Peter Thiel compartilhou sua “lista de inimigos” publicamente durante seu discurso na conferência Bitcoin 2022 em Miami, na quinta-feira (7). Entre as pessoas que, segundo ele, estão tentando parar a criptomoeda, está Warren Buffett.

Para o investidor de risco, Buffett é o “Inimigo nº 1” do bitcoin (BTC) e criticou o CEO da Berkshire Hathaway (BERK34), referindo-se a ele como um "vovô sociopata de Omaha".

Thiel é cofundador bilionário do PayPal e Palantir e acumulou centenas de milhões de dólares em bitcoin por meio da empresa Founders Fund.

Além de Warren Buffett, ele também chamou o CEO do JPMorgan, Jamie Dimon, e o CEO da BlackRock, Larry Fink, como dois outros membros de uma “gerontocracia financeira” que se opõe ao “movimento revolucionário da juventude” por trás do bitcoin.

Durante seu discurso, Thiel acusou os três magnatas das finanças de facilitar um sistema que abriga preconceitos institucionais e políticos contra o Bitcoin.

“Os bancos centrais estão falidos. Estamos no fim do regime de moeda fiduciária”, declarou Thiel, que acredita que o Bitcoin é a melhor alternativa para todo o sistema financeiro tradicional.

“Por que o bitcoin ainda não subiu de US$ 100.000 a um milhão de dólares? Por que ainda não convergiu com o ouro ou mesmo com os mercados de ações de forma mais ampla?” disse Thiel. 

“É um movimento como uma questão política, se esse movimento vai ter sucesso ou se os inimigos do movimento vão conseguir nos parar.”

Qual Criptomoeda Comprar Hoje? Baixe Grátis o Relatório da Criptomoeda Promissora para 2022.

Críticas à empresas ESG

Em seu discurso, o executivo do PayPal também não poupou a indústria de tecnologia, com um possível aceno para o que ele vê como empresas de tendência liberal, como a Meta, que estão sujeitas a regulamentações governamentais.

“As empresas Woke são quase controladas pelo governo de uma maneira que o Bitcoin nunca será”, disse Thiel.

Embora Thiel não tenha mencionado nomes, ele apelidou qualquer empresa ESG, que leva em consideração critérios ambientais, sociais e de governança, como uma “fábrica de ódio” que nomeia e envergonha as empresas. 

Ele provavelmente estava se referindo a fundos que se recusaram a possuir bitcoin devido aos custos ambientais da mineração de novas moedas.

“Quando você está pensando em ESG, você deveria estar pensando no PCC”, proclamou Thiel, referindo-se ao partido comunista que governa a China. 

Esta não é a primeira vez que Thiel expressa preocupação com o governo chinês. No ano passado, ele disse que o Bitcoin poderia ser usado como uma “ arma financeira chinesa ” e disse que os americanos deveriam ser cautelosos sobre como a China está desenvolvendo sua própria moeda digital.

O empresário voltou às críticas que havia feito em 2013 da abordagem de investimento de Buffett como "problemática" e "muito falsa".

Ele argumentou que o fato de o chefe da Berkshire evitar empresas de tecnologia, em favor de possuir negócios sérios com marcas fortes e produtos simples, não promove a inovação ou impulsiona a sociedade.

"Você prefere investir em uma empresa de naves espaciais que vai para Marte, ou prefere investir em uma barra de chocolate de Marte?" perguntou Thiel.

Ethereum não será Bitcoin

Embora o Ethereum (ETH) seja a segunda criptomoeda mais valiosa por valor de mercado, Thiel disse que não tem certeza se pode manter seu status a longo prazo.

“Bitcoin e Ethereum são esses dois extremos opostos do espectro”, disse ele, chamando o Bitcoin de “baixa velocidade, alto valor” e o Ethereum de “alta velocidade”. 

Para Thiel, as taxas de gás do Ethereum “têm que diminuir”, acrescentando que “precisa se tornar completamente sem atrito para que funcione”.

Qual Criptomoeda Comprar Hoje? Baixe Grátis o Relatório da Criptomoeda Promissora para 2022.