Onde Investir para Lucrar com a Inflação
| ,

Onde Investir para Lucrar com a Inflação

Veja os principais investimentos para ganhar dinheiro quando os preços estão em alta.

Por
Atualizado em 27/09/2021

Não fique preocupado com o efeito dos aumentos dos preços na sua carteira. Aproveite para saber onde investir para lucrar com a inflação.

A inflação afeta significativamente a vida do consumidor e as decisões de investimentos, pois amortece os ganhos e corrói o valor de suas economias.

A inflação nacional, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), alcançou patamares recordes nos últimos tempos. 

A alta nos preços encontra-se em um acumulado de 8,99% nos últimos 12 meses. 

Com o aumento da inflação os investidores estão mais preocupados com o rendimento de suas aplicações. 

Afinal, quando se investe, o mínimo que se espera é igualar a inflação do período. Ainda melhor quando se consegue lucrar com ela.

No entanto, se a aplicação render menos que a inflação, você está perdendo dinheiro. 

Aplicações que distribuem 100% do CDI, por exemplo, estão perdendo para a inflação. Com o IPCA em praticamente em 9% ao ano, a taxa de referência para esse tipo de investimento é de apenas 5,23%.

Por isso, o investidor que deseja lucrar com a inflação precisa ficar atento ao investimento que ele escolhe. 

Com uma boa estratégia, é possível não só se proteger da alta dos preços e como também lucrar com o aumento da inflação.

Veja onde investir para ganhar dinheiro e se beneficiar da alta da inflação.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Ações de setores que lucram com a inflação

Uma das melhores maneiras de lucrar com a inflação é investir em ações de empresas que podem repassar facilmente os custos crescentes a seus clientes.

São aqueles setores e indústrias que oferecem produtos ou serviços essenciais, ou seja, que os clientes precisam comprar, não importa o que aconteça.

Esse é o caso de concessionárias de serviços públicos, como energia elétrica, água, saneamento e infraestrutura, além das empresas de bens de consumo.

Essas empresas conseguem repassar mais facilmente a correção da inflação, além de outros ganhos, para quem compra suas ações. 

Isso acontece porque seus preços são ajustados pelo IPCA para o consumidor final e esse ganho é incluído na rentabilidade dos papéis.

Por outro lado, é preciso tomar cuidado na escolha das empresas.

Com ou sem inflação, o investidor de longo prazo precisa seguir uma análise para escolher boas ações e diversificar entre classes de ativos e setores.

Dessa forma, conseguirá obter bons retornos em qualquer momento do mercado.

Como Escolher Boas Ações? Baixe o Checklist de 5 Critérios para Analisar Ações.

Fundo de inflação

Outra opção é investir em um fundo voltado especificamente para se beneficiar da inflação. 

Os fundos de inflação são fundos de investimentos com a rentabilidade atrelada à inflação.

Sua carteira é composta por uma cesta de títulos públicos indexados ao IPCA e tem por objetivo superar um índice, normalmente o “IMA-B” ou o “IMA-B 5”, com prazo de até cinco anos, ou “IMA-B 5+”, com vencimentos dos papéis iguais ou acima de cinco anos.

Diferente de investir sozinho em títulos públicos, nos fundos de inflação, o gestor é quem determina os papéis e vencimentos que farão parte da seleção.

Apesar de cômodo, é importante lembrar que há cobrança de come-cotas, taxa de administração e uma eventual taxa de performance.

Banner will be placed here

Fundos imobiliários com aluguel corrigido pela inflação

Os fundos imobiliários (FIIs) têm ganhado cada vez mais espaço na carteira dos investidores brasileiros. Esta é uma maneira bastante vantajosa de obter renda com aluguel de imóveis e receber remunerações geralmente pagas mensalmente. 

Diante da alta da inflação, os FIIs que possuem no portfólio ativos atrelados ao IPCA e ao IGP-M podem se beneficiar.

Os fundos imobiliários tendem a proteger os investidores dos efeitos da inflação no longo prazo.

Porém, é importante o investidor avaliar a carteira do fundo e entender no que está investindo, afim de escolher o melhor mercado.

Uma vez que no curto prazo podem ocorrer desequilíbrios, principalmente em períodos de inflação elevada e condições econômicas desfavoráveis. 

Quais os Melhores FIIs para 2021? Clique Aqui e Receba Dinheiro na Sua Conta Todos Meses.

Criptomoedas

As criptomoedas, em especial o bitcoin (BTC), podem ser considerados ativos imunes à inflação.

Enquanto a inflação faz com que o dinheiro perca valor ao longo do tempo, o Bitcoin é um ativo “deflacionário”, ou seja, capaz de ganhar valor no tempo.

Enquanto o Banco Central pode “criar” mais dinheiro, o bitcoin é um ativo propositalmente escasso e possui um limite de oferta de 21 milhões de unidades, por isso esse caráter deflacionário. 

As criptomoedas nasceram exatamente com a ideia de ser um sistema financeiro autônomo, como uma forma de protesto à forma que os governos manipulam o dinheiro na economia.

Em consequência disso, o bitcoin é visto por muitos como uma possível reserva de valor.

No entanto, as criptomoedas continuam sendo ativos muito arriscados e altamente voláteis.

O aconselhável é manter um percentual baixo de criptomoedas na carteira, algo em torno de 1 a 5%, apenas para diversificar.

Quer Investir em Criptomoedas? Acesse aqui a Maior Corretora do Mundo.

Para se proteger da falta de regulamentação, o investidor pode optar por investir em moedas digitais em um fundo regulado pela CVM.

Atualmente existem ETFs e fundos de criptomoedas disponíveis na bolsa de valores brasileira, B3.

Como se proteger da inflação

Para investidores mais conservadores, principalmente os mais próximos da aposentadoria, o objetivo é proteger o dinheiro contra os efeitos da inflação.

Nesses casos, a opção mais popular e segura de se proteger da inflação é comprar títulos do Tesouro atrelados ao IPCA.

O Tesouro Direto é um investimento disponibilizado pelo próprio governo brasileiro onde o investidor empresta dinheiro para a instituição e, em troca, recebe o valor aplicado mais uma remuneração. 

Dentro desta modalidade existe o Tesouro IPCA +, um título público que está atrelado à inflação.

O Tesouro IPCA+ paga o valor do IPCA mais uma taxa prefixada. Dessa forma, garante que o investidor não perca o poder de compra e ainda ganhe algo a mais.

Ainda na renda fixa, outras opções para proteger o dinheiro da inflação são os títulos privados, como aplicações em CDBs e letras de crédito, como LCI e LCA, atreladas à inflação e com rendimentos calculados em cima do IPCA.

Para saber onde investir para se tornar um investidor de sucesso, baixe gratuitamente o livro digital “Como Investir Começando do Zero“.

Se você já investe e deseja aumentar o retorno de seus investimentos, veja como escolher as melhores ações.

Como os Milionários Investem? Conheça os 10 Passos para ser um Investidor de Sucesso”.

Dicas sobre Liberdade Financeira

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais

PUBLICIDADE
[Nova]
[Nova]