O que é Reaganomics?

Reaganomics é um termo popular que se refere às políticas econômicas de Ronald Reagan, o 40º presidente dos Estados Unidos, que governou o país entre 1981 e 1989.

Dentre as medidas de políticas que foram implementadas pelo presidente Reagan, podemos elencar:

  • cortes de impostos generalizados;
  • diminuição dos gastos sociais;
  • aumento dos gastos militares;
  • desregulamentação dos mercados domésticos. 

Essas políticas econômicas foram introduzidas em resposta a um período prolongado de estagflação econômica, que começou no governo do presidente Gerald Ford, em 1976.

Estagflação é o termo utilizado para caracterizar uma economia com produção estagnada, ou seja, recessão ou crescimento zero, e inflação.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Teoria por trás do Reaganomics

O termo Reaganomics é usado tanto por defensores quanto por detratores das políticas de Reagan. 

Esse arcabouço, que compõe um conjunto de políticas de cunho liberal, foi parcialmente baseado nos princípios da economia ortodoxa, que tem como foco a análise do lado da oferta.

Essas teorias sustentam que a redução dos impostos, especialmente para as empresas, oferece a melhor forma de estimular o crescimento econômico. 

A ideia é que, se as despesas das corporações forem reduzidas, os ganhos irão transbordar para o restante da economia, estimulando o crescimento e a eficiência.

Além disso, a liberdade dada aos mercados e a diminuição de impostos iria permitir o livre ajustamento entre oferta e demanda, e, consequentemente, inibir as pressões inflacionárias.

A redução dos gastos do governo também viria a ajudar a diminuir as pressões de demanda sobre a estrutura produtiva, o que seria um segundo fator para controlar a inflação.

Por fim, o arcabouço ortodoxo defende uma política monetária orientada para estabelecer o equilíbrio econômico entre oferta e demanda na economia.

Isso implica que um aperto monetário é a medida correta a se fazer em momentos de inflação, pois é quando se verifica um nível de demanda maior do que a oferta.

Propostas do Reaganomics

Quando Reagan iniciou seu primeiro mandato, o país sofreu vários anos de estagflação, nos quais a alta inflação foi acompanhada por alto desemprego. 

Para combater a alta inflação, o Federal Reserve passou a aumentar a taxa de juros de curto prazo, chegando próximo de seu pico no ano de 1981. 

Diante deste cenário, Reagan propôs uma política econômica de quatro vertentes destinada a reduzir a inflação e estimular o crescimento econômico e o emprego:

  • Reduzir os gastos do governo em programas domésticos;
  • Reduzir os impostos para indivíduos, empresas e investimentos;
  • Reduzir o peso das regulamentações nos negócios;
  • Diminuir o crescimento da emissão monetária por parte do Fed.

Reaganomics na prática

Na prática, o Reaganomics não foi totalmente alinhado com a perspectiva ortodoxa quanto se defendia.

Embora Reagan tenha reduzido os gastos internos, estes foram mais do que compensados pelo aumento dos gastos militares, incorrendo em déficits primários ao longo de seus dois mandatos. 

Porém, no que tange a redução de impostos e a liberalização dos mercados, o governo de Reagan teve avanços importantes.

A alíquota média de imposto de renda individual foi reduzida de 70% para 28%, e a alíquota de imposto sobre as empresas foi reduzida de 48% para 34%. 

Reagan continuou com a redução da regulamentação econômica iniciada sob o presidente Jimmy Carter.

No caso, ele eliminou os controles de preços do petróleo e do gás natural, dos serviços de telefonia de longa distância e da televisão a cabo. 

Em seu segundo mandato, Reagan apoiou uma política monetária que estabilizou o dólar americano em relação às moedas estrangeiras.

Como resultado das políticas de Reagan, ocorreram melhorias significativas como aumento na arrecadação do governo, queda da inflação e desemprego.

Perto do final do segundo mandato de Reagan, as receitas fiscais recebidas pelo governo dos Estados Unidos aumentaram de US$517 bilhões, em 1980, para US$909 bilhões em 1988. 

Já a inflação foi reduzida para 4% e a taxa de desemprego caiu para menos de 6%. 

Embora economistas e políticos continuem a discutir sobre os efeitos da Reaganomics, ela deu início a um dos mais longos e fortes períodos de prosperidade da história americana.

Entre 1982 e 2000, o índice Dow Jones cresceu quase 14 vezes, e a economia criou 40 milhões de novos empregos.