Poder da Reserva de Oportunidade para Se Prevenir de Crises
|

Poder da Reserva de Oportunidade para Se Prevenir de Crises

Entenda a importância de ter um caixa estratégico e convicção nas suas teses de investimento para se preparar para crises.

Por
Atualizado em 25/06/2021

Semana passada fui bombardeado de perguntas sobre uma possível crise que estaria por vir. 

Essa preocupação por parte dos investidores é proveniente do volume de notícias e previsões “criativas” disponibilizadas na internet.  

É fato que uma crise financeira pode acontecer a qualquer momento. 

Quando digo a qualquer momento, me refiro a uma janela de tempo entre 1 dia até 20 anos. 

Acredito que você já tenha ouvido o famoso Provérbio Chinês: “Espere o melhor, mas esteja preparado para o pior”

Uma carteira de investimentos deve incorporar essa variável em sua constituição.

Meus 15 anos como investidor me mostraram que empresas excepcionais e geridas por profissionais competentes, são capazes de gerar valor ao longo tempo.

Se é possível comprá-las a preços que façam sentido, as ações irão proporcionar excelentes retornos com ou sem crises no médio e longo prazo.

Apesar disso, uma estratégia que considere 100% de exposição em bolsa de valores, não faz sentido. 

Como falei anteriormente, em algum momento a crise chegará e isso deve ser aproveitado. 

Oportunidades extraordinárias surgem nestes períodos e não costumam durar muito tempo. 

Isso justifica minha persistência em alertar a necessidade da reserva de oportunidade ou caixa estratégico, chame como preferir. 

Banner will be placed here

Se a crise chegar em 1 dia ou daqui a 20 anos e você tiver caixa, ela não será ruim para você.

Particularmente, nunca me preocupei com crises, sempre reforcei a importância de se carregar uma robusta reserva de oportunidade

Inclusive, graças a ela, fui capaz de reforçar a recomendação de compra das ações da VULC3 pagando apenas R$ 3,60 por ação, o que hoje alegra os assinantes do canal Joias da Bolsa.

A VULC3 era uma ação que já estava na carteira do Joias e quem soube aproveitar o desconto em 2020, acumula mais de 160%. 

Saiba que isso só é possível com a combinação de caixa + convicção na tese de investimento

Se sua tese sobre uma empresa é fraca, você não vai conseguir comprar quando suas ações caírem

Se sua tese sobre uma empresa é forte, você vai comprar quando caírem, sabendo que está fazendo um excelente negócio

O sentimento diante da queda muda por completo quando existe convicção.

Justamente por esse motivo, sou tão diligente ao incluir uma ação na carteira do Joias.

Qual a Melhor Small Cap na Bolsa? Veja Aqui a Melhor Small Cap para Você Investir Hoje!

Neste momento estou de olho em diferentes oportunidades, além é claro das que já constam no banco reserva do canal. 

Dentre elas, essas são algumas:

As ações do Banco Pine (PINE4) talvez sejam as mais controversas entre essas 4 opções, já que a empresa passa por um processo de reestruturação interna

TTWO são as stocks de uma empresa de games com mais de 2 bilhões de dólares em caixa e que é a criadora da franquia do GTA, muito conhecida entre os gamers.

BABA34 é a BDR da monstra do e-commerce chinês Alibaba, que nas últimas semanas começou a negociar suas ações a preços interessantes.

Por fim, B3SA3, que são as ações da nossa bolsa de valores (B3), começou a negociar a preços válidos desde que seu monopólio começou a correr risco de acabar. 

Nada impede que uma dessas ações pule o banco reserva e vá diretamente para a carteira oficial. 

Isso irá depender do quanto estamos convictos sobre a tese de investimentos e, claro, se encontrarmos uma verdadeira assimetria positiva entre preço e valor

Continuaremos analisando essas ações e conforme cresça a convicção sobre alguma delas, avisaremos no telegram dos assinantes do Canal Joias da Bolsa.

Análise de Ações

Disclaimer: Declaro que as informações contidas neste texto são públicas e que refletem única e exclusivamente a minha visão independente sobre a companhia, sem refletir a opinião do The Capital Advisor ou de seus controladores.

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE