O que é Payback

Payback é uma ferramenta utilizada para calcular o prazo de recuperação do capital investido em um determinado projeto ou empresa. 

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Em outras palavras, indica o tempo que o investidor deve levar para recuperar sua aplicação inicial. O termo vem do inglês e pode ser traduzido como “retorno do investimento” em português. 

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como calcular o Payback 

O objetivo do payback é mostrar quanto tempo será necessário para recuperar o investimento feito em um determinado projeto ou empresa.

Para calcular o payback, utiliza-se a seguinte fórmula:

Payback = Investimento Inicial/ Ganhos

Para exemplificar, vamos supor que foi feito um investimento inicial de R$ 1 milhão na empresa X, que aufere ganhos de R$ 200 mil por ano. 

Dessa forma, temos que:

Payback = R$ 1 milhão/ R$ 250 mil

Payback = 4 anos

A partir desse resultado, podemos concluir que o prazo de recuperação do valor investido é igual a quatro anos. 

Vale ressaltar que quanto maior for o tempo de recuperação do investimento, maior é o risco e a possibilidade de prejuízo para o investidor.

Em outras palavras, quanto menor for o prazo de recuperação do investimento, mais eficiente é sua alocação de capital.

Em suma, o payback pode ser calculado para analisar a viabilidade de investir em um determinado projeto. 

Relação entre Payback e Análise de Viabilidade de Investimento

O payback é uma métrica de análise de viabilidade de investimento, que tem por objetivo avaliar as melhores opções para o investidor.

Em geral, o payback é utilizado para avaliar o grau de risco do investimento, a partir do tempo necessário para recuperar o valor investido e a viabilidade de aguardar a recuperação desse valor.

Além do payback, nota-se que há outras métricas de análise de viabilidade como: 

  • VPL (Valor Presente Líquido);
  • TIR (Taxa Interna de Retorno);
  • ROI (Retorno Sobre Investimento).

O VPL procura indicar em termos monetários o valor que o projeto estará auferindo para os investidores.

Em outras palavras, representa as entradas e saídas de recursos do projeto trazidas para valores atuais, isto é, calcula o valor desses recursos ao longo do tempo.

A TIR tem por objetivo indicar qual é a taxa de desconto que faz o VPL de um projeto ser igual a zero, ou seja, o percentual de retorno de um projeto.

Essa taxa considera o fluxo de caixa estimado do projeto. Se a TIR for maior que a taxa de retorno desejada, o investimento é considerado viável.

Outra métrica importante para complementar a análise é o ROI, que indica o retorno sobre o investimento em porcentagem. Assim, calcula a capacidade de gerar lucro com os ativos.

Cabe destacar que o investidor deve considerar o uso do payback junto com outras ferramentas de análise fundamentalista e técnica antes de tomar uma decisão.

Relação entre Payback e Fluxo de Caixa 

O cálculo do payback está associado principalmente ao fluxo de caixa. 

O fluxo de caixa mede todas as entradas e saídas de recursos em um determinado período. Cabe destacar que esse fluxo pode ser dividido em:

  • Atividades operacionais; 
  • Financiamentos;
  • Investimentos.

O payback pode oferecer uma ideia mais sólida em relação à geração de fluxo de caixa futuro, principalmente ante o cenário de crise econômica.

Por outro lado, é necessário ter cautela quando for utilizar o payback, pois os fluxos recebidos em diversos períodos podem ser valorizados de formas distintas.

Em outras palavras, o payback não considera em seu cálculo o valor do dinheiro ao longo do tempo, ou seja, não desconta os valores de fluxo de caixa futuro.

Assim, o payback é adequado para verificar a viabilidade do negócio apenas no curto prazo, ao indicar o tempo necessário para o investimento ter liquidez.