Com desempenho fora da curva e rentabilidade excepcional, as small caps estão desbancando as gigantes da bolsa de valores, que compõem o Ibovespa.

Essas ações vêm se consolidando como um fenômeno notável no quesito retorno de investimentos.

As small caps ainda são desconhecidas pela maioria dos investidores e desprezadas pelas gestoras, mas muitos motivos explicam o alto desempenho.

Prova disso é o Índice de Small Caps (SMLL), composto por empresas de menor capitalização e liquidez da B3.

De acordo com o levantamento da B3, o índice registrou uma valorização de 196% das small caps, no período de 13 anos (abril de 2008 a julho de 2021).

A performance é expressivamente maior que a rentabilidade do Ibovespa, que alcançou apenas 79% no mesmo intervalo.

Segundo o CEO e gestor da Trígono Capital, Frederico Mesnik, a potência das small caps está na combinação de diversos fatores como excelente rentabilidade, consistência de resultados e menor volatilidade.

rentabilidade das small caps é muito superior às demais companhias do mercado financeiro.

A Trígono também desenvolveu o índice TRIG que considera o teto de valor de mercado de R$ 10 bilhões para a classificação das empresas na categoria de small caps.

Segundo Mesnik, nos últimos 13 anos, essas small caps da gestora tiveram acúmulo de variação positiva de 338%, superando o Ibovespa (79%) e até o SMLL (196%) no mesmo período.

ÍndiceRetorno (%)
Índice Small Caps (SMLL)196%
Ibovespa79%
Índice TRIG338%

Entre as small caps que estão em evidência no mercado nacional com excelentes retornos e dividendos estão dos setores:

  • Mineração e metalurgia;
  • Industrial ligado a bens de capital;
  • E químico.

Entre as empresas com destaque nos 13 anos da pesquisa estão:

EmpresaRentabilidade (%)
Ferbasa (FESA4)877%
Schulz (SHUL4)607%
Tronox Pigmentos (CRPG5)1.595%

A força das small caps também é evidenciada pela performance dos fundos da Trígono Capital, gestora de fundo de ações especializada em small caps.

Os fundos de investimentos conquistaram os quatro primeiros lugares do ranking da Morningstar dos melhores fundos de investimentos em ações no primeiro semestre de 2021.

No topo da lista da empresa está oTrígono Flagship 60 que apresentou retorno de 55,1%, superando o SMLL, já que o índice se valorizou apenas 11,4% no período.

No pódio também aparecem outros três fundos da Trígono, são eles:

Uma das estratégias da gestora é concentrar alocação em empresas com suas receitas à moeda estrangeira, direta ou indiretamente.

Segundo a gestora, esse fator agrega certa proteção financeira, já que estas empresas se beneficiam amplamente da desvalorização da moeda brasileira.

Mas o foco da Trígono são as empresas small caps que pagam bons dividendos, além da observar as melhores práticas de ESG, como fator mitigante de riscos.

Banner will be placed here

Por Que Small Caps Estão no Topo?

Segundo o CEO da Trígono Capital, um diferencial das small caps é que muitas delas se mantêm no topo com resultados consistentes e uma longa trajetória de sucesso.

Independentemente do período e tempo de aplicação, as menores empresas em valor de mercado, ou capitalização, se mantém fortes no mercado e seguram o posto de rentabilidade”, afirma.

Ele explica ainda que em outra análise, foram realizadas 60 mil simulações de aportes e resgates no Ibovespa, assim como a mesma quantidade no índice TRIG, com intervalos variados.

Nessas simulações, 83% dos investidores teriam retorno maior no índice das small caps, independentemente do tempo de permanência.

“O que representa uma medida pura de consistência das small caps”, segundo Mesnik.

“Grandes empresas costumam ser escolhas comuns entre os principais players do mercado por serem robustas e financeiramente estáveis, entretanto, a probabilidade de um ganho rápido e alto também é pequena, ressalta o executivo.

“É pouco provável que companhias com esse perfil tenham um boom de valorização. Afinal, elas já estão bem consolidadas no mercado, bem avaliada por uma infinidade de participante no mercado”, explica.

“No entanto, as small caps são deixadas de lado e que se configuram em excelentes oportunidades”, complementa o CEO da Trígono Capital.

O CIO e gestor da Trígono, Werner Roger, explica que quanto menos participantes do mercado analisarem small caps, maior a possibilidade de encontrar ações bem descontadas em relação ao valor justo.

Baixa Volatilidade e Superação de Crises

Mesmo com uma rentabilidade excepcional, muitas small caps acabam ficando de fora do radar dos grandes atores do mercado financeiro por puro desconhecimento.

Normalmente, elas são ignoradas pela maioria das gestoras que preferem o caminho mais fácil focando nas empresas maiores.

Segundo Mesnik, se engana quem acredita que as small caps possuem grande volatilidade.

Além do menor risco, elas possuem uma alta capacidade de recuperação em períodos de crises.

Prova disso é o baixo índice de volatilidade das small caps que também supera a as gigantes da bolsa.

Em 13 anos, o risco TRIG medido pela volatilidade anualizada é de apenas 21%, contra 25% da SMLL e 28% da Ibovespa. 

A capacidade de superar crises financeiras de forma mais rápida é outra vantagem das small caps.

O levantamento da Trígono Capital também apontou que ações de menor capitalização tendem a se recuperar mais rapidamente em grandes crises, quando comparadas aos papéis das grandes empresas.

“Como exemplo, temos a crise subprime dos EUA, na época o Ibovespa caiu 59% e precisou de 618 pregões para se recuperar”, explicou Mesnik.

“Enquanto o índice SMLL caiu 63% e levou apenas 381 pregões para retomar ao seu patamar original”.

Potencial para Se Tornarem Gigantes

Outro diferencial das small caps se refere à sua capacidade de crescimento na linha do tempo, tornando-se grandes companhias.

O gestor Werner Roger cita uma análise realizada com algumas empresas pequenas que se tornaram gigantes em uma janela de apenas sete anos.

“A Droga Raia tinha em dezembro de 2013 um valor estimado de R$ 4,9 bilhões e escalou 807%, superando a casa dos R$ 41 bilhões até o fim de 2020”, comenta Roger.

Outra pequena que se tornou gigante no período, foi a empresa locadora de veículos, Localiza.

“A ascensão foi de 664% no mesmo intervalo, saltando de R$ 7,6 bilhões para R$ 51,8 bilhões”, explica o gestor.

Apesar de muitas empresas listando suas ações através de IPOs, Werner afirma que as small caps bem geridas têm alto potencial de crescimento e bom retorno para os acionistas.

 “Além disso, muitas dessas pequenas companhias pertencem a nichos de mercado com menor competição, fator que amplia de forma exponencial as possibilidades de expansão, atuação e inovação do negócio, pois geralmente trata-se de setores que ainda não estão consolidados e tendem a crescer”, afirma.

Além disso, segundo Roger, as small caps oferecem uma maior resiliência com a economia.

Enquanto isso, o IBOV está mais associado ao setor financeiro e commodities, sendo este setor mais impactado pelas restrições de ESG pelos grandes investidores estrangeiros.

Índice30/12/201330/12/2020%
Droga Raia (RADL3)R$ 4,9 biR$ 41,3 bi807%
Loja Renner (LREN3)R$ 8,0 biR$ 34,5 bi381%
Localiza (RENT3)R$ 7,6 biR$ 51,8 bi664%

Fonte: Trígono Capital