O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), avalia que o projeto de privatização da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp (SBSP3) poderia melhorar a oferta dos serviços prestados bem como antecipar o prazo de universalização do acesso ao saneamento básico no Estado.

Em entrevista ao Broadcast Live, nesta quinta-feira, 2, Garcia não respondeu sobre o prazo previsto pelo governo para que a empresa passe das mãos do Estado para a iniciativa privada, mas ressaltou que a Sabesp é "uma boa empresa pública e que tem entregado resultados".

"Qualquer decisão de privatização e concessão de serviço público tem que levar em conta o interesse público e o impacto que ela vai gerar na vida das pessoas”.

“Não se fende estatal ou fecha órgão público se não for ao encontro do que as pessoas desejam: melhores serviços, antecipação de serviços", disse ele.

"Não é o objetivo do governo fazer caixa, mas entendemos que ela a Sabesp nas mãos privadas poderia antecipar a universalização do saneamento básico em São Paulo, poderia ser mais eficiente na distribuição de água para a população de São Paulo que é atendida pela Sabesp, bem como criar novas estratégias para que melhore o serviço de saneamento", completou.

Segundo Garcia, a Sabesp talvez seja a "joia da coroa" para o interesse do mercado, mas não necessariamente de interesse das pessoas.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

O vice-governador, que também ocupa o cargo de secretário de Governo, disse que divide com o secretário de Projetos e Ações Estratégicas, Rodrigo Maia, e o secretário estadual da Fazenda, Henrique Meirelles, o futuro da companhia.

Para o vice-governador, não se trata de ter um poder público gordo ou magro, mas sim equilibrado. "É fundamental que o Estado tenha capacidade de investir em áreas básicas", destacou.

Resultado da Sabesp no Segundo Trimestre de 2021

O resultado da Sabesp (SBSP3) no segundo trimestre de 2021 (2t21), divulgado no dia 12 de agosto, apresentou lucro líquido de R$ 773,0 milhões no 2T21, uma alta de 104,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda ajustado da Sabesp atingiu R$ 1,5 bilhão no 2T21, apresentando retração de -8,1% na comparação com o 2T20.

A margem Ebitda ajustada da Sabesp totalizou 31,6% no 2T21, apresentando retração de -4,1 pontos percentuais na comparação com o 2T20.

A margem líquida da Sabesp atingiu 16,8% no 2T21, apresentando crescimento de 8,3 pontos percentuais na comparação com o 2T20.

As ações da Sabesp (SBSP3) acumulam alta de 0,77% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 25,96% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.