Quando se pensa em Tesla (TSLA34), o nome de Elon Musk é o primeiro que vem à mente, mas diferente do que muitas pessoas possam pensar, a montadora não foi fundada pelo bilionário sul-africano.

Embora Musk tenha liderado a Tesla durante a maior parte de sua existência, ele nem sempre estava no comando da empresa. 

O CEO original da Tesla, Martin Eberhard, e outro executivo chamado Marc Tarpenning, que fundaram a empresa em julho de 2003, mas nenhum deles reteve ações suficientes da empresa para atingir o status de bilionário.

Foi apenas em 2004 que Elon Musk entrou em cena ao dar o capital inicial para que a ideia dos dois engenheiros se tornasse realidade

Musk, que até então não vivia o dia-a-dia da empresa, foi aumentando constantemente sua participação acionária em uma série de nove rodadas de financiamento e, em 2008, se tornaria o CEO.

Até hoje a participação de Elon Musk na empresa cresce à medida que ele continua a receber prêmios de ações trimestrais, em vez de salários.

Elon Musk é o principal nome da Tesla e também o mais rico. Seu patrimônio de US$ 272 bilhões o coloca no primeiro lugar disparado dos mais ricos do mundo.

Enquanto isso, a Tesla se tornou a primeira montadora a atingir uma avaliação surpreendente de US$ 1 trilhão.

Conheça a história da gigante montadora de veículos elétricos e de seus fundadores. 

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Tesla: da fundação até os dias atuais

A Tesla Motors foi fundada em julho de 2003 por Martin Eberhard e Marc Tarpenning. Os engenheiros se tornam CEO e CFO, respectivamente. 

Os dois se inspiraram para criar a empresa depois que a General Motors encerrou seu programa EV1 e destruiu os carros elétricos.

Os colegas já haviam trabalhado juntos antes. Ainda em 97, eles cofundaram a NuvoMedia, empresa que lançou um dos primeiros e-Readers do mercado, o Rocket. 

Em 2000, ela foi vendida por US$ 187 milhões e eles puderam entrar em um novo mercado: o de carros elétricos.

Nascia então em Palo Alto, na Califórnia, a Tesla. O nome é uma homenagem ao cientista Nikola Tesla, revolucionário em conceitos envolvendo corrente elétrica e fornecimento de energia.

Porém, a Tesla começa cheia de problemas, inclusive na parte financeira. É nessa hora que Elon Musk entra em cena.

O empresário havia feito fortuna depois que o PayPal (PYPL34), que ele co-fundou, foi adquirido pelo eBay (EBAY34). Na época, Musk possuía 11% das ações do Paypal.

Em abril de 2004, Elon Musk investe US$ 6,35 milhões na rodada de financiamento da Série A da Tesla e vira presidente do conselho.

Ele ainda desempenhou papel fundamental em ajudar a empresa a arrecadar dinheiro.

Em fevereiro de 2006, liderou a rodada de financiamento de capital de risco Série B da Tesla de US$13 milhões. 

Nos 18 meses seguintes, Musk arrecadou US$ 93 milhões dos adicionais em mais três rodadas de financiamento que incluíam os fundadores do Google (GOGL34), Sergey Brin e Larry Page.

Durante este período, a Tesla também revelou protótipos de seu primeiro carro ao público. 

As coisas pareciam promissoras para o futuro da Tesla, mas isso não incluía Eberhard.

Em agosto de 2007, o então CEO foi supostamente convidado a deixar a empresa. 

Eberhard consultou um advogado e eles descobriram que a reunião do conselho da Tesla que decidiu pelo seu afastamento violou o estatuto da empresa. Isso significava que Eberhard não poderia ser demitido.

Musk então criou uma nova função para Eberhard: Presidente de Tecnologia. Era uma posição fictícia, dando a Eberhard zero poder ou controle.

A posição era insustentável e Eberhard acabou saindo no início de 2008. Tarpenning saiu do negócio logo em seguida.

Quem assumiu como CEO, em novembro de 2007, foi Ze'ev Drori, engenheiro e empresário israelense.

Foi ele o encarregado de trazer o primeiro carro da Tesla, o Roadster, ao mercado no primeiro trimestre de 2008. 

Em outubro de 2008, a Tesla estava sentindo a pressão criada pela crise financeira e Elon Musk anunciou que assumiria o controle da empresa.

Como suas primeiras medidas ele dispensa 25% da força de trabalho e adia a data de lançamento do Model S que estava programada para 2010, para meados de 2011. 

Em novembro de 2008, a situação financeira da empresa havia piorado e a Tesla estava à beira da falência. 

Para ajudar a restaurar os cofres da Tesla e acelerar a produção do Tesla Roadster, o conselho de diretores da empresa aprovou o financiamento de US$ 40 milhões por meio da emissão de dívida conversível.

