O que é OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico

OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico é uma estrutura internacional formada por 37 países, atualmente.

A OCDE existe para traçar estratégias e compartilhar experiências entre seus membros, visando uma maior cooperação econômica internacional e o desenvolvimento econômico mundial.

No entanto, vale frisar que a OCDE busca soluções para diversos problemas que assolam as economias mundiais, incluindo as questões sociais.

Ficou na Dúvida Sobre Investimentos? Baixe Grátis o Dicionário do Investidor.

Antecedentes da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico

A OCDE tem as suas raízes fincadas no período após a Segunda Guerra Mundial, que teve como uma de suas principais consequências a destruição de grande parte da Europa.

Objetivando evitar que uma crise como essa voltasse a ocorrer, os países europeus chegaram a um consenso de que eles deveriam ajudar os países derrotados a se reconstruírem.

Esse consenso, por sua vez, deu origem a OCEE, sigla para “Organização para a Cooperação Econômica Europeia”, que serviria para administrar os recursos do Plano Marshall.

O plano marshall, por sua vez, foi uma ajuda financeira fornecida principalmente pelos Estados Unidos, mais o Canadá, e destinada a reconstruir a Europa pós guerra.

No final da década de 50, com a reconstrução da Europa praticamente terminada, a OCEE precisava de outro objetivo e seus membros começaram a discutir o que fazer.

Foi então que em 1961 a OCEE efetivou os EUA e o Canadá como membros oficiais e a instituição passou a ter o nome de OCDE. 

Da década de 60 para cá, outros países do mundo se juntaram à organização, notadamente o Japão, a Colômbia e o México. O Brasil também já postulou sua vaga.

Objetivos da OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico

A OCDE é uma organização multifacetada que possui muitas metas diferentes. Primeiramente, ele serve para que seus países membros possam trocar experiências próprias de governo.

E estas experiências podem ser na área da educação, da saúde e principalmente economia. O objetivo é encontrar uma solução para os maiores desafios das nações.

Todavia, de maneira resumida, podemos elencar as objetivos da OCDE da seguinte forma: 

  • Encontrar formas de manter um crescimento econômico duradouro, sempre focando no desenvolvimento sustentável;
  • O fomento de postos de trabalho que contribuam para uma melhora nos setores econômicos e no bem-estar social geral das nações;
  • Aumento da expectativa e da qualidade de vida usando de políticas que assegurem eficiência nas áreas da saúde e da educação;
  • Combate focado à pobreza por meio de programas que visem a diminuição da desigualdade social e alcancem também a estabilidade financeira;
  • Auxílio às economias de países ainda em estado de desenvolvimento.

OCDE e a economia mundial 

Antes de qualquer coisa, é necessário reconhecer a importância que os países que fazem parte da OCDE têm para a economia mundial. Juntos eles somam dois terços do PIB do mundo.

Esse fato, por sua vez, não deixa de ser uma motivação para críticas, que acusam a organização de ser um exclusivo “clube de ricos”. Alegação que não se sustenta.

A influência que estes países possuem para o comércio também é preponderante. Todos os outros países de uma forma ou de outra negociam com os membros da OCDE.

Isso, por outro lado, faz destes países excelentes alternativas para investimentos. Dificilmente um investidor irá perder dinheiro apostando no ambiente econômico dessas nações.

Inclusive, isso é um fato que pode ser comprovado ao analisar que a maioria das multinacionais do mundo, expostas às bolsas de valores, são oriundas destes países.

E as ações dessas empresas valem muito. Tratando-se, de forma geral, de investimentos muito sólidos. As preferidas de investidores de sucesso.

Por outro lado, uma das missões da OCDE é justamente ser capaz de criar um ambiente propício para investimentos em todas as nações em desenvolvimento.