A história de Tracy Britt Cool na área de investimentos mistura ousadia e talento.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Aos 24 anos, recém-saída da faculdade e quase nenhuma experiência formal de trabalho, a jovem enviou uma carta a Warren Buffett perguntando se poderia trabalhar para ele. Deu certo.

Britt Cool ingressou na Berkshire Hathaway em 2009 como assistente financeira do presidente do conselho, um título inventado por Buffett.

Ao longo de uma década trabalhando ao lado de Warren Buffett, ela se tornou uma das principais assistentes do megainvestidor, junto com os gerentes de investimentos da Berkshire, Todd Combs e Ted Weschler, formando o que Buffett chamava de "os três T's".

O sucesso meteórico de Tracy Britt Cool foi tão grande que ela chegou a ter seu nome cotado como uma das possíveis sucessoras do investidor.

No entanto, para surpresa de muita gente, em 2020 ela deixou a Berkshire para abrir sua própria empresa de investimentos, a Kanbrick

Conheça mais da trajetória da talentosa investidora protegida de Warren Buffett. 

Quem é Tracy Britt Cool

Tracy Britt Cool é uma investidora e empresária americana co-fundadora da Kanbrick, uma parceria de investimento de longo prazo focada na aquisição e construção de grandes empresas.

Amplamente conhecida como protegida de Warren Buffett, Tracy trabalhou na Berkshire Hathaway de 2009 a 2020. 

Ela passou cinco anos na sede da Berkshire em Omaha como assistente financeira do presidente e cinco anos como diretora executiva da Pampered Chef, uma subsidiária da Berkshire Hathaway com sede em Chicago.

Além disso, ela atuou nos conselhos de várias empresas da Berkshire Hathaway, incluindo Kraft Heinz, Benjamin Moore, Oriental Trading Company, Larson Juhl e Johns Manville. Tracy continua a servir no conselho da EverArc Holdings.

Vida e carreira

Tracy Britt Cool nasceu em 7 de setembro de 1984, em Manhattan, estado do Kansas, nos Estados Unidos.

Filha de fazendeiros, ela foi criada no entre o cultivo de frutas, vegetais e flores e, por volta dos 10 anos, dirigia sua própria barraca de produtos. Durante a adolescência, negociava com distribuidores e aperfeiçoou suas habilidades de negócios na fazenda de sua família.

"Cada minuto que eu tinha para trabalhar na fazenda, eu odiava", disse ela à  Harvard Magazine em 2007, “mas, na verdade, moldou minha dedicação, minha ética de trabalho e a maneira como cumpro os compromissos que assumi”, conclui.

Durante a faculdade, Tracy concentrou a maior parte do seu tempo livre aprendendo sobre finanças e passava os verões estagiando em Wall Street em empresas como 85 Broads, Bank of America e Lehman Brothers.

Enquanto estudava em Harvard, ela co-fundou a Smart Woman Securities, em 2006, uma organização que oferece educação sobre finanças pessoais e investimentos para mulheres graduadas.

Também atuou como presidente da Harvard Undergraduate Women in Business (HUWIB).

Durante uma das aulas, da faculdade, os estudantes deveriam descrever onde se imaginariam daqui a 10 anos. Tracy escreveu: "Meu objetivo é trabalhar com um grande investidor, que ainda mais importante é um professor e mentor maravilhoso".

Ela conta que depois que um de seus colegas leu, ele disse que era ingênuo da sua parte desejar isso. 

Depois de se formar na Harvard Business School em 2009, ela enviou uma carta ao presidente da Berkshire Hathaway, Warren Buffett, pedindo para trabalhar para ele por “um dia, uma semana, um mês” e “fazer qualquer coisa”. 

Para sua surpresa, o Oráculo de Omaha aceitou se encontrar com ela.  Britt Cool conseguiu um emprego na Berkshire como assistente financeira de Buffett.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Ela não só entrou para o conglomerado do megainvestidor, como se tornou o braço direito de Buffett com apenas 25 anos de idade, realizando pesquisas financeiras, acompanhando o CEO a reuniões e às vezes levando-o de carro pela cidade. 

Devido ao seu excelente desempenho, cinco anos depois, ela foi nomeada CEO da linha de utensílios de cozinha Pampered Chef, uma subsidiária da Berkshire.

Durante sua década na Berkshire, ela presidiu quatro das subsidiárias do conglomerado, a Larson-Juhl, Johns Manville, Oriental Trading Company e Benjamin Moore e também atuou no conselho da HJ ​​Heinz. 

No início de 2020, pouco depois de as pessoas começarem a incluir Britt Cool em uma pequena lista de possíveis sucessores de Buffett, ela saiu. 

A mudança surpreendeu muitos porque os executivos da Berkshire raramente saem.

Britt Cool lançou sua própria empresa, chamada Kanbrick, em 2020 com Brian Humphrey, ex-executivo de uma das empresas da Berkshire. 

Seu nome é uma junção de “Kansas”, de onde ambos os fundadores são, e “tijolo”, uma referência à noção de que grandes negócios são construídos tijolo por tijolo.

“Não estou construindo uma Berkshire 2.0”, disse ela. “Estou construindo algo diferente usando alguns dos princípios.”

Na vida pessoal, ela é casada com o advogado de Omaha, Scott Cool, desde 2013. Warren Buffett levou Britt Cool até o altar durante a cerimônia.

Estratégia de investimento de Tracy Britt Cool

Tracy Britt Cool possui um estilo de investimento parecido com o do seu mentor, Warren Buffett.

Uma maneira pela qual sua empresa de investimentos, Kanbrick, mantém a estratégia de investimento bem-sucedida do Oráculo de Omaha é encontrar oportunidades em suas áreas de especialização no setor. 

Britt Cool conhece as limitações de suas experiências de investimento. Assim, a Kanbrick atua principalmente em serviços de consumo, industriais e empresariais. Evita setores dos quais não tem conhecimento, como imóveis e biotecnologia. 

Em termos de foco geográfico, a Kanbrick procura oportunidades de investimento na América do Norte.

Assim como a Berkshire, sua empresa preza por empresas tradicionais que sejam fáceis de entender, que possam mantê-las por longo prazo.

Como  Britt Cool insistiu várias vezes, a Kanbrick não é uma imitação da Berkshire. Ela, por exemplo, descartou a crença de seu mentor de que basta identificar empresas com bons gerentes e deixá-los comandar com o mínimo de interferência. 

Segundo matéria do New York Times, ela e seu sócio planejam se envolver profundamente com as empresas que compram.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.