Embora o conselho tenha aprovado o negócio em novembro, os documentos para a rodada de financiamento não foram assinados até dezembro de 2009, colocando a Tesla em uma situação perigosa. 

Em março de 2009 a Tesla revelou seu primeiro sedã elétrico, o Model S.

Em maio de 2009 a Daimler adquire uma participação de 10% na Tesla por US$ 50 milhões.

Em junho de 2009, a Tesla também recebeu um empréstimo de US$ 465 milhões do Departamento de Energia, que foi totalmente reembolsado em maio de 2013. 

Em 29 de junho de 2010 a Tesla abriu o capital por US$ 17 por ação. A empresa arrecadou US$ 226,1 milhões no IPO. 

Ainda em 2010 a Toyota Motors (TMCO34) investe US$ 50 milhões e faz uma joint venture com a Tesla para desenvolver carros elétricos e peças.

No mesmo ano a Tesla mudou-se para uma fábrica em Fremont, Califórnia.

Em outubro de 2011 foi revelada a versão beta do Model S e, no ano seguinte, chegou a hora do protótipo do Modelo X.

Apenas em maio de 2013 a Tesla relata seu primeiro lucro trimestral. 

Em 2019, o modelo Y é anunciado. No mesmo ano, a Tesla se tornou a primeira montadora ocidental a possuir uma fábrica na China sem uma joint venture. 

As ações da Tesla dispararam em 2020 e 2021. Em apenas 16 meses, a empresa liderada por Elon Musk aumentou seu valor em 10 vezes.

Recentemente, o anúncio da locadora de automóveis Hertz de que compraria 100 mil Teslas ajudou a elevar ainda mais o valor da empresa, que se tornou a primeira montadora a alcançar US$ 1 trilhão em capitalização de mercado.

Quem são os 5 fundadores da Tesla

Quando a Tesla foi fundada, em 2003, seus principais rostos eram Martin Eberhard, antigo CEO da empresa, e Marc Tarpenning, ex-diretor financeiro.

Ian Wright foi um dos primeiros engenheiros da empresa, ingressando alguns meses depois. 

Em fevereiro de 2004, os três levantaram US$ 7,5 milhões em fundos da série A de vários investidores, incluindo Elon Musk, que contribuiu com a grande maioria, cerca de US$ 6,5 milhões.

Um acordo judicial em setembro de 2009 permitiu que Eberhard, Tarpenning, Ian Wright, Elon Musk e JB Straubel, ex-diretor de tecnologia, se autodenominassem co-fundadores da Tesla.

Enquanto Musk domina as manchetes, o que aconteceu com os homens que realmente começaram a empresa?

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

Martin Eberhard e Marc Tarpenning

Martin Eberhard cresceu em Kensington, na Califórnia, e se formou em engenharia da computação na Universidade de Illinois, em 1982, em engenharia da computação e fez mestrado em engenharia elétrica. 

Marc Tarpenning foi criado em Sacramento, na Califórnia, e se formou em ciência da computação pela Universidade da Califórnia, em 1985.

Os dois se conheceram quando Tarpenning foi visitar a Wyse Technology, onde Eberhard estava trabalhando na época. 

Em 1997, Eberhard e Tarpenning co-fundaram a NuvoMedia, uma empresa que produziu o Rocket, primeiro e-reader.

Depois de apenas três anos, eles venderam seus negócios para a Gemstar-TV Guide International por US$ 187 milhões.

O próximo projeto de Eberhard era criar “um fabricante de automóveis que também seja uma empresa de tecnologia". 

Assim, em 1 de julho de 2003, em parceria mais uma vez com Tarpenning, eles lançaram a Tesla Motors.

No início deste ano, os dois foram entrevistados pela CNBC e seus nomes voltaram à mídia recentemente pela Forbes.

Embora Eberhard não fale sobre sua saída da Tesla devido a um acordo de sigilo, diz que mantém uma participação "relativamente pequena" na montadora.

Embora não tenha fornecido detalhes da quantia, ele confirma que não é bilionário

“Vendi uma boa parte das minhas ações há muito tempo”, diz Eberhard, atualmente com 61 anos.

“As pessoas de alguma forma acham que eu era um zilionário quando comecei a Tesla. Eu não estava." 

“Quando fui expulso da Tesla, não tinha dinheiro - quero dizer, realmente não tinha dinheiro”, diz Eberhard. 

“Pior do que isso, não tive possibilidade de emprego por cerca de um ano” por causa de um acordo restritivo de propriedade intelectual com a Tesla, diz ele. “Não participei de nenhuma rodada de investimento depois que saí.” 

Se tivesse ficado mais rico com a venda do Rocket, um dos primeiros leitores eletrônicos, talvez não haveria necessidade de buscar financiamento inicial de Musk, diz ele.

