O que é Prazo de Cotização

Prazo de Cotização é um determinado intervalo de tempo para que uma quantia em dinheiro seja convertida em cotas.

Quando se encerra esse período, o investidor receberá ou pagará pelo valor, a depender da cota de ativos financeiros envolvida. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Prazo de Cotização e Prazo de Liquidação

Prazo de Cotização é o período que passa a ser contado a partir do momento em que a operação financeira é realizada, no mesmo instante que o Prazo de Liquidação.

Prazo de Cotização está englobado no Prazo de Liquidação, uma vez que Prazo de Cotização é o período de conversão do dinheiro em cotas, e o tempo restante para seu resgate é o Prazo de Liquidação.

Assim, há um tempo total de conversão do dinheiro em cotas. Para que esse valor seja resgatado ou debitado, ainda há mais alguns dias úteis envolvidos, a depender do investimento.

Então, pode-se entender que o Prazo de Cotização é o primeiro momento dessa conversão, em que será definido a quantia em dinheiro que é possível para compra ou venda.

Basta esperar pelo Prazo de Liquidação para que a transação seja finalizada na conta corrente do investidor ou do comprador, ou seja, para haver movimentação e encerramento da operação.

Características de Prazo de Cotização

Prazo de Cotização varia conforme os regulamentos das corretoras ou dos respectivos fundos envolvidos em uma operação sobre os ativos.

Nos regulamentos, estarão determinadas as informações sobre políticas de administração de riscos, formas para se distribuir as cotas, e demais normas referentes aos fundos.

Os investimentos também contam com lâminas, que são um conjunto de suas características, como, por exemplo, indicadores de desempenho e rentabilidade anterior.

É responsabilidade dos próprios investidores se certificarem que o Prazo de Cotização condiz com as condições mais favoráveis às suas metas, analisando regulamentos e lâminas.

Estando cientes sobre tais condições estabelecidas pelos fundos ou pelos gestores dos ativos, basta os investidores iniciarem o processo, aguardando o respectivo Prazo de Cotização.

Há dois tipos de Prazo de Cotização:

  • Cotização rápida;
  • Cotização lenta.

No Prazo de Cotização rápido, a duração pode corresponder de um até cinco dias úteis. 

Alguns ativos com essas características são o CDB (Certificado de Depósito Bancário), Tesouro Direto, Tesouro Selic, entre outros.

Prazo de Cotização lento pode corresponder a 15 dias úteis, um mês, até mesmo um ano, não há uma data certa.

Isso porque o gestor responsável pelo ativo precisa analisar a carteira de investimentos para ser possível movimentá-los, de forma que não prejudique os demais investidores desse fundo.

É necessário analisar a taxa de liquidez relacionada ao ativo em questão, pois, quanto maior for a liquidez, menor o Prazo de Cotização, valorizando a conversão a ser recebida.

Caso a taxa de liquidez seja baixa, o Prazo de Cotização se estende, não sendo tão interessante, pois será desvalorizado o valor em dinheiro, prejudicando as cotas futuras.

Também é possível fazer o processo inverso, no chamado Prazo de Descotização. Ou seja, é o período em que a cotização é desfeita, com o objetivo de converter as cotas em dinheiro.

Tanto o Prazo de Cotização quanto o Prazo de Descotização variam conforme a liquidez, transparecendo no período denotado em dias úteis (representados pela letra D). 

O D é o dia em que é realizada a operação para resgatar essas cotas ou dinheiro.

Esse tempo varia a partir de D+0, em um fundo de liquidez imediato, por exemplo, um fundo referenciado DI. O prazo é o mesmo em que se realizou a operação.

Também, pode ser D+3, em um fundo multimercado, ou seja, três dias úteis.

Ainda, pode representar-se por D+30, em um fundo de investimento em ações e D+60, também em um fundo de ações, porém de baixo risco.