O que é Ordem na Pedra

Ordem na Pedra é uma expressão antiga utilizada no mercado financeiro para se referir ao envio de alguma ordem, que emita alguma compra ou venda, para ser executada na Bolsa de Valores.

Dito de outra forma, Ordem na Pedra é um termo que surgiu em períodos anteriores das bolsas para traduzir o momento em que uma ordem foi enviada e está na Bolsa de Valores aguardando sua execução.

Em razão do avanço tecnológico e da virtualização das bolsas, a expressão caiu em desuso. Hoje em dia alguns também a utilizam no sentido de sugerir a compra de um papel

Nesse caso específico, botar na pedra seria efetuar a compra ou a venda de um título, ação ou quaisquer outros ativos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Origem de Ordem na Pedra 

Hoje em dia quase todo mundo sabe que a Bolsa de Valores é o lugar no qual as pessoas compram e vendem diversos tipos de papéis, ações, moedas, etc. No entanto, nem sempre foi assim.

Embora os historiadores divergem quanto ao nascimento da Bolsa, oscilando entre Roma e Grécia antiga, a versão mais corrente é a de que a Bolsa surgiu de fato na época das grandes navegações.

Assim, a primeira Bolsa teria surgido na Bélgica, por volta de 1487, quando alguns comerciantes e negociantes se reuniram na residência de um homem cujo nome era Van der Burse a fim de realizar trocas.

Desse momento em diante, inúmeras Bolsas de Valores passaram a surgir no continente Europeu, sendo depois exportadas para as então colônias, como o Brasil com suas bolsas na Bahia e no Rio de Janeiro.

Até os anos 90, todas as Bolsas de Valores do mundo ainda utilizavam métodos analógicos”, pois os computadores, a internet e os dispositivos eletrônicos ainda estavam surgindo de forma primária.

Nesses casos, os nome das ações, seus preços e todas as negociações eram colocadas em um livro de ofertas e em um grande quadro negro de giz, precursor das grandes painéis de hoje em dia.

Quando um negociante queria adquirir alguma ação, ele solicitava aos funcionários da bolsa que botassem na pedra. Assim, a compra de um valor mobiliário era feita e enviada para ser colocada na “pedra”.

Dessa maneira a negociação se tornava oficial e já estava formalizada tanto no livro de ofertas quanto no grande quadro negro que identificava todas as compras e vendas nas bolsas de valores.

Ordem na Pedra e pregão

O pregão da bolsa de valores é o período de negociação de ações, ativos, títulos e outros papéis. Nesse sentido, trata-se do período em que pessoas físicas e jurídicas fazem suas negociações de compra e venda.

Hoje em dia, por exemplo na B3, o pregão é automatizado e online, sendo chamado de pregão eletrônico ou digital. Basta que o investidor tenha acesso à internet e uma conta em uma corretora.

Até por volta de 2005, a situação era um pouco diferente. O pregão da bolsa de valores era executado através dos comandos de voz, tal qual o filme “O Lobo de Wall Street” expõe.

Nas salas havia muitas telas com números e os operadores utilizavam telefones para passar instruções aos funcionários da Bolsa.

Se quisermos retornar ao período que surgiu a expressão Ordem na Pedra precisaríamos voltar aos pregões anteriores ao período eletrônico ou aquele dominado pelos telefones.

Nessa época ainda os telefones ainda eram muito caros e não existiam computadores. As negociações do pregão eram presenciais e os investidores faziam todas as operações de forma manual.

Deste modo, sempre que as ordens eram proferidas e anotadas na lousa de giz, os negociantes diziam que a ordem estava na pedra, o que significava que a ordem havia sido posicionada no mercado.