Engenheiro elétrico e inventor de coração, Eberhard está trabalhando atualmente em uma tecnologia para tornar as baterias de veículos elétricos mais acessíveis.

Ele afirma não ter má vontade contra a Tesla e quer que a empresa tenha sucesso. 

Tarpenning disse que ainda fala com Musk ocasionalmente e pediu demissão da Tesla no momento em que eles estavam desenvolvendo seu carro-chefe, o modelo S sedan. 

Olhando para trás, ele disse que não se arrepende. “A coisa toda foi maravilhosa do começo ao fim. Foi, você sabe, o pior e o melhor. E funcionou muito bem.”

Tarpenning agora está orientando a próxima geração de startups preocupadas com o meio ambiente e investindo nelas como um parceiro de risco com a Spero Ventures de Pierre Omidyar.

Ele disse que também ainda possui ações da Tesla, mas não está listado entre seus principais acionistas. 

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso.

JB Straubel e Ian Wright

Dos cinco co-fundadores oficiais, apenas JB Straubel, ex-diretor de tecnologia, que deixou a Tesla em 2019, provavelmente atingiu o status de bilionário por causa de suas posses. 

Segundo a Forbes, sua participação está estimada em cerca de US$ 1,3 bilhão, supondo que ele retenha uma parte significativa das ações da Tesla quando ele saiu. 

Straubel, atualmente CEO e cofundador da Redwood Materials, uma startup de reciclagem de baterias e não quis comentar o assunto. 

O engenheiro Ian Wright, que se juntou a Eberhard e Tarpenning alguns meses depois de eles criarem a Tesla, saiu em 2004 para abrir outra empresa de carros elétricos. 

Ele diz que vendeu sua participação há anos.

“Não tenho ações da Tesla agora”, diz ele à Forbes. “É claro que eu não poderia imaginar uma avaliação de US $ 1 trilhão!” 

Além de tornar Elon Musk a pessoa mais rica do mundo, a Tesla se tornou sinônimo de uma revolução automotiva global e também enriqueceu investidores e membros do conselho.

Esses nomes incluem o capitalista de risco Ira Ehrenpreis e Larry Ellison da Oracle, assim como o irmão mais novo de Elon, Kimbal, e inúmeros investidores inspirados pelo potencial para um futuro de energia limpa.  

O dilema dos fundadores

Fundadores que saem cedo de seus negócios é muito mais comum do que você pensa.

Uma pesquisa conduzida pela Harvard Business Review analisou 212 start-ups americanas que surgiram no final dos anos 1990 e início dos anos 2000 e descobriu que a maioria dos fundadores deixou o controle de gestão muito antes de suas empresas abrirem o capital. 

"Quando os empreendimentos completaram três anos, 50% dos fundadores não eram mais o CEO; no quarto ano, apenas 40% ainda estavam no escritório de canto; e menos de 25% lideraram as ofertas públicas iniciais de suas empresas".

O estudo ainda diz que outros pesquisadores descobriram tendências semelhantes em vários setores e em outros períodos de tempo. 

Outro dado interessante é que quatro em cada cinco empreendedores são forçados a deixar o cargo de CEO, como aconteceu com Eberhard.

Outros exemplos famosos incluem os irmãos McDonald e Steve Jobs, que embora tenha retornado à Apple, havia sido demitido anteriormente.

Dito isso, não podemos negar que Elon Musk vem fazendo um ótimo trabalho à frente da Tesla. Sua trajetória nos ensina muitas lições.

Uma delas é que você não precisa ser um inventor, mas pode ser um aperfeiçoador.

Tanto o PayPal quanto a Tesla não são ideias originais de Elon Musk, mas quando ele ingressou no Conselho da Tesla em 2004, contribuiu muito para as categorias de desenvolvimento de produtos, cujo resultado está diante de nós.

A jornada da Tesla Motors não foi nenhuma uma moleza. Embora a empresa tenha ganhado muitos prêmios por seus conceitos de design, ela estava longe de concretizar seus sonhos. 

A empresa estava ficando sem dinheiro, pois novos investidores não estavam interessados ​​no projeto e chegou a ficar à beira da falência.

Mas Elon Musk estava determinado e confiante de que seu sonho se concretizaria mais cedo ou mais tarde.

O resultado está aí. A Tesla registrou vendas e aumentos recordes enquanto as outras despencavam durante a pandemia.

Ele e a Tesla também exibiram algo que todo empreendedor de sucesso precisa, um controle interno e a crença de que seus sucessos e fracassos resultam principalmente de coisas que você faz. 

Quase todas as situações que você enfrenta nos negócios ou na vida são uma combinação de fatores internos e externos. Algumas coisas que você pode controlar e outras não. 

Focar no que você pode fazer e acreditar que suas ações farão a diferença pode mudar o jogo. Basta perguntar a Elon Musk.