Paul Krugman é conhecido por redefinir as teorias existentes de comércio internacional.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

Ele também foi o responsável por fundar ou cofundar várias novas disciplinas em economia internacional, desde a Nova Teoria do Comércio (NTT) e a Nova Geografia Econômica (NEG) até modelos de crises financeiras e movimentos cambiais.

Em reconhecimento à sua influência, o The Washington Monthly o chamou de "colunista político" mais importante da América.

Mas a reputação de Krugman se estende muito além dos Estados Unidos. Ele é considerado um dos economistas mais influentes do mundo.

 O Asia Times o chamou de Mick Jagger da crítica política/econômica.” Já o The Economist disse que ele é o economista mais celebrado de sua geração.” 

De acordo com o Open Syllabus Project, Krugman é o segundo autor mais citado em programas universitários de cursos de economia. 

Em 2008, foi o único a receber o Prêmio Nobel de Ciências Econômicas "por sua análise dos padrões de comércio e localização da atividade econômica".

Conheça a trajetória do economista Paul Krugman.

Quem é Paul Krugman

Paul Krugman é um economista norte-americano, acadêmico, autor e colunista, conhecido por seu trabalho sobre teoria do comércio internacional e geografia econômica. 

Atualmente é professor de economia de pós-graduação no Center of the City University of New York.

Em 2008, Krugman foi o vencedor do Prêmio Nobel de Ciências Econômicas por suas contribuições à Nova Teoria do Comércio e Nova Geografia Econômica.

Vida e carreira

Paul Robin Krugman nasceu em 28 de fevereiro de 1953 em uma família judia de classe média em Albany, Nova York, Estados Unidos.

Krugman se formou com summa cum laude em Economia pela Yale University em 1974.

E fez seu doutorado em Economia pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) em 1977. 

Enquanto estava no MIT, ele fez parte de um pequeno grupo de estudantes do MIT enviados para trabalhar para o Banco Central de Portugal por três meses no verão de 1976, durante o caótico rescaldo da Revolução dos Cravos .

Krugman se tornou professor assistente na Universidade de Yale em setembro de 1977 e ingressou no corpo docente do MIT em 1979.

Carteira Recomendada? Faça um Diagnóstico Online e Receba uma Carteira Gratuita.

De 1982 a 1983, passou um ano trabalhando na Casa Branca como membro da equipe de Conselho de Assessores Econômicos do Presidente, na presidência de Ronald Reagan.

Paul Krugman voltou ao MIT como professor titular em 1984, onde lecionou até 2000.

Também foi professor na Universidade de Stanford, Yale e na London School of Economics, onde detém o título de Centenary Professor.

Em 2000, Krugman ingressou na Universidade de Princeton como professor de economia e relações internacionais. Ao se aposentar em 2015, recebeu o título de Professor Emérito.

No Graduate Center da City University of New York (CUNY), ele atua desde 2015 como Distinguished Professor of Economics e Distinguished Scholar no Stone Center on Socio-Economic Inequality.

Krugman é pesquisador associado do National Bureau of Economic Research desde 1979, é membro da Econometric Society e do Group of Thirty. 

Foi presidente da Eastern Economic Association em 2010 e atuou como consultor do Federal Reserve Bank de Nova York, do Banco Mundial, do Fundo Monetário Internacional, das Nações Unidas, bem como de vários países, incluindo Portugal e Filipinas.

Livros de Paul Krugman

Paul Krugman é autor e coautor de 27 livros que vão desde best-sellers sobre economia e política para o público em geral, até livros didáticos e artigos acadêmicos sobre macroeconomia, teoria da taxa de câmbio, desenvolvimento internacional, comércio internacional, e geografia econômica. 

Durante sua carreira publicou mais de 200 artigos acadêmicos em revistas profissionais e volumes editados. 

Ele também escreveu várias centenas de colunas sobre questões econômicas e políticas para o The New York Times, Fortune e Slate, além de manter seu blog pessoal.

Alguns de seus livros de destaque são:

Economia Internacional 

Em parceria com Maurice Obstfeld e Marc J. Merlitz, Paul Krugman os principais acontecimentos da Economia internacional com uma linguagem didática, clara e analítica.

A obra se divide em duas partes, uma voltada ao comércio e outra às questões monetárias, onde discorre os lados teórico e prático.

A consciência de um liberal

Krugman embarca mais de um século de história da economia política dos Estados Unidos, desde a Idade Áurea até às calamidades dos anos Bush, as quais, argumenta, tornaram-se inevitáveis desde que o movimento conservador obteve total controle do governo dos EUA. 

Introdução à Economia

Escrito por Paul Krugman e Robin Wells, o livro motiva o interesse dos estudantes em cada capítulo ao tratar dos assuntos econômicos com exemplos práticos e casos reais.

Um País Não é uma Empresa

Desmistificando o complexo mundo da economia, Paul Krugman defende que é fundamental que os líderes empresariais entendam a diferença entre política económica à escala nacional e internacional e estratégia de negócio no âmbito organizacional. 

A Crise de 2008 e a Economia da Depressão

Krugman mostra como a incapacidade dos reguladores de acompanhar os avanços de um sistema financeiro cada vez mais fora de controle predispôs os Estados Unidos e todo o mundo a afundar na mais grave crise financeira desde a década de 1930. 

Ele também expõe as medidas a serem tomadas para conter a crise de 2008 e reverter a queda da economia mundial em grave recessão.

A Desintegração Americana 

Neste livro, Krugman questiona como foi possível para um país rico e próspero ter um declínio tão vertiginoso e rápido e encontra a resposta no Governo Bush. 

Um Basta à Depressão Econômica!

Neste livro, Krugman apresenta um panorama da crise financeira que desencadeou a maior recessão da história desde a Grande Depressão e analisa as iniciativas tomadas pelo governo para restabelecer a atividade econômica.

De acordo com ele, o que os países em recessão precisam é de uma “injeção” de gastos públicos, em vez de corte de gastos, aumentando o investimento em determinadas áreas como forma de resgatar o crescimento econômico.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.