O tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira pedido feito pela superintendência-geral do órgão de adiar, por 90 dias, o prazo para analisar a operação de compra da Oi (OIBR3) pelas rivais TIM (TIMS3), Claro e Vivo.

Com isso, se a data final para o órgão decidir sobre o negócio entre as operadoras de telefonia passa de 18 de novembro deste ano para fevereiro de 2022.

Mais cedo, a superintendência-geral do Cade recomendou a aprovação do negócio, condicionada à assinatura de um acordo que prevê, entre outras ações, o compartilhamento de redes, aluguel de espectro de radiofrequência, contratos de roaming e oferta de pacotes de voz e dados para operadores virtuais.

Em despacho, a área técnica afirma que não há necessidade de distribuição da base de clientes da Oi entre concorrentes nem de venda de ativos.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa

Resultado da Oi no Segundo Trimestre de 2021

O resultado da Oi (OIBR3) no segundo trimestre de 2021 (2t21), divulgado no dia 11 de maio, apresentou um lucro líquido de R$ 1,1 bilhões no 2T21, apresentando alta de 133,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Oi atingiu R$ 1,3 bilhão no 2T21, apresentando retração de -6,5% na comparação com o 2T20. 

A margem Ebitda da Oi totalizou 29,0% no 2T21, apresentando retração de -0,9 ponto percentual na comparação com o 2T20.  

A margem líquida da Oi atingiu 51,0% no 2T21, apresentando crescimento de 199,1 pontos percentuais na comparação com o 2T20. 

As ações da Oi (OIBR3) acumulam alta de 4,00% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e queda de 32,16% nos últimos 12 meses.

Fonte: Estadão Conteúdo.