PetroRio Conclui Interligação nos Campos de Polvo e Tubarão
| ,

PetroRio Conclui Interligação nos Campos de Polvo e Tubarão

A PetroRio tornou-se a primeira empresa independente a criar um polo privado de produção de campos maduros na região da Bacia de Campos.

Por
Atualizado em 14/07/2021

A PetroRio (PRIO3) informou nesta quarta-feira (14), através de fato relevante, que concluiu a interligação entre os campos de Polvo e Tubarão Martelo, tornando a PetroRio a primeira empresa independente a criar um polo privado de produção de campos maduros na região da Bacia de Campos.

O projeto de interligação entre a Plataforma Polvo-A e o FPSO Bravo, que teve duração total de 11 meses e custo de US$ 45 milhões, possibilitará uma redução de custos operacionais da ordem de US$ 50 milhões por ano para a PetroRio, correspondentes ao valor de leasing do FPSO Polvo, atualmente afretado ao campo e operado pela BW Offshore, e gastos com manutenção e diesel.

Banner will be placed here

O custo total de operação do cluster, que estava em cerca de US$ 120 milhões por ano, será reduzido a aproximadamente US$ 70 milhões por ano.

A redução dos custos absolutos do novo cluster permitirá que mais óleo seja recuperado nos reservatórios, durante um maior período, aumentando consideravelmente o fator de recuperação dos campos.

De acordo com o relatório de certificação de reservas da DeGolyer and MacNaughton, publicado este ano, o cluster tem vida econômica até 2037 (ao considerarmos as reservas provadas 1P), o que representa uma extensão de 10 anos para Polvo e 12 anos para Tubarão Martelo.

O FPSO Bravo, construído e entregue ao Campo de TBMT em 2012, possui alta confiabilidade operacional e alta capacidade de processamento e armazenamento de óleo, propiciando maior eficiência operacional para o Campo de Polvo.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Do ponto de vista ambiental, as sinergias reduzirão as emissões do polo de 18,6 para 13,7 kg de CO2 por barril produzido após a conclusão do tieback, tornando a operação mais sustentável, e menos impactante ao meio ambiente.

A partir desta data, a PetroRio passará a ter o direito sobre 95% do óleo do polo Polvo + TBMT até os primeiros 30 milhões de barris de óleo produzido, e 96% do óleo do polo após 30 milhões de barris produzidos, assim como será responsável por 100% dos custos de Opex, Capex e abandono dos campos.

A distância do tieback entre a plataforma Polvo-A e o FPSO Bravo é de 11 quilômetros, compreendendo 22 quilômetros de linhas instaladas, entre a linha de produção (flowline) e umbilical elétrico.

Melhores Negócios para Investir Hoje? Veja as 3 Empresas com Maior Potencial de Valorização na Bolsa.

Na fase final do projeto, foram realizadas duas paradas programadas, de 10 dias em Polvo e 7 dias em TBMT, para adequações no sistema elétrico, nas linhas de produção e no processamento de óleo e água produzida.

Resultado da PetroRio no Primeiro Trimestre de 2021

O resultado da PetroRio (PRIO3) no primeiro trimestre de 2021 (1t21), divulgado no dia 03 de maio, apresentou um prejuízo líquido (excluindo o IFRS 16) de R$ 39,7 milhões no 1T21, versus um lucro de R$ 46,2 milhões em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da PetroRio atingiu R$ 407,7 milhões no 1T21, apresentando crescimento de 176% na comparação com o 1T20.

A Margem Ebitda da PetroRio totalizou 62% no 1T21, apresentando retração de 4,0 pontos percentuais na comparação com o 1T20. 

A Margem Líquida da PetroRio atingiu -6,0% no 1T21, apresentando retração de-26,7 pontos percentuais na comparação com o 1T20.

As ações da PetroRio (PRIO3) acumulam queda de 4,30% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 149,37% nos últimos 12 meses.

Notícias do Mercado Financeiro

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE
[Nova]
[Nova]