A Oi (OIBR3) informou na quarta-feira, 26, através de fato relevante, a conclusão da subscrição e integralização das Debêntures Conversíveis em Ações, da Espécie com Garantia Real, em Série Única, para colocação privada, da 1ª emissão da Brasil Telecom Comunicação Multimídia, controlada indireta da Companhia, no valor total de R$ 2,5 bilhões.        

A operação constitui mais uma etapa do processo de reestruturação da Oi e suas subsidiárias em recuperação judicial, em linha com o Plano de Recuperação Judicial e o Plano Estratégico de Transformação.

O plano tem como objetivo a otimização das operações e incremento dos resultados das Recuperandas e demais subsidiárias diretas e indiretas da Oi.     

Resultado da Oi no Primeiro Trimestre de 2021

O resultado da Oi (OIBR3) no primeiro trimestre de 2021 (1t21), divulgado no dia 12 de maio, apresentou um prejuízo líquido de R$ 3,5 bilhões no 1T21, apresentando retração no prejuízo de -43,9% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

O Ebitda da Oi atingiu R$ 2,4 bilhão no 1T21, apresentando crescimento de 24,8% na comparação com o 1T20.

A Margem Ebitda da Oi totalizou 53,2% no 1T21, apresentando crescimento de 13,2 pontos percentuais na comparação com o 1T20. 

A Margem Líquida da Oi atingiu -156,7% no 1T21, apresentando crescimento de 102,2 pontos percentuais na comparação com o 1T20.

As ações da Oi (OIBR3) acumulam queda de 0,65% na bolsa de valores nos últimos 7 dias e alta de 122,79% nos últimos 12 meses.