O metaverso apresenta uma perspectiva tentadora para times esportivos, como o Manchester City, com o objetivo de disputar um envolvimento mais imersivo dos torcedores.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

O Manchester City, clube da Premier League inglesa, iniciou a construção do primeiro estádio de futebol do mundo no metaverso em parceria com a Sony.

O City uniu forças com a Sony para ajudar os torcedores a participarem de todos os jogos de onde quer que estejam.

O projeto ainda está nas fases iniciais e tem como previsão três anos de duração.

A parceria já proporcionou que especialistas fizessem um mapeamento digital inicial do estádio do clube para desenvolver a versão do estádio em realidade virtual.

Este empreendimento tem o potencial de trazer enormes receitas para o clube, considerando que o Twitter do clube tem seguidores de US$ 11,6 milhões.

O estádio do clube, conhecido como Etihad Stadium, será o componente central de um novo mundo de realidade virtual.

Essa nova plataforma de metaverso será possibilitada pela tecnologia de rastreamento Hawk-Eye da Sony e pela experiência em análise de imagens.

Qual Criptomoeda Comprar Hoje? Baixe Grátis o Relatório da Criptomoeda Promissora para 2022.

O Que É Possível Esperar

A diretora de marketing do City, Nuria Tarre, já comentou sobre o que é possível esperar da experiência esportiva neste metaverso.

“O que nos empolga em imaginar de ter um metaverso é que você pode recriar um jogo, assistir ao jogo ao vivo, fazer parte da ação por diferentes ângulos, conta ela.

“É possível encher o estádio o quanto quiser, porque é ilimitado e completamente virtual, explicou a executiva.

O metaverso é melhor descrito como um mundo virtual com experiência visual e artística altamente sofisticada e DeFi baseado em criptografia, repleto de comunidades autogovernadas e alimentado por redes blockchain interoperáveis.

O time sete vezes campeão da Premier League está explorando a possibilidade de torcedores conhecerem jogadores no metaverso e adquirirem produtos indisponíveis no mundo físico.

É provável que as compras desses tokens não fungíveis (NFTs) sejam feitas usando criptomoedas.

Como Funcionará o Esporte no Metaverso

Idealmente, a participação no metaverso é alcançada por meio de um headset de realidade virtual e controles manuais para interagir com o espaço virtual.

A Reality Labs, uma divisão da Meta, antes conhecida como Facebook, parece ser uma das primeiras participantes deste metaverso.

Com sua recente compra da gigante de jogos Activision Blizzard, a Microsoft também deixou clara a sua jogada para o metaverso.

O desenvolvimento atual do metaverso permite que uma partida de futebol seja disputada no mundo virtual, tendo a aparência de um videogame da FIFA.

O ideal de assistir a jogos reais em um estádio virtual “não está muito distante”, de acordo com Andy Etches, cofundador da Rezzil.

A Rezzil é a empresa responsável pelo jogo do metaverso Player 22, usado para treinar jogadores da Premier League.

Se a ideia de aderir ao metaverso pegar, será possível ver os clubes da Premier League vendendo direitos de transmissão diretamente aos torcedores por meio de suas próprias plataformas. 

A Gartner Infotech previu recentemente que 25% das pessoas passarão uma hora no metaverso até 2026 para fins de entretenimento, entre outras coisas.

Atualmente, as transmissões da Premier League são vendidas para redes de televisão como um pacote, assim como ocorre em outros países como no Brasil.

Ainda assim, vale ressaltar que nem todo mundo está entusiasmado com o fato de o metaverso estar nas mãos de grandes empresas ou instituições.

Em uma pesquisa do Advokate Group, 77% dos mil entrevistados americanos estavam particularmente preocupados com o papel da Meta no futuro do mundo virtual imersivo.

Fonte: Binance News