O que é Protecionismo

Protecionismo é um conjunto de medidas adotadas por um país, em relação a imposição de maiores tarifas aos produtos importados, com intuito de estimular sua economia interna.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Com tais medidas, Protecionismo pretende restringir as importações de outros países, defendendo o desenvolvimento do mercado interno e visando um saldo da balança comercial mais positivo.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Vantagens de Protecionismo 

Protecionismo é uma conduta que vem sendo discutida e aplicada desde o sistema mercantilista, anterior à instauração do sistema capitalista e são muitas as vantagens que podem ser atribuídas a ele.

Alguns exemplos destas vantagens são:

  • Desenvolvimento de novas indústrias;
  • Subsídio à indústria nacional pelo Estado;
  • Criação de novos empregos;
  • Proteção do mercado interno;
  • Acúmulo de capital nos países em desenvolvimento;
  • Fixação de cotas.

Primeiramente, Protecionismo tende a valorizar a exportação de seus produtos em detrimento da importação de produtos dos demais países. 

Uma característica, que pode ser interpretada como positiva ou negativa, é em relação à fixação de cotas ao número de produtos importados, assim como de serviços, no mercado interno.

Também, pode-se limitar, inclusive, a fração que acionistas estrangeiros, por exemplo, podem investir em determinadas cotas de empresas nas bolsas de valores e de mercadorias de um país.

Outra vantagem do Protecionismo é incentivar o desenvolvimento de novas indústrias, através do aumento da taxa cambial e demais tarifas, impondo certas barreiras alfandegárias a estes produtos estrangeiros.

Para isto, é preciso que o Banco Central regulamente as medidas e regras, no sentido de desvalorizar a moeda nacional perante ao dólar, que é uma das moedas-padrão para comercialização.

O Banco Central é o principal responsável por regular medidas em relação à taxa de juros básica (Selic), ao poder de compra e estabilidade de preços.

No caso da teoria do Protecionismo, a tendência é que o Banco Central desvalorize a moeda brasileira, estimulando o consumo interno e a indústria nacional.

Assim, é possível que o Protecionismo proteja o mercado interno nos seus setores principais, também mantendo atividades e empregos secundários que se relacionem com os setores principais.

Outra vantagem do Protecionismo é em relação ao subsídio do Estado para estimular a indústria interna. Com isso, a tendência é que não haja competição com empresas de outros países.

Com esse estímulo industrial nacional, também há a tendência de que novos empregos sejam criados, como decorrência das novas indústrias criadas.

Dessa maneira, com o desenvolvimento interno crescente da economia, os países em desenvolvimento tendem a acumular mais riquezas, segundo a teoria do Protecionismo.

Desvantagens de Protecionismo 

Como uma teoria econômica, Protecionismo também é visto por alguns teóricos com mais atribuições negativas do que positivas, que é o caso do liberalismo.

Atualmente, o liberalismo é uma conduta escolhida para estabelecer as medidas econômicas e comerciais entre países, em que o mercado se autorregula.

Para fiscalizar essas medidas, a Organização Mundial do Comércio (OMS) cumpre essa função, tentando que os países evitem políticas relacionadas ao Protecionismo.

Então, algumas desvantagens do Protecionismo são:

  • Isolamento em relação ao mercado externo;
  • Atraso tecnológico;
  • Acomodação da indústria nacional.

Um país, que atua de acordo com o Protecionismo, tende a sofrer isolamento do mercado estrangeiro, pois, assim, desestimula a comercialização de seus produtos devido às altas tarifas impostas.

Uma das consequências disso é a maior dificuldade para entrada do capital estrangeiro.

Além disso, Protecionismo pode gerar um atraso tecnológico, pois, muitas vezes, um país pode não ter um determinado recurso ou matéria-prima que seria fundamental para o desenvolvimento de outros produtos.

Isso também faz com que os consumidores tenham menos opções e variedades de compra de produtos, inclusive, escassez de produtos.

Protecionismo também gera uma acomodação da indústria nacional, pois, com menor variedade no mercado interno, os produtos não têm competição com os produtos estrangeiros.

Assim, o consumidor provavelmente ficará mais restrito com as opções de consumo.