O que é PIB Potencial

PIB Potencial é um indicador econômico da capacidade máxima de oferta de uma economia compatível com a estabilidade da inflação.

Ainda pode ser interpretado como o potencial de crescimento da economia, dada sua capacidade produtiva instalada, que não cause pressões inflacionárias.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como interpretar o PIB Potencial

Se a economia de determinado país cresce acima do PIB Potencial, surgem pressões inflacionárias, uma vez que a demanda excede a oferta.

Caso o PIB de determinado país fique abaixo de seu PIB Potencial, a interpretação é de que ainda existe espaço para alcançar um potencial econômico. É por esse motivo que o PIB Potencial também é chamado de Produto Potencial ou PIB Natural

No caso de um equilíbrio entre o PIB e o PIB Potencial, conclui-se que a demanda se iguala à oferta, e o pleno emprego é atingido, atingindo um produto de equilíbrio.

No entanto, é importante notar que a economia não depende apenas da produtividade potencial, mas também da disponibilidade de recursos naturais, mão de obra disponível e tecnologia.

Mensuração do PIB Potencial 

Dessa forma, analisa-se os resultados do PIB Potencial e sua variação em certos períodos de tempo. A variação do PIB Potencial pode decorrer da variação de oferta de mão de obra, estoque de capital e produtividade total dos fatores.

Contudo, a medida do PIB Potencial é considerada complexa e com diversas limitações, pois baseia-se no comportamento de componentes indiretos, como tendência de produtividade, nível de pleno emprego no mercado.

Apesar das limitações que o cálculo do PIB Potencial oferece, existem inúmeras maneiras de calcular o PIB Potencial. 

O método utilizado pelo Banco Central é o Hodrick e Prescott (HP), enquanto no Brasil, o IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) utiliza o método de função do produto.

Análise do PIB Potencial

Independentemente das controvérsias do cálculo do PIB Potencial, sua interpretação revela flutuações cíclicas no curto prazo, de modo a determinar políticas monetárias a serem seguidas.

Na análise do PIB Potencial, utiliza-se a diferença entre o PIB e o PIB Potencial, como explicado anteriormente. 

Esse resultado é chamado de hiato do produto, e seu resultado auxilia a determinação de medidas para alcançar o produto de equilíbrio (pleno emprego e estabilidade de preços).

No caso de um hiato do produto negativo, que implica em uma demanda menor que a oferta e mão de obra disponível, o Governo pode implementar políticas monetárias para estimular a economia.

Nesse exemplo, uma redução na taxa de juros é capaz de impulsionar a economia. O Governo ainda pode decidir aumentar seus gastos para impactar a demanda, dentro da lógica do efeito multiplicador do PIB.

Os efeitos do hiato do produto

Quando analisado ao longo do tempo, o resultado da diferença entre o PIB e o PIB Potencial pode levar a análises mais completas, que exigem diversas abordagens para sua superação.

Ainda discutindo o caso do hiato do produto negativo e prolongado, não se aborda apenas o problema da alta mão de obra disponível (ou alta taxa de desemprego), aborda-se também o possível encolhimento do mercado de trabalho, com aumento do trabalho informal.

Dentro dessa lógica, existe menor reserva de capital para ser aplicada em infraestrutura, pesquisa e desenvolvimento e tecnologias novas, reduzindo ou estacionando o crescimento econômico do país.

Nesse contexto, a cobrança de impostos é reduzida, o que implica em menor arrecadação do Governo e menor capacidade de o Governo aumentar seus gastos para impulsionar a economia, ao mesmo tempo em que existe aumento de gastos com a Previdência Social (como seguro desemprego).

De modo oposto, o hiato do produto positivo e prolongado também cria um ambiente instável, onde a demanda é extremamente alta, levando a altos níveis de inflação e de preço, causando uma queda no salário real, que afeta o custo de vida da população.