O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, pretende investir parte das reservas do tesouro da cidade em bitcoin (BTC).

Ele falou do assunto na quinta-feira (13) em palestra com o prefeito de Miami, Francis Suarez, na Rio Innovation Week.

"Vamos lançar o Cripto Rio e aplicar 1% do Tesouro em criptomoeda", disse Paes.

As moedas digitais cariocas poderão ajudar na ampliação de recursos para projetos estratégicos da cidade. 

Os especialistas ainda irão avaliar a possibilidade de investimentos do Tesouro em criptomoedas. O resultado dos estudos será divulgado em 90 dias, a contar da publicação do decreto.

O prefeito também citou, como investimentos futuros da gestão em inovação e tecnologia, o Portomara Valley, área do Porto Maravilha com isenção fiscal para empresas do segmento tech. "O governo tem um papel a cumprir."

Outra novidade será o desconto no imposto territorial e predial urbano (IPTU) pago em bitcoin.

"Estamos estudando a possibilidade do pagamento de impostos com um desconto adicional, se você pagar em bitcoin. O desconto da alíquota simples de 7% do IPTU vira 10% se você pagar em bitcoin. Vamos estudar a estrutura legal para fazermos isso.", disse o secretário de finanças e planejamento da cidade, Pedro Paulo, ao O Globo.

Se a capital carioca tiver sucesso com seu plano, se tornará a primeira cidade brasileira a ter bitcoin em seu balanço.

Ao fim da palestra, os secretários Pedro Paulo, da Fazenda, e Chicão Bulhões, de Desenvolvimento Econômico e Inovação, detalharam os planos da prefeitura no universo cripto para o jornal O Globo. 

"Estamos criando um grupo de trabalho que vai desenvolver o Rio como um hub de criptomoedas.", diz Pedro Paulo.

Bulhões acredita que o Rio vai ser uma cidade pioneira nesse assunto, principalmente no que diz respeito ao investimento do Tesouro em ativos criptos, e a ideia é levar empresas desse universo para além da zona sul.

"Essas empresas estão na região do Leblon e Ipanema e queremos descentralizar o máximo possível. Já têm incentivos fiscais aprovados, que queremos concentrar muito na região do Porto", diz Chicão.

Seguindo os passos de Miami

O prefeito do Rio de Janeiro está seguindo o exemplo do amante de bitcoin de Miami, Francisco Suarez.

No ano passado, o prefeito anunciou sua intenção de investir as reservas do tesouro da cidade em bitcoin. Mas ele ainda precisa dar continuidade aos planos. 

Em outubro, Suarez disse que é uma “alta prioridade” para a cidade investir parte de seus fundos em bitcoin.

O Rio de Janeiro começou a flertar com o Bitcoin há alguns meses, quando a possibilidade de criar uma zona de criptomoedas na cidade começou a ser ventilada pelo governo.

Atento às inovações, a conexão com Miami coloca o Rio de Janeiro na mira da comunidade de criptomoedas, a primeira metrópole da América Latina a se mover neste caminho.