O que é Orçamento Doméstico

Orçamento Doméstico é o planejamento financeiro de uma família com base nos rendimentos somados e nos gastos, fixos e variáveis, ao longo de um período, em geral anual ou mensal.

Como Saber a Hora de Entrar e Sair dos Investimentos? GI Wealth faz Gestão para Investimentos Superior a R$ 300 mil.

Dito de outra forma, Orçamento Doméstico é uma ferramenta utilizada a fim de controlar e acompanhar, mensalmente ou anualmente, as despesas, a renda e o patrimônio dos membros de uma família.

O Orçamento Doméstico, como forma de planejamento financeiro, é uma das melhores ferramentas para garantir a saúde financeira de um lar, bem como a consecução de objetivos familiares comuns.

Embora a educação financeira no Brasil não seja muito desenvolvida, o primeiro passo para assumir o controle da vida financeira é planejar as despesas, os ganhos e estabelecer metas, objetivos.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Como funciona Orçamento Doméstico 

Existem muitas formas de começar a planejar a vida financeira de uma família, tanto a partir da contratação de um profissional que se dedique a isso quanto desenvolvendo essa tarefa internamente.

Nesse sentido, é evidente que um profissional adequado e especializado, como um contador com CFC, saberá como melhor proceder para elaborar um Orçamento Doméstico e lidar com eventuais adversidades.

No entanto, essa tarefa pode ser feita mesmo pelas famílias, pois a maior parte das informações e dos procedimentos estão facilmente disponíveis. Em geral, um Orçamento Doméstico envolve cinco etapas.

O primeiro passo será sempre identificar e mapear todas as fontes de receita, ou seja, todas as remunerações que são recorrentes e previsíveis dos membros da família. 

Assim, deve-se incluir salários, rendimentos de aplicações, aluguel de imóveis e quaisquer valores obtidos por meio de trabalho. No entanto, restituições de impostos ficarão de fora dessa etapa.

Em seguida, como segunda etapa, será preciso localizar e contabilizar todos os gastos efetuados ao longo do período, o que inclui tanto gastos fixos quanto gastos variáveis.

Os gastos fixos são mais fáceis de serem identificados, como tarifa de água, luz, previdência privada, internet e plano de saúde. Os variáveis, diferentemente, demandam mais tempo para serem levantados, como lazer, roupas e cuidados pessoais.

Em um terceiro momento será preciso realizar o saldo desta conta. Para isso, um acompanhamento rigoroso é essencial a fim de reconhecer um saldo negativo e vermelho ou positivo e verde.

Após encontrar seu saldo, é o momento de estabelecer os objetivos financeiros da família, como comprar uma casa, um carro, viajar ou mesmo solucionar alguma pendência, caso a situação esteja negativa.

Por fim, a última etapa consiste em planejar a forma como a renda será destinada nos próximos meses, alocando um percentual em cada uma das obrigações e objetivos da família.

Dicas Orçamento Doméstico 

Um Orçamento Doméstico que funciona bem depende, além do planejamento, do controle dos membros da família. Para isso, algumas dicas são sempre bem-vindas.

No que se refere ao planejamento, nunca é demais lembrar que a separação de um percentual para um fundo de reserva pode ser essencial em situações inesperadas, como carro quebrado ou qualquer problema de saúde.

Além disso, separar uma quantia para investimentos que poderão aumentar a renda da família, como investimentos em renda variável, pode ser muito útil a médio e longo prazo.

Já com relação ao controle dos membros, é importante que todos estejam envolvidos no processo para que se sintam parte disso e responsáveis pela saúde financeira do grupo familiar.

Isso significa que muitos limites, como estabelecimento de valor máximo ao mês ou lista de prioridades, podem ser elaborados conjuntamente com o intuito de evitar fugas ou despesas supérfluas.

Por fim, uma dica extremamente recorrente é dar preferência para pagamentos à vista, haja vista que pagamentos à prazo podem se acumular ao longo do tempo.