda Fixa reúne capital para fazer alocação de ativos em renda fixa. 

Existem dois tipos: 

  • Fundos Referenciados: investem ao menos 80% do capital em títulos do Tesouro, Banco Central ou instituições com baixo risco e oferece alta liquidez;
  • Fundos de Crédito: aumentam o risco investindo em CDB, Debêntures, LCI, LCA e outros e assumem maiores prazos de vencimento. 

Para a Reserva de Emergência, a liquidez é vital. Por isso, os Fundos Referenciados de Renda Fixa se apresentam como opção. 

Uma boa gestão do fundo consegue trazer rendimento superior a 100% do CDI. 

Recomendo a leitura do artigo Fundo de Renda Fixa para aprender mais sobre ele. 

Quando Usar a Reserva de Emergência

Use a Reserva de Emergência somente para situações urgentes. 

Há uma diferença enorme entre o que é emergência (necessidade real) e objetivos (seus desejos). 

Uma viagem de férias ou uma reforma na cozinha são objetivos. Atinja-os através do planejamento financeiro pessoal.  

Se é um objetivo, não use a Reserva de Emergência. Poupe para ele. 

Cuidado com situações adversas com alta chance de ocorrer, como é o caso de um acidente de carro. 

Ter um seguro de automóvel é uma boa opção. Quem dirige está sujeito a acidentes e não se vive no país mais seguro do mundo.  

Pondere sobre o momento de utilizar a reserva. Quando o fizer, reponha o valor utilizado o  quanto antes. 

Onde Investir Depois de Fazer a Reserva de Emergência

A melhor dica de onde investir seu dinheiro depois de fazer a Reserva de Emergência é diversificar. 

Não pare de buscar a maior taxa de rentabilidade em investimentos que atendam o seu perfil de investidor. Essa é a maneira de fazer o patrimônio crescer. 

Como você já sabe, a poupança não é opção para construir matrimônio. Mantenha a mente aberta para as possibilidades oferecidas por sua corretora de valores. 

Para definir onde investir seu dinheiro e ganhar mais, siga os passos:

Passo 1 – Descubra seu Perfil de Investidor

Descobrir seu perfil é o primeiro passo para saber onde investir seu dinheiro após fazer a Reserva de Emergência. Faça o teste de perfil de investidor.

O teste é composto por perguntas que reúnem dados sobre tolerância ao risco e objetivos financeiros. Oferece as melhores opções de investimentos de acordo com seu perfil. 

Esse passo é essencial para escolher aplicações segura, que protegem seu capital e o fazem crescer. 

Passo 2 – Abra Conta em uma Corretora de Valores

Abrir uma conta em uma das melhores corretoras de valores é essencial desde o momento em que se inicia a poupar para a Reserva de Emergência. 

Após reunir o montante, isso se torna obrigatório. 

A única maneira de alcançar objetivos é procurando a maior rentabilidade real, acima da inflação. Consiga isso através de corretoras. 

Por isso, se ainda não tem sua conta, escolha entre as melhores corretoras e abra uma. 

Passo 3 – Defina seus Objetivos

Definir quais são seus objetivos financeiros é o seguinte passo. 

A resposta para a pergunta “Como investir meu dinheiro?” vem através da definição de objetivos, já que cada classe de aplicação atende diferentes propósitos.

Pense em tudo o que deseja conquistar financeiramente. Viagens, carros, bens e aposentadoria são exemplos. 

Para cada objetivo, há um tipo de investimento e um prazo adequados. 

Veja alguns deles: 

Curto prazo: 

Médio Prazo

Longo Prazo

Quem já acumulou um bom patrimônio deve incluir objetivos como a Proteção Patrimonial contra crises financeiras.

Também a Sucessão Familiar, para assegurar a transmissão de patrimônio aos familiares. Ter um planejamento sucessório é necessário. 

Em todo caso, não é preciso investir em apenas um ativo. A carteira diversificada é parte da rota do sucesso. Aprenda mais sobre alocação de ativos para fazer boas escolhas. 

Passo 4 – Saiba como Comparar os Investimentos

O último passo para investir seu dinheiro depois da Reserva de Emergência é saber comparar um investimento. Para isso, é preciso conhecer as características a avaliar. 

  • Tipo de investimento: Renda Variável ou Renda Fixa;
  • Investimento mínimo: aporte adequado à sua realidade financeira;
  • Rentabilidade: o lucro real deve ser sempre superior à inflação, depois de tributação, caso exista;
  • Riscos: avalie riscos de crédito, liquidez e mercado, além dos próprios de cada investimento.

Dúvidas sobre Reserva de Emergência

Certas dúvidas sobre a Reserva de Emergência são comuns. É possível que a sua esteja aqui. 

Como calcular minha Reserva de Emergência?

Conheça seus gastos mensais em profundidade e multiplique o valor total ao menos seis vezes. 

Se gasta R$ 5 mil ao mês, a Reserva de Emergência deve ser de no mínimo R$ 30 mil. 

Onde fazer a Reserva de Emergência no Banco Inter?

Através de seu aplicativo, o Banco Inter oferece o PAI (Plataforma Aberta de Investimentos), através da qual se fazem as movimentações. 

Ali há acesso a algumas opções de renda fixa, como CDB, LCI e LCA e outros. 

No entanto, as opções a curto prazo oferecem remuneração ao redor de 95% do CDI. Em corretoras de valores, se encontram melhores opções. 

Nuconta como Reserva de Emergência é bom?

Não. A NuConta é uma conta digital isenta de taxas e que oferece certa rentabilidade, mas não há variedade de aplicações. 

Prefira investir através de corretoras de valores para aumentar o capital em menor tempo.  

Como juntar uma Reserva de Emergência?

Comece fazendo o planejamento financeiro pessoal e descobrindo qual é a sua capacidade de poupar. 

A partir daí, abra uma conta em uma corretora de valores, selecione o melhor investimento para Reserva de Emergência e poupe todos os meses. 

Conforme o montante cresça, diversifique a carteira seguindo as dicas deste artigo. 

Vale a Pena fazer uma Reserva de Emergência?

Fazer uma reserva financeira não só vale a pena, mas é fundamental. 

Com a Reserva de Emergência, fazer frente às situações inesperadas não ocasiona estresse, nem medidas negativas para a saúde financeira. 

Mantenha o foco em alta rentabilidade investindo através de corretoras, para diminuir o tempo de construção da reserva, e não esqueça da liquidez diária. 

A Reserva de Emergência trará a tranquilidade de manter o padrão de vida em momentos de necessidade. Além disso, é o primeiro passo para conquistar a sonhada independência financeira! 

Ainda tem dúvidas sobre a Reserva Financeira? Conte nos comentários. Quem sabe eu possa ajudar! 

Infográfico – Como Funciona Reserva de Emergência

Infográfico: Como Funciona Reserva de Emergência


Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais