PCAR3: Controlador do GPA É Processado Por Danos à Amazônia
| , ,

PCAR3: Controlador do GPA É Processado Por Danos à Amazônia

Povos indígenas estão processando a controladora do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) por destruição da Amazônia.

Por
Atualizado em 03/03/2021

Povos indígenas do Brasil e da Colômbia processaram o grupo varejista francês Casino, controlador do Grupo Pão de Açúcar – GPA (PCAR3), em um tribunal da França nesta quarta-feira (3).

O grupo francês é acusado de vender carne bovina ligada à grilagem de terras e desmatamento na Amazônia, disseram os ativistas envolvidos no processo.

Banner will be placed here

É a primeira vez que uma rede de supermercados francesa é levada a tribunal por desmatamento e perda de terras e meios de subsistência sob uma lei de 2017 da França que exige que as empresas do país evitem violações de direitos humanos e ambientais em suas cadeias de abastecimento.

O Casino não quis comentar o processo.

O Brasil é o segundo maior mercado do Casino depois da França.

As operações na América do Sul representaram 46% da receita do grupo Casino em 2020.

Como ser Sócio dos Melhores Negócios? Baixe Grátis o Relatório “As Melhores Empresas para Investir”.

Resultado do Pão de Açúcar no Quarto Trimestre de 2020

O resultado do Pão de Açúcar (PCAR3) no quarto trimestre de 2020 (4t20), divulgado no dia 23 de fevereiro, apresentou um lucro líquido de R$ 1,59 bilhão no 4t20, uma alta de 1.604,3% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda do Pão de Açúcar atingiu R$ 2,3 bilhões no 4t20, apresentando crescimento de 334,1% na comparação com o 4t19.

A margem Ebitda do Pão de Açúcar totalizou 15,4% no 4t20, apresentando crescimento de 9,8 pontos percentuais na comparação com o 4t19. 

A Margem líquida do Pão de Açúcar atingiu 10,8% no 4t20, apresentando crescimento de 9,8 pontos percentuais na comparação com o 4t19.

As ações do Pão de Açúcar (PCAR3) acumulam queda de 70,86% na bolsa de valores nos últimos 30 dias e queda de 64,26% nos últimos 12 meses.

Notícias do Mercado Financeiro

Fonte: Reuters

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE