O ano de 2021 registrou o maior aumento do preço médio de imóveis dos últimos sete anos. Segundo o Índice FipeZap, baseado em anúncios de imóveis na internet, os preços subiram 5,29% no ano passado.

Os valores aumentaram em 47 das 50 cidades analisadas. No entanto, em cinco das 16 capitais monitoradas, a variação do preço médio ficou bem acima da média nacional.

A maior alta foi registrada em Vitória (ES): 19,86%. Em seguida aparece Maceió (AL), com 18,50%.

O levantamento ainda mostra que as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro seguem com os maiores preços médios de metro quadrado.

Neste ranking ainda aparecem três cidades catarinenses: além da capital Florianópolis, Balneário Camboriú, Itapema e Itajaí ficaram entre os dez maiores preços do metro quadrado do imóvel.

  • 1 – São Paulo (SP): R$ 9.708;
  • 2 – Rui de Janeiro (RJ): R$ 9.650;
  • 3 – Balneário Camboriú (SC): R$ 9.358;
  • 4 – Itapema (SC): R$ 8.856;
  • 5 – Brasília (DF): R$ 8.788;
  • 6 – Florianópolis (SC): R$ 8.582;
  • 7 – Vitória (ES): R$ 8.562;
  • 8 – Itajaí (SC): R$ 7.909;
  • 9 – Barueri (SP): R$ 7.748;
  • 10 – Curitiba (PR): R$ 7.518.  
Informe o DDD + 9 dígitos

Fonte: Abecip.org.