O que é Prime Rate

Prime Rate é a taxa preferencial de juros sobre empréstimos, mais baixa do que o valor vigente no mercado financeiro, que os bancos cobram dos seus clientes mais privilegiados.

Prime Rate é uma referência para o cálculo das demais taxas de juros, servindo, por exemplo, como base do sistema de juros estadunidense.

Prime Rate, especialmente, é direcionada para as grandes corporações que possuem um grande crédito, recebendo esse tratamento diferenciado.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Características de Prime Rate 

Prime Rate é a taxa preferencial de juros sobre empréstimos que os bancos cobram das grandes corporações, que detêm grande crédito.

Ela é determinada pela taxa overnight usada pelos bancos, cuja função é fazer a transação de empréstimo entre essas instituições financeiras.

A taxa overnight são operações diárias realizadas pelos bancos durante o mercado aberto, com a intenção de financiar suas posições na compra de títulos públicos do Tesouro Direto, por exemplo.

Os bancos repassam esses títulos aos seus investidores e estes, por sua vez, os compram novamente a uma taxa diária no dia posterior.

São definidos, assim, os títulos que se mantêm de um dia para o outro, podendo sofrer riscos, pois os valores deles podem variar durante a noite.

Prime Rate é a referência para a maior parte das outras taxas de juros, como empréstimos a pequenas empresas, empréstimos pessoais e hipotecas.

As taxas de juros, de um modo geral, auxiliam na cobertura dos possíveis riscos dos empréstimos e podem, quando necessário, compensar os valores de risco do credor.

Essa compensação baseia-se no histórico de crédito do devedor, além de demais informações sobre transações financeiras anteriores.

No cálculo, quando se adiciona uma porcentagem à Prime Rate, significa que se formou a base da maioria das demais taxas de juros.

Como funciona Prime Rate 

Sabe-se que o principal fator de influência nas taxas de juros sobre empréstimos é o risco de inadimplência. Sendo assim, o banco deve analisar o perfil do tomador de empréstimos.

Como a probabilidade de inadimplência de um cliente com altos índices de crédito é muito baixa, a instituição financeira consegue cobrar juros mais baixos do que o comum.

Cabe às instituições financeiras determinarem suas próprias taxas de juros, não há uma taxa padrão para todas. Porém, geralmente, costuma-se fazer uma média das taxas dos bancos mais importantes.

Ainda, no Brasil, há uma influência grande da taxa básica de juros, a Selic, pois os bancos utilizam-na para captar seus recursos e nas transações interbancárias para financiar operações.

Deste modo, é possível calcular, então, a Prime Rate, sob influência da taxa Selic e das taxas praticadas pelos demais bancos.

Embora, no Brasil, os bancos levem em conta as taxas básicas de juros, para a Prime Rate e, consequentemente, para empréstimos, as instituições têm autonomia de decisão sobre os valores.

Em relação às taxas de juros variáveis, por exemplo, aquelas que são usadas para cartão de crédito podem ser definidas através da Prime Rate adicionando uma porcentagem fixa.

As taxas de cartão de crédito podem oscilar, utilizando a Prime Rate como taxa básica subjacente, porém, uma porcentagem definida, maior que a Prime Rate, estará sempre fixada.

Além disso, sabemos que a Prime Rate está disponível somente para os clientes que possuem melhor crédito financeiro, pois são geralmente grandes empresas com baixo risco de inadimplência.

Com isso, dificilmente haverá pequenas empresas, ou seja, tomadores de empréstimos que sejam empresas com poucos funcionários ou, até, tomadores individuais.

A preferência sempre é disponibilizar empréstimos baseando-se na Prime Rate para aqueles que são considerados estáveis no mercado financeiro.

Ainda, mesmo que a Prime Rate oferecida seja um determinado valor, os bancos podem oferecer menores preços que este.

Isso ocorre, pois não há obrigatoriedade de seguir a Prime Rate, mesmo ela sendo a taxa de juros de referência e já estando menor que a taxa básica de juros, por exemplo.