O que é Oferta Pública Inicial

Oferta Pública Inicial é a primeira oferta pública de ações que uma companhia pode fazer e que, como consequência, irá expô-la à bolsa de valores.

Geralmente a Oferta Pública Inicial é a mais importante de uma empresa, visto que esta é a que necessita de maiores cuidados e planejamento.

No entanto, é importante ressaltar que a Oferta Pública Inicial possui suas vantagens, desvantagens e condições específicas. Outra forma de chamar a Oferta Pública Inicial é de IPO.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Características da Oferta Pública Inicial

Uma Oferta Pública Inicial consiste de várias características que a distinguem de outras ofertas públicas. E isto pode fazer dela um objeto de desejo do investidor que acompanha o mercado.

No entanto, as empresas também precisam se organizar e se atentar para o que de fato significa fazer uma Oferta Pública Inicial, no que isso afinal de contas implica à organização da empresa.

Por exemplo, para um investidor, a Oferta Pública Inicial significa:

  • Oportunidade de comprar papéis de uma empresa no seu valor mais baixo (a princípio);
  • Poder se tornar acionista e ajudar na tomada de decisão de uma empresa com potencial latente que o investidor já gostava ou estava de olho;
  • Ajudar uma empresa a atingir a meta de investimento que ela planejou para ter uma Oferta Pública Inicial bem sucedida;
  • Ter a possibilidade de especular com o valor das ações que vão estar mais instáveis no início.

Já para a empresa que está fazendo a sua Oferta Pública Inicial, ela precisa se atentar ao seguinte:

  • Se expor a bolsa de valores significa lidar com a volatilidade do mercado e seus investidores;
  • Se antes havia uma administração centralizada, agora a administração será dividida com milhares de sócios minoritários;
  • É necessário ser transparente quanto às questões financeiras pertinentes à organização.

De forma geral, a Oferta Pública Inicial é uma etapa na vida de uma empresa que precisa ser administrada com muita responsabilidade.

Não é tão incomum que uma Oferta Pública Inicial acabe falhando, ou que depois que empresa esteja exposta ao mercado, ele comece a ter problemas.

Requisitos para uma Oferta Pública Inicial

Para que uma empresa esteja apta a fazer uma Oferta Pública Inicial, ela precisa cumprir algumas exigências estabelecidas pela bolsa de valores brasileira, a B3.

Estas exigências envolvem principalmente o nível de governança da empresa, sua transparência e contabilidade, que precisa estar impecável e em dia.

Por parte da empresa, é necessário que ela avalie bem o mercado para conseguir definir um preço inicial para a sua ação que condiz com as expectativas dos investidores.

Essa etapa é chamada de bookbuilding, e ela geralmente leva algum tempo para ser concluída de forma eficiente. É necessário muita pesquisa de mercado.

Um bookbuilding feito às pressas ou que não tenha cumprido todas as suas etapas de forma correta e diligente pode acabar resultando em uma Oferta Pública Inicial mal sucedida.

Como participar de uma Oferta Pública Inicial

Para o investidor participar de uma Oferta Pública Inicial, primeiramente é necessário estar atento à programação, que pode ser conferida no site da B3 em Ofertas em Andamento.

Em seguida é fundamental que este indivíduo possua uma conta em alguma corretora de valores que esteja participando da oferta. Apenas assim ele tem acesso ao ambiente da bolsa.

Cumprindo a estes requisitos básicos, o próximo passo é estudar o mercado e as empresas que estão se dispondo a abrirem seu capital, e assim ser capaz de fazer um bom investimento.

Como um bom ponto de partida, aprender como fazer uma análise fundamentalista ou a análise técnica pode ser de grande valia para o investidor.