O que é Quebra - empresas

Quebra - empresas é a falência de uma empresa, ou seja, quando ela não tem mais recursos para continuar funcionando e precisa, juridicamente, reconhecer o término de suas operações.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Quebra - empresas pode ser juridicamente conferida pelos credores ou pelos próprios sócios de uma empresa, para realizar pagamentos, burocracias e demais pendências que existam.

Todos os bens da empresa são utilizados para quitar dívidas, sendo leiloados para pagamentos das diversas pendências que possam existir em seu nome. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Motivos de Quebra - empresas 

Há diversos motivos distintos que podem acarretar a Quebra - empresas, mas há alguns que são mais recorrentes, como:

  • Falta de capital de giro;
  • Falta de experiência e/ou inflexibilidade;
  • Falta de conhecimento sobre a área ou o mercado;
  • Falta de planejamento financeiro pessoal do empreendedor;
  • Falta de profissionais competentes;
  • Atendimento ao cliente ineficaz;
  • Falhas operacionais e técnicas;

Um dos principais motivos para Quebra - empresas está relacionado à falta de capital de giro, ou seja, a empresa gasta mais em sua manutenção interna do que obtém lucros.

Isso é uma característica comum nas pequenas e médias empresas, haja vista que muitas delas são empresas fechadas ao capital externo, ou seja, não têm seu capital aberto com Ações.

Certamente, muitas destas empresas não têm condições técnicas para abrir seu capital ou, mesmo, não têm o conhecimento necessário para realizar tal operação na bolsa de valores (B3).

Outra razão de Quebra - empresas é que pode ter uma falta de experiência por parte dos empreendedores e/ou dos cargos mais altos de gerência. 

Além disso, pode ser que esses profissionais tenham perfis mais inflexíveis, o que dificulta uma renovação constante de conhecimento, adaptabilidade às novas tecnologias e inflexibilidade para mudanças.

Também, é possível que os empreendedores ou gerentes da empresa não tenham um conhecimento aprofundado sobre o comportamento daquele setor ou de como impactar o mercado em que estão.

Outro motivo é que pode faltar um planejamento financeiro pessoal por parte do empreendedor, em que não planeja pagamentos, reposição de produtos, gestão financeira, incluindo receitas e despesas.

Isso pode acarretar em um possível endividamento, desestabilizando bastante o andamento e a saúde financeira da empresa.

Ainda, um outro motivo para Quebra - empresas é a falta de contratação de profissionais competentes e especializados no setor. 

Geralmente, contratar um profissional mais capacitado acarreta em um dispêndio maior de gastos, pois, dependendo de sua formação, o salário deve ser maior, além dos benefícios que devem ser pagos.

Isso pode acarretar em um atendimento ao cliente não muito eficaz, devido tanto à formação do profissional quanto ao seu treinamento na empresa, que também pode não ter sido correto.

Finalmente, falhas operacionais e técnicas também podem acarretar em Quebra - empresas, como uma tecnologia em defasagem, produtos de má qualidade, localização ruim do(s) imóvel(is) da empresa, entre outros.

Como recuperar investimentos em Quebra - empresas 

Além dos motivos elencados anteriormente, pode ocorrer uma Quebra - empresas em relação às falhas no setor financeiro da empresa, como má gestão financeira e controle desorganizado de custos.

Também, pode ocorrer uma política de crédito aos clientes que desestabilize o caixa da empresa, assim como um excessivo investimento de capital nos ativos não circulantes.

Os investidores dessa empresa podem ter prejuízos caso haja uma Quebra - empresas e há duas alternativas possíveis para reestruturar seu fundo de ativos:

  • Compra de títulos de créditos de instituições financeiras que são credoras da empresa;
  • Auxílio externo direto, caso a empresa tenha projeção de reestruturação.

Se ocorrer a Quebra - empresas de certa companhia, seus investidores devem esperar para vender seus ativos. 

Mesmo que a tendência seja a queda de preços, pode ser que ela consiga recuperar seu capital após a venda de maquinário, imóveis e demais ativos não circulantes em leilão.