Queda da Selic: Onde Investir Com Selic Baixa?
|

Queda da Selic: Onde Investir Com Selic Baixa?

Governo derrubou a Selic hoje para 5%. Com a Taxa Selic Baixa Onde Investir? Veja os melhores investimentos.

Por
Atualizado em 31/10/2019
Avalie esse texto

Governo decidiu pela Queda da Selic novamente, cortando 0,5 pontos, levando a Selic Hoje para 5%.

Agora muitos investidores já se preparam para as consequências nos seus investimentos e muitos se perguntam:

Onde Investir com a Selic Baixa? 

A proposta deste texto é justamente ajudar você a descobrir onde investir meu dinheiro com os melhores investimentos do momento.

A expectativa é de mais uma redução de 0,5 pontos percentuais anunciadas para a próxima reunião do COPOM, no dia 11 de dezembro.

Isso levará a Selic de 5% para 4,5% no último mês de 2019.

Algumas instituições financeiras já fazem projeções ainda mais um corte nos juros no início de 2020.

Histórico Selic

Veja o histórico da Selic com o gráfico de 23 anos com a trajetória de queda da taxa Selic:

Histórico Selic: Gráfico de 20 anos de queda da taxa Selic
Histórico Selic: Gráfico de 20 anos de queda da taxa Selic

A taxa de juros no Brasil ficou em média 14,82% entre 1999 e 2019, atingindo uma alta histórica de 45,67% em março de 1999 e uma baixa recorde de 5% em outubro de 2019, podendo chegar a 4,5% até o final de 2019.

Esse artigo mostrará o impacto nos principais investimentos e onde investir dinheiro nesse cenário atual.

Investimentos na Poupança

Com rentabilidade limitada a 70% da taxa Selic, a poupança é o investimento de renda fixa mais prejudicado entre todos com as reduções, principalmente quando a Selic se encontra igual ou menor que 8,5% ao ano

Com taxa Selic em 5% ao ano a poupança hoje renderá somente 0,2871% ao mês ou 3,50% ao ano.

Isso significa que se a inflação em 2020 for de 3,60% ao ano, como esperado pelo mercado, a poupança será incapaz de manter o poder de compra do dinheiro.

Investimentos em CDB, LCI e LCA

Os CDBs pós-fixados também são diretamente impactados com a queda da Selic.

Embora sua rentabilidade seja definida por outra taxa, chamada Taxa DI, ela costuma ser igual ou 0,01 ponto percentual menor que a Taxa Selic.

Utilizando o simulador renda fixa do Clube dos Poupadores podemos observar que com taxa Selic hoje a 5% e uma taxa DI de 5%, um investimento em CDB pós-fixado que rende 100% do CDI teria uma rentabilidade de apenas 0,4074% ao mês.

Com o desconto de 15% de imposto de renda sobre o rendimento a rentabilidade líquida ficará próxima de 0,35%

Mesmo um CDB pós-fixado que paga somente 85% do CDI, como podemos observar em muitos bancos grandes, a rentabilidade líquida, já com imposto de renda desconto chegaria a 0,2981% ao mês.

As LCIs e LCAs pós-fixadas são semelhantes aos CDBs com a diferença de não existir cobrança de imposto de renda sobre o rendimento.

O problema é que raramente encontramos esses investimentos pagando mais que 90% do CDI. Ao receber 90% do CDI teríamos uma rentabilidade próxima de 0,36% ao mês.

Investimentos no Tesouro Selic

A rentabilidade do título público Tesouro Selic segue a queda da taxa Selic, mas seu ganho acaba sendo degradado com a cobrança de uma taxa anual de 0,25% pela B3 que é a empresa que opera o Tesouro Direto.

Com uma taxa Selic de 5% ao ano teremos o Tesouro Selic rendendo algo próximo de 0,33% ao mês já considerando a dedução de 15% de imposto de renda e a taxa de 0,25% ao ano.

Investimentos em Fundos

Se o Tesouro Selic sofre com a cobrança de 0,25% sobre todo o valor investido, a situação dos fundos de investimento de renda fixa é ainda pior.

Muitos fundos de grandes bancos continuam cobrando taxas administrativas absurdamente elevadas de 1% ou até mais de 2% ao ano.

Isso significa que com juros de 5% ao ano, podendo chegar a 4%, uma boa parte juros escassos recebidos pelo investidor ficarão com os gestores desses fundos na forma de taxa administrativa.

Fundos de investimento que fazem aplicações pós-fixadas tendem a apresentar rentabilidades cada vez piores com a redução da taxa Selic.

Cabe ao investidor observar atentamente qual é a taxa administrativa cobrada pelo fundo e como essa taxa está impactando negativamente sua rentabilidade.

Investimentos em Fundos Imobiliários

Os fundos imobiliários são mais demandados pelos investidores quando a taxa Selic está em queda e essa demanda valoriza as cotas dos melhores fundos.

O índice que mede o desempenho dos principais fundos imobiliários (IFIX) teve alta de mais de 100% nos últimos 3 anos.

Gráfico do IFIX
Gráfico do IFIX

Quer Investir nos Melhores Fundos Imobiliários? Baixe Grátis o Relatório “3 Melhores FIIs para Receber Aluguéis”

Investimentos em Ações

A queda na taxa Selic aumenta a demanda por investimentos em ações.

Além da demanda provocada pela compra direta de ações na bolsa, existe a demanda gerada por fundos multimercado e fundo de ações.

Quando os investidores dos fundos de renda fixa migram parte dos seus investimentos para fundos multimercado e fundos de ações, os gestores desses fundos precisam comprar mais ações pressionando seus preços.

Gráfico do Ibovespa
Gráfico do Ibovespa

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

A maior demanda por ações que pagam dividendos valoriza essas ações e podemos constatar isso observando o comportamento do índice IDIV.

O IDIV mede o desempenho das ações mais negociadas que pagam dividendos.

Nos últimos 3 anos o índice registrou alta de mais de 230%, superando o índice Bovespa.

Gráfico IDIV
Gráfico IDIV

→ Você Conhece as Ações que Pagam Dividendos mensais? Clique Aqui e Baixe Grátis o Calendário de Dividendos.

Onde Investir com a Selic Baixa

Com a redução da Selic para 5%. a.a. os retornos dos investimentos de renda fixa encolheram ainda mais. 

Por outro lado, a Selic baixa reforça ainda mais a atratividade dos investimentos na bolsa de valores. 

Além do benefício natural migração dos recursos da renda fixa para a bolsa de valores, o efeito do corte Selic agrega outras vantagens para a renda variável.

O racional é simples: queda nos juros acontece em uma tentativa de estimular a economia. 

Juro baixo aumenta diretamente a oferta de crédito, gerando mais liquidez ao mercado.

As empresas podem contratar empréstimos e financiamentos de forma menos oneroso.

Com mais caixa, elas podem investir e expandir suas operações, gerando mais empregos e aumento da renda da população.

Por sua vez, pessoas com acesso ao crédito mais barato, consomem mais, gerando mais lucros para as empresas. Toda a cadeia é movimentada, criando um ciclo virtuoso de consumo, produção e lucros.

Banner will be placed here

Onde Comprar Ações

Na prática existem alguns setores que se beneficiam mais que outros com a queda dos juros, como o varejo, locação de veículos e construtoras.

Varejo

O aumento do consumo oriundo do crédito mais acessível, gera aumento de receitas para as empresas do setor.

Além disso, a uma redução no custo de capital de giro, beneficiando seus resultados.

Algumas empresas do setor: GUAR3, LREN3, VVAR3 e MGLU3.

Locação de veículos: 

Empresa desse segmento operam com alta alavancagem, queda nos juros refletem diretamente na redução de custos da operação.

Quanto menor o custo mais rentável é a operação. 

Algumas empresas do setor: LCAM3, RENT3 e MOVI3.

Construtoras

Embora a taxa Selic não seja diretamente ligada aos financiamentos do setor imobiliário, os juros baixos é acompanhando pela TR (taxa referencial), que atua como lastro do setor imobiliário. Algumas empresas do setor: MRVE3, TRIS3 e EZTC3. 

Onde Investir Meu Dinheiro?

A cada dia que passa se torna mais importante um cuidado maior do investidor com relação aos custos dos investimentos de renda fixa, especialmente aqueles que exigem pagamentos de taxas.

Cada redução da Taxa Selic tornam as taxas mais relevantes no impacto negativo que elas produzem na rentabilidade.

Como sempre falo nos meus livros sobre investimentos, se torna urgente a obtenção de todo o conhecimento necessário para a seleção dos investimentos de menor custo a maior rentabilidade, além do conhecimento que permita fazer investimentos de renda variável com menores riscos e maiores ganhos.

Artigo escrito em conjunto por Leandro Ávila e Marcelo Fayh (Analista CNPI).

Disclaimer
Declaro que as informações contidas neste artigo são públicas e que refletem única e exclusivamente a minha visão independente sobre o mercado, sem refletir a opinião do The Capital Advisor ou de seus controladores.

Quer Investir em Boas Ações? Clique Aqui e Baixe Grátis o Relatório com as 3 Ações para Investir por 10 Anos.

Avalie esse texto

O Que Ler Agora...

Mostrar Mais