O que é Países Emergentes

Países Emergentes são aqueles que ainda não superaram algumas das condições de subdesenvolvimento, mas têm apresentado um crescimento econômico acelerado.

Quer Aumentar a Rentabilidade dos Investimentos? Receba um Aconselhamento Gratuito.

Nas últimas décadas, esses países experimentaram um intenso ciclo de industrialização e abertura econômica, que impulsionaram seu crescimento econômico.

Assim, têm ocupado cada vez mais destaque no cenário econômico global e se tornam cada vez mais atrativos para potenciais investidores.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Características dos Países Emergentes

Os países emergentes têm diversas características em comum. Entre elas, a industrialização tardia e o grande potencial de gerar mão de obra.

No geral, o processo de industrialização desses países ocorreu entre a segunda metade do século XX e o início do século XXI, impulsionado sobretudo pela entrada de empresas multinacionais.

Essas multinacionais são geralmente atraídas pela grande oferta de mão de obra barata, baixos custos de produção e disponibilidade de matérias-primas.

Grande parte dos países emergentes contam com certo grau de dinamismo econômico, mas ainda contam com algumas características socioeconômicas do subdesenvolvimento.

Entre elas, estão a concentração de renda, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) médio e certo grau de dependência tecnológica e econômica de países desenvolvidos.

Origem do termo Países Emergentes

O termo “mercados emergentes” foi criado em 1981 pelo economista Antoine Van Agtmael. Seu objetivo era incentivar investidores a entrarem no mercado asiático.

A palavra-chave para compreender o termo é transição. Os países emergentes se assemelham por estarem entre uma economia fechada com baixa liquidez e um mercado competitivo e bem regulado.

Apesar de discrepâncias no âmbito político, econômico e social, os países emergentes têm apresentado rápido crescimento, rumo ao patamar de países desenvolvidos.

No entanto, não há uma metodologia específica de classificação. Instituições como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) são livres para estabelecer se um determinado país é emergente.

Exemplos de Países Emergentes 

Entre os principais países emergentes, estão aqueles que fazem parte do grupo denominado BRICS. O termo original foi criado em 2001 pelo grupo financeiro Goldman Sachs. 

Cabe ressaltar que o BRICS não é um bloco econômico ou político. A ideia principal é de engajamento internacional, cooperação política e diplomática.

Atualmente, o BRICS é formado por cinco países: 

  • Brasil;
  • Rússia;
  • Índia;
  • China;
  • África do Sul.

Outro importante grupo são os Tigres Asiáticos, que surgiram entre as décadas de 1970 e 1980:

  • Cingapura;
  • Coreia do Sul;
  • Hong Kong;
  • Taiwan.

Esses países uniram o investimento de capital estrangeiro com políticas públicas, que impulsionaram suas economias e se tornaram referência na superação das condições de subdesenvolvimento.

Importância dos Países Emergentes

Os países emergentes têm se tornado cada vez mais importantes no cenário econômico global, representando cerca de 50% do PIB mundial.

De acordo com as previsões do banco Standard Chartered, as principais economias em 2030 serão formadas por países que atualmente são emergentes.

Ademais, essas transformações afetam diretamente o mercado financeiro uma vez que a dinâmica econômica terá maior influência e participação dos países emergentes.

Perspectivas para os Países Emergentes

Entre os benefícios de investir em países emergentes, está o potencial de crescimento e diversas oportunidades de investimentos.

Nos últimos anos, os países desenvolvidos, sobretudo da Europa, o nível de atividade econômica cresce em um ritmo mais lento e há relativamente pouco espaço para altos rendimentos.

Em contrapartida, os países emergentes geralmente apresentam altas taxas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), com perspectiva de expansão da mão de obra e novas oportunidades de investimentos.

A recessão observada recentemente em países emergentes, como Brasil e Rússia, torna visível uma crise no mercado de commodities nos últimos anos.

Por outro lado, economias mais voltadas para serviços, sobretudo na área de tecnologia, como Coreia do Sul, China, Índia, Taiwan, têm assumido cada vez mais protagonismo para atender às novas demandas.