O bilionário José Luis Cutrale, conhecido como o “Rei da Laranja” morreu aos 75 anos na última quarta-feira (17 de agosto) de causas naturais, em Londres, segundo uma declaração de sua família.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Fundador da Sucocítrico Cutrale, uma das maiores empresas produtoras de suco de laranja do mundo, ele deixou um verdadeiro império no agronegócio para seus herdeiros.

O empresário do agronegócio começou ainda menino trabalhando com seu pai, um comerciante e produtor de laranja no mercado municipal de São Paulo.

Aos 21 anos, os dois fundaram a fabricante de suco de laranja que se tornou uma das líderes do setor.

A empresa exporta suco de laranja e suco de laranja concentrado para países ao redor do mundo.

Em nota conjunta, os familiares lamentaram a perda de José Luis Cutrale, pai e grande líder do negócio familiar. 

Eles os descrevem como uma "pessoa de poucas palavras e grandes compromissos, de fácil trato, brilhante nos negócios, lutador incansável".

Conheça mais da trajetória de José Luis Cutrale e como o "Rei da Laranja" fez fortuna com a exploração da fruta.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Quem foi José Luis Cutrale

José Luis Cutrale (1946 – 2022) foi um empresário do agronegócio, fundador e  administrador de uma das maiores processadoras de suco de laranja do mundo, a Sucocítrico Cutrale

A empresa controla aproximadamente um terço do mercado mundial de suco de laranja e fornece suco concentrado para Minute Maid e Simply Orange, ambas parte da Coca-Cola (COCA34).

Cutrale era membro da Coca-Cola FEMSA S.A.B desde 2004 e da Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos (ABECITRUS).

Em 2022, apareceu no ranking de bilionários da revista Forbes como a 1579ª pessoa mais rica do mundo e a 21ª do Brasil, com uma fortuna estimada de US$ 1,9 bilhão.

Vida e carreira

José Luis Cutrale nasceu em 17 de setembro de 1946, na cidade de São Paulo.

Filho único do comerciante José Cutrale Júnior, logo cedo começou a trabalhar no comércio de laranja do seu avô, Giuseppe Cutrale, que imigrou da Itália para o Brasil na década de 30.

Comprando e vendendo laranjas pelos Mercados Municipais dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, Giuseppe conseguiu comprar sua primeira fazenda, a Santa Alice, localizada na cidade de Bebedouro, interior de São Paulo.

Em 1956, seu avô inaugurou a Citrícola Brasileira, que exportava o fruto “in natura” para países europeus e árabes.

O grande salto nos negócios aconteceu quando o pai de Cutrale assumiu o empreendimento.

Em 1967, os dois adquiriram a Suconasa, a falida fabricante de suco de laranja instalada em Araraquara, interior paulista, rebatizando-a como Sucocítrico Cutrale.

Durante as décadas seguintes, o negócio foi expandindo e abrindo novas fábricas até se tornar uma das maiores processadoras e distribuidoras de suco de laranja do mundo com receita anual estimada em mais de US$ 3 bilhões.

O foco da Cutrale sempre foi a exportação, principalmente para os EUA e Europa.  

Como a fruta in natura tomava muito espaço nos navios, a Cutrale e seus concorrentes começaram a fabricar um concentrado.

No destino, o comprador injetava a água de volta e fazia o suco. 

O contrato futuro do concentrado de laranja, o FCOJ-A, até hoje é  negociado em Chicago,

Após o falecimento de seu pai José Cutrale Júnior, em 2004,  José Luís Cutrale assumiu a administração do empreendimento de capital fechado.

No cargo de presidente da Sucocitrico Cutrale, o empresário passou a ser conhecido como "rei da laranja".

Em 2014, em sociedade com o Banco Safra, comprou a empresa americana Chiquita Brands por US$ 1,3 bilhão. O negócio inclui operações de abacaxi, bananas, saladas e snacks.

A trajetória de Cutrale também teve suas controvérsias. 

A empresa chegou a ter seu nome na lista de trabalho análogo à escravidão por conta de irregularidades trabalhistas. 

Em 2016, veio à tona um processo contra a Cutrale e suas concorrentes por formação de cartel que acabou em um acordo de US$ 88 milhões.

Em 2006, José Luis Cutrale se mudou com a família para Londres por temer pela sua segurança e de seus filhos. 

Em 2020, se afastou do dia a dia da empresa para cuidar da saúde. A gestão do negócio ficou a cargo dos filhos que também já ocupavam cargos de direção na Chiquita Holdings:

José Luís Cutrale Júnior, de 49 anos, nascido na Itália e com residência na Suíça; 

José Henrique Cutrale, de 48 anos, também italiano e com residência na Suíça;

e Graziela Cutrale, a caçula, de 46 anos, que nasceu no Brasil, mas possui residência na Inglaterra.

José Luis Cutrale morreu dia 17 de agosto de 2022, aos 75 anos, de causas naturais em Londres. Ele deixa a esposa Rosana, três filhos e seis netos. 

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Como José Luis Cutrale ficou rico

José Luis Cutrale ficou rico com a exploração de laranja, produzindo e exportando o suco da fruta.

Desde pequeno sua família já estava envolvida com a produção e comércio de laranja, mas só em 1967, com a fundação da laranjeira Sucocítrico Cutrale que expandiram.

A empresa cresceu e se tornou uma das líderes do setor, exportando suco de laranja e suco de laranja concentrado para países ao redor do mundo. 

Os clientes incluíram Minute Maid e Simply Orange. 

Na década de 1990, a empresa comprou plantas de processamento de laranja na Flórida da Coca Cola.

Por ser uma empresa de capital fechado, a Sucocítrico Cutrale não divulga suas receitas, mas algumas estimativas fixam as receitas em US$ 4 bilhões.

Onde José Luis Cutrale investe

Não foi apenas no setor citrícola que o império José Luis Cutrale se baseou. O empresário diversificou seus negócios para em uma ampla gama que incluíam logística, produção de grãos, saladas, bebidas, lanches, logística, imóveis, serviços financeiros e assistência médica.

Em 2015, ele e o bilionário bancário brasileiro Joseph Safra (falecido em 2020) adquiriram a empresa de bananas Chiquita Brands International.

José também também detinha quase 20% da Coca Cola - FEMSA, empresa mexicana de bebidas parceira em distribuição da The Coca-Cola Company, da qual o empresário era acionista no Brasil.